4G já é utilizado por metade dos usuários do país

4G já é utilizado por metade dos usuários do país

De acordo com dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a tecnologia 4G já representa 50,29%  do total de contratos de internet móvel do país, o que corresponde a 118.226.718 clientes. A tecnologia começou a ser utilizada no país em 2013 e o 5G está previsto para chegar ao país em 2020. O Brasil registrou um total de 235.076.217 linhas de telefonia móvel no mês de junho de 2018. O serviço vem seguindo tendência de queda e apresentou redução de 7.048.232 linhas nos últimos 12 meses, na comparação com maio, a queda foi de 394.230 linhas.

Continue lendo



Partidos destinam mais de R$ 122 milhões para despesas genéricas

Os partidos políticos arrecadaram, no ano passado, R$ 702 milhões e, desse total, cerca de R$ 122,3 milhões custearam rubricas genéricas, como serviços técnico-profissionais, transferências com fins eleitorais, aluguel de bens móveis, outras despesas eleitorais e alistamento. Pelo menos 88,4% da receita das legendas vêm do fundo partidário, constituído por recursos públicos previstos no Orçamento Geral da União.

O levantamento foi feito pela organização não-governamental Transparência Partidária no Sistema de Prestação de Contas Anual (SPCA) do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Pela legislação, os 35 partidos políticos tinham até maio para prestar contas de 2017. Além do fundo partidário, as receitas das siglas no ano passado se constituíram de sobras financeiras das fundações, juros e redimentos de aplicações financeiras, contribuições de parlamentares e contribuições de filiados.

“O sistema de prestação de contas dos partidos melhorou significativamente, mas ainda há despesas obscuras, pouco transparentes”, disse o coordenador da Transparência Partidária, Marcelo Issa.

*Agência Brasil



MPF denuncia ex-prefeito de Santa Maria por desvio de recursos federais

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou o ex-prefeito de Santa Maria (RN) Nilson Urbano por desviar verbas de um convênio com o Ministério do Turismo, assinado em 2010 e voltado originalmente para financiamento das “Festividades Juninas do Município”. Ele encerrou seu mandato, no fim de 2012, sem ter prestado contas dos recursos ou mesmo apresentado qualquer prova sobre como o dinheiro (R$ 147.761, segundo atualização até abril de 2016) foi gasto, além de ter ocultado os documentos referentes ao convênio.

Continue lendo