Rede de proteção da criança e do adolescente retomou atividades em Caicó

Com o objetivo de contribuir para a redução das múltiplas formas de violência contra a criança e o adolescente em Caicó, a Rede de Proteção da Criança e do Adolescente do município retomou as atividades no último dia 01 de abril, em reunião que aconteceu nas Aldeias Infantis SOS. A reunião contou com a participação de entidades representativas da cidade e discutiu uma pauta extensa de ações que favorecem a proteção e combate à violência deste público na cidade. A próxima reunião já ficou agendada para o dia 06 de maio que acontecerá no auditório do Ministério Público de Caicó e o tema elegido foi o Fundo da Infância e da Adolescência – FIA.

“Nós temos pautado a necessidade de retomar as reuniões da Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente. O fortalecimento da Rede local tem sido nossa pauta em vários seminários e outras ações relacionadas ao tema, com intuito de fortalecer e gerar sincronicidade e articulação com todo o Sistema de Garantia de Direitos visando superar as dificuldades e desafios, visto que, os casos de âmbito municipal que temos, e que estão surgindo, estão cada vez mais complexos”, explicou Santiago Júnior, gestor das Aldeias Infantis SOS.

Confira as principais ações que estão em planejamento:

I. Sensibilizar entidades, profissionais e a comunidade;

II. Prover com assistência e meios de prevenção da violência contra crianças e adolescentes;

III. Capacitar os profissionais diretamente envolvidos no atendimento a crianças e adolescentes para a percepção da violência contra este grupo populacional e para o desenvolvimento do trabalho integrado e intersetorial;

IV. Tornar visível a violência que se pratica contra crianças e adolescentes, estimulando a notificação dos casos;

V. Criar fluxos padronizando um instrumento comum para as notificações; 

VI. Diminuir a reincidência da violência, a partir do acompanhamento dos casos;

VII. Ajudar a superar as condições geradoras de violência e as sequelas resultantes dos maus tratos; 

VIII. Desenvolver proposta e projetos voltados para a prevenção da violência, especialmente envolvendo a comunidade.

“Reiniciamos as atividades desse grupo com a proposta de encontros periódicos, objetivando contribuir para a redução das múltiplas formas de violência contra a criança e o adolescente em nossa cidade. Como também, analisarmos a condição e capacidade coletiva de planejamento e execução com vistas a implementarmos de várias ações”, disse o gestor das Aldeias.



Mandantes de assassinato de F. Gomes são condenados a 14 anos de prisão

Ao fundo, os réus, Lailson Lopes (de camisa branca) e Gilson Neudo (de camisa preta) – (FOTO: Everton César)

Os acusados de planejar a morte do radialista Francisco Gomes de Medeiros, conhecido como F. Gomes, foram a condenados a 14 anos de prisão em regime fechado. A decisão ocorreu na noite da terça-feira (16), em júri no Fórum Desembargador Miguel Seabra Fagundes, em Natal. Após quatro adiamentos, o ex-pastor evangélico Gilson Neudo Soares do Amaral e o comerciante Lailson Lopes, ‘O Gordo da Rodoviária’, foram considerados culpados por encomendar e planejar o assassinato do comunicador, que aconteceu no dia 18 de outubro de 2010, em Caicó, região Seridó do estado.

A decisão já havia sido adiada quatro vezes devido a manobras de Lailson Lopes. No dia 27 de março deste ano, em julgamento previsto, o júri foi adiado após Lailson se recusar a ser defendido pela Defensoria Público do Estado e acabou preso. Nesta ocasião, a sessão já havia iniciado. Gilson estava detido e aguardava apenas o julgamento, mas voltou ao sistema prisional após o julgamento ser adiado novamente. Em 2017, Lailson dispensou também um advogado durante o julgamento. Na terça, porém, o julgamento ocorreu.

Em maio de 2012, a então delegada Sheila Freitas, da Divisão Especializada em Investigações e Combate ao Crime Organizado (Deicor), confirmou que F. Gomes foi assassinado a mando de pessoas que formaram um “consórcio” para financiar o crime. Segundo ela, esse “consórcio” seria responsável por angariar R$ 10 mil e repassar a João Francisco dos Santos, o Dão, autor confesso do assassinato e que está preso. De acordo com a delegada, o “consórcio” é formado pelo advogado Rivaldo Dantas de Farias, pelo tenente-coronel PM Marcos Antônio de Jesus Moreira, pelo ex-pastor evangélico Gilson Neudo Soares do Amaral e pelo comerciante Lailson Lopes. Além desses, ainda de acordo com a delegada, o soldado PM Evandro Medeiros também tem envolvimento com o assassinato de F. Gomes.

Na decisão do júri, que foi comandado pela juíza Eliana Alves Marinho, Lailson Lopes e Gilson Neudo foram condenados a 14 anos de prisão. Porém, pela decisão, Lailson Lopes poderá recorrer da sentença em liberdade, enquanto Gilson Neudo, que já está preso, permanecerá detido.

*Tribuna do Norte



PRF inicia Operação Semana Santa 2019

PRF dará início a Operação Semana Santa na madrugada desta quinta

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) inicia nesta quinta-feira (18), a Operação Semana Santa 2019, com reforço no policiamento em todo o Brasil. As atividades começam à 00h desta quinta-feira e vão até às 23h59 do domingo (21). Nesse período, a PRF terá reforço concentrado no policiamento ostensivo e preventivo em locais e horários de maior movimento de veículos.

O final de semana prolongado pelo feriado na sexta-feira (19) eleva o fluxo de veículos nas rodovias federais, o que implica um aumento no risco de acidentes. A estratégia da PRF é oferecer reforço concentrado no policiamento preventivo em locais e horários de maior incidência de acidentes graves e de criminalidade, além de diminuir o fluxo dos veículos de carga em horários de maior circulação.

Durante os quatro dias de operação, a PRF desenvolverá atividades para diminuir a incidência de acidentes relacionados ao excesso de velocidade, à alcoolemia ao volante, às ultrapassagens indevidas, ao não uso do cinto de segurança e do capacete e ao transporte irregular de crianças.

Ações de Educação para o Trânsito também serão implementadas no feriado para conscientização dos motoristas da sua importância para redução de acidentes. O foco da atividade será nos comportamentos que geram maior risco de acidentes ou que aumentam a gravidade para os envolvidos em caso de sinistro como excesso de velocidade, alcoolemia, ultrapassagens indevidas, falta do uso de cinto de segurança e falta do uso das cadeirinhas para crianças.

Para esta operação, a PRF atuará com a maior parte do seu efetivo, seja da atividade operacional ou administrativa. Serão utilizados radares, etilômetros (bafômetros), motocicletas e viaturas em ronda. O efetivo terá um acréscimo de 25% durante todo a operação.