Acusado de matar presidiário na feira será julgado nesta quarta (07) em Caicó

Adriano Dourado foi assassinado na Rua da Feira Livre em Caicó em 2013

Dando sequência a realização de sessões do Tribunal do Júri Popular no Fórum Amaro Cavalcante, em Caicó, o juiz Luiz Cândido de Andrade Villaça, preside nesta quarta-feira (07), o julgamento de Manacés Gonzaga Filho, que é acusado de matar, Adriano Dourado da Costa, fato ocorrido no dia  11 de setembro de 2013, nas imediações dos barracos da feira livre, próximo ao Açougue Público.

De acordo com o que consta no processo, Manacés Gonzaga matou Adriano Dourado, com disparos de arma de fogo, o que também teria causado um perigo comum haja vista o local ter grande aglomeração de pessoas.

Uma desavença antiga pode ter provocado o crime. Os rumores dão conta de uma rixa entre os dois, haja vista o atentado praticado por Dourado contra Manacés numa tentativa de roubo ocorrida ao Armazém Paulino, anos antes.



ADEPOL lança edital e prepara lista tríplice

Delegada Paoulla Maués

A Associação dos Delegados de Polícia Civil do RN (Adepol/RN) publicou nesta terça-feira (6) o edital de convocação para formação de uma lista tríplice para indicação do futuro delegado-geral de Polícia. A iniciativa é histórica e pretende dar mais isenção e credibilidade na escolha do nome que deverá chefiar a Polícia Civil, dentro da perspectiva de fortalecer e aperfeiçoar uma instituição de Estado.

Continue lendo



MPF cobra rigor sobre controle de ponto de professores do Ceres da UFRN

O Ministério Público Federal (MPF) recomendou à direção do Centro de Ensino Superior do Seridó (Ceres) – formado pelos campi da UFRN em Caicó e Currais Novos – a criação ou o reforço de instrumentos que permitam um controle mais efetivo da assiduidade e pontualidade dos professores. De acordo com denúncias feitas à Procuradoria da República em Caicó, há casos de faltas injustificadas e reiteradas que podem estar gerando prejuízos aos alunos e à própria instituição de ensino.

A recomendação requer ainda o desenvolvimento de canais de comunicação, preferencialmente em meio eletrônico, através dos quais os alunos possam formular denúncias a serem apuradas no âmbito administrativo – resguardando o sigilo dos denunciantes quando solicitado e dando ampla publicidade a esses canais e à própria recomendação.

Um procedimento que tramita no MPF vem apurando possíveis casos de ausência injustificada de professores, com uma suposta conivência de gestores dos departamentos acadêmicos. As condutas, se confirmadas, podem ser consideradas casos de improbidade administrativa, como enriquecimento ilícito e dano ao erário. Após receber a recomendação, a direção do Ceres terá um prazo de 10 dias para informar o MPF a respeito das medidas adotadas.



Acadepol realiza Curso de Operações Policiais para integrantes da Marinha

Curso é realizado pela Acadepol RN

A Academia de Polícia Civil (Acadepol) está realizando, até esta quarta-feira (07), o Curso de Operações Policiais (COP) voltado para 19 militares, 16 homens e três mulheres, que trabalham na Base Naval de Natal. Durante o curso, que começou nesta segunda-feira (05), os alunos estão tendo acesso às aulas ministradas por policiais civis que abrangem Defesa Pessoal, exercícios no estande de Simulador de Tiro da Polícia Civil e instruções técnicas de abordagem às pessoas, técnicas de algemação e patrulha urbana.

Este curso que está sendo oferecido pela Polícia Civil é de fundamental importância para nós que trabalhamos na Base Naval de Natal, pois temos uma grande necessidade de instruções nas áreas de Defesa Pessoal e no treinamento de tiro, pois nosso efetivo exerce funções de segurança orgânica dentro da Base”, salientou o capitão-tenente, José Jailson Carlos.

As aulas de defesa pessoal estão sendo ministradas pelos policiais civis Alexandre Freire e Valdemar Anacleto; as aulas de Operações Policiais pelo policial civil Clayton Patrício e Giovanni Mesquita de Freitas e as aulas no estande de tiro são coordenadas pelo policial civil Joaci Roque Diniz, com apoio do policial civil Kleber Lopes Campelo. “Estou considerando este curso uma excelente oportunidade, principalmente para nós mulheres. Estamos tendo acesso a várias técnicas de defesa pessoal que são voltadas para as nossas especificidades”, afirmou a cabo Ana Karoline Rodrigues.



Polícia Civil prende foragido da Justiça pelo crime de homicídio qualificado

José Maxwell Negão foi preso pela Polícia Civil

Agentes da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil cumpriram, nesta terça-feira (06), um mandado de prisão preventiva contra José Maxwell Siqueira, vulgo “Negão”, de 25 anos. Ele é apontado como o responsável pelo assassinato de Walnyery Erlandy Silva, crime que ocorreu às 6 horas da manhã do dia 16 de junho, no bairro de Igapó.

O homem participava de uma festa na casa da vítima, onde fornecia drogas para os participantes. Walnyery teria comprado drogas a Maxwell Negão, porém na hora do pagamento houve um desentendimento. Testemunhas confirmaram que Negão a perseguiu e foi o autor do disparo que vitimou Walnyery.

Segundo o Delegado Rysklyft Factore, Maxwell Negão é apontado também como membro de uma facção criminosa e respondia processo por tráfico de drogas. Ele estava foragido, quando foi preso na manhã hoje em Alto do Rodrigues, pelo crime de homicídio qualificado.



UFRN debate trajetória do Rádio AM Potiguar

Mesa Redonda tratará sobre o Rádio AM

O Departamento de Comunicação Social (Decom) do Centro de Ciências Humanas, Letras e artes (CCHLA), da UFRN, realiza nesta quarta-feira (7) a mesa-redonda “Transição no Rádio Potiguar”, com a participação de profissionais e pesquisadores que farão um apanhado sobre a memória do Rádio AM Potiguar e seu processo de migração para FM.

O evento é gratuito, aberto ao público e acontece a partir das 16h30 no Auditório do Laboratório de Comunicação (LabCom).

A mesa-redonda contará com a participação dos radialistas Francisco Moraes, Juliano Freire, Nilton Pires e Welington Medeiros que contarão suas experiências no rádio potiguar.

Além disso, haverá a apresentação do resultado da pesquisa sobre a migração do rádio AM no Rio Grande do Norte realizada pela UFRN em parceria com o Grupo de Pesquisa Rádio e Mídia Sonora da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom).

EXPOSIÇÃO

A ação faz parte das comemorações do Dia do Radialista, celebrado em 7 de novembro, e ainda conta com uma exposição que  reúne fotografias e equipamentos antigos que remontam a memória do rádio, colhidos e organizados pelo grupo de pesquisadores vinculados ao Decom/UFRN.

Para o radialista Silvio Henrique, um dos organizadores da exposição, o objetivo é estimular o interesse pelo rádio que está em transformação: “O rádio AM está passando por uma transformação com a migração para a FM e, inevitavelmente, a tendência será o fim de uma história de quase 100 anos de operação no Brasil nas ondas da Amplitude Modulada. Assim, o objetivo do projeto é expor o acervo tecnológico para que todos possam conhecer o aparato que caracteriza o funcionamento do Rádio AM e estimular o interesse em ampliar a memória do rádio AM e sua história no cenário potiguar dentro e fora da universidade”, destaca.

Outras informações podem ser consultadas no www.fb.com/radiopotiguar