Homem que esfaqueou a ex-companheira no Bairro Barra Nova em Caicó continua foragido

Claudineide foi morta em decorrência das facadas desferidas por Novinho

Outro crime que está sendo resolução em Caicó, é a morte de Claudineide Silva, de 33 anos, que foi esfaqueada pelo seu ex-companheiro, identificado como Novinho, fato ocorrido no Bairro Casas Populares, zona oeste, no dia 18 de novembro de 2018. Ela sofreu 9 cutiladas de faca.

Depois do ataque a Claudineide Silva, o homem fugiu nunca mais foi encontrado.

A mulher passou vários meses convalescendo nos hospitais em Caicó e Natal, até morrer. Nesse tempo, ela que estava tetraplégica por causa das facadas, sofreu paradas cardíacas e estava com as funções cerebrais bem comprometidas.

A motivação para o crime, inicialmente, se falou em ciúmes por parte do agressor.

Já se passaram 2 meses e 18 dias que Claudineide Silva, morreu.



Após 9 meses, assassinos de idosa caicoense, seguem foragidos

Neste sábado (23), completaram-se 9 meses e 16 dias da morte de Valdira Medeiros. Ela faleceu aos 80 anos de idade, depois de ter sido vítima de assalto em sua casa no Bairro Acampamento, em Caicó. Os ladrões a espancaram. O crime foi registrado no dia 6 de junho.

Quando os ladrões (eram dois), entraram na casa da idosa, ainda era madrugada e disseram que queriam joias e dinheiro. Eles demoraram no interior da casa e lá promoveram sessões de espancamento contra a vítima.

Quando fugiram, levaram vários objetos de valor do interior da casa.

Antes de ser encaminhada para Natal, por causa de seu estado de saúde, Valdira ainda esteve na Delegacia de Polícia Civil, para prestar queixa. Ela que estava com hematomas pelo corpo e várias costelas quebradas, contou que os ladrões eram jovens.

Em Natal, dona Valdira Medeiros, morreu, não resistindo aos ferimentos.

Os dois ladrões nunca foram localizados pela Polícia.



21 dias da morte de Zaíra Cruz; Inquérito deve ser concluído nos próximos dias

Neste sábado (23), completaram-se 21 dias da morte de Zaíra Cruz, fato ocorrido no carnaval da cidade de Caicó. A jovem, foi encontrada morta no interior de um carro pertencente ao cabo da Polícia Militar, Pedro Inácio de Maria, inclusive, ele está preso preventivamente apontado pela Polícia Civil como principal suspeito de ter matado a jovem.

Zaíra Cruz foi morta no sábado de carnaval em Caicó e o Cabo da PM, Pedro Inácio está preso

O delegado Leonardo Germano, que preside o inquérito, já disse a imprensa que todas as provas levantadas na investigação apontam para o policial como sendo a pessoal que matou Zaíra. O crime teria sido praticado por asfixia mecânica.

O prazo para a conclusão do inquérito, é de 30 dias, podendo ser prorrogado, caso seja necessário.

Com a conclusão, o delegado elabora um relatório apontando tudo que foi apurado na investigação e quem é o responsável pelo crime. Ou seja, ele indicia alguém e encaminha o inquérito para a Justiça, que será transformado em processo.

O cabo da PM, Pedro Inácio de Maria, segue preso na sede do Comando Geral da Polícia Militar em Caicó, à disposição da Justiça.

Segundo aponta a investigação, o crime teria sido praticado na madrugada do dia 2 de março, sábado de carnaval. A jovem, estava com o acusado e ainda na companhia de outras amigas. De carro eles deixaram as amigas em casa, no Bairro Paraíba. Depois disso, Zaíra foi morta. O policial, Pedro Inácio, teria seguido para a sede do bloco (antiga Labodeguita) aonde estava, em frente a praça Dom José Delgado. Chegando em frente ao prédio, parou carro, mas não saiu. Depois de alguns minutos, entrou com o carro. Quando o dia amanheceu, Pedro Inácio, foi ao carro e disse ter encontrado Zaíra desacordada. Ela já estava morta.



BNDES lança linha de crédito para micro e pequenas empresas

A partir de agora, as micro e pequenas empresas brasileiras vão ter acesso a uma nova linha de financiamento. Lançado nesta sexta-feira (22) pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, a BNDES, o Crédito Pequenas Empresas é uma nova linha que vai ter limite de crédito máximo de R$ 500 mil por cliente a cada 12 meses, com prazo máximo de até 60 meses e até dois anos de carência.

Segundo o presidente do BNDES, Joaquim Levy, o intuito é ampliar a concessão de crédito para empresas de menor porte, que são responsáveis por mais de 50% dos postos de trabalho formais no Brasil.

As empresas interessadas podem ir direto aos bancos ou acessar o site bndes.gov.br/canal-mpme, que permite encaminhar pedidos de financiamento a um ou mais bancos repassadores, selecionados conforme as necessidades de quem solicitar e de acordo com o perfil informado pelo tomador.