Polícia diz que assaltantes mortos em confronto com GEOSaC da PB eram ligados à caicoenses

Os assaltantes que morreram no confronto com policiais do GRUPAMENTO ESPECIALIZADO DE OPERAÇÕES EM ÁREA DE CAATINGA – GEOSaC da Paraíba, na tarde de sábado (19), na zona rural de Cantingueira/PB, fazem parte de uma quadrilha que age em vários estados do Norderte, roubando bancos e carros-fortes.

A última ação criminosa do grupo aconteceu na madrugada de quarta-feira (16), por volta de 2h da manhã, em Coremas, no Sertão da Paraíba. Os ladrões explodiram a agência bancária do município e incendiaram um carro em frente a uma igreja. Cerca de dez homens em quatro carros estavam envolvidos no crime.

Depois do assalto, as polícias da região se mobilizaram para prender o bando. A GEOSaC continuou por mais de 80 horas no mato, até que os localizou na região de Catingueira, quando houve o confronto.

O Blog Sidney Silva conseguiu a identificação dos seis homens que morreram. Eles são do Rio Grande do Norte, da Paraíba e de Pernambuco.

Edi Carlos de Lima, o Garrote, de 43 anos, natural de Caraúbas/RN e residente no Sítio Baixa Grande, zona rural, CARAÚBAS-RN;

Fábio Leite de Lacerda, o “FÁBIO GALEGO”, de 44 anos, natural de CATINGUEIRA/PB e residente na Rua Rosilda Gomes Fragoso Albuquerque, 2020, Cuiá, João Pessoa/PB;

Francieudo da Silva Alves, o “Coremas” de 35 anos, natural de Coremas/PB e residente no Sítio Riacho do Meio, zona rural, SANTA CRUZ-PB;

Francisco Humberto Marques da Luz Júnior, o “Orelha”, de 40 anos, natural de Afogados da Ingazeira/PE e residente na Rua José Queiroz, n.º 14 , AFOGADOS DA INGAZEIRA – PE

Pedro Washington Pereira, o “PEDRO CESÁRIO”, de 30 anos, natural de SANTA CRUZ/PB e residente na Rua Luiz Severiano, n.º 20, SANTA CRUZ-PB.

Francileudo de Sousa Torres, o “Boião, de 36 anos, natural de Patos/PB e residente na Rua Francisco Trindade, Alto da Tubiba, PATOS-PB.

INVESTIGAÇÃO

Um grupo composto pelo GAECO do Ministério Público e por agentes das polícias Federal, Civil e PM, dos estados do RN e PB, mobilizado para impedir ataques a bancos e carros-fortes na região, identificou a quadrilha que assaltou o banco em Coremas, como a mesma que agiu com o mesmo modus operandi, recentemente, em Umarizal e Campo Grande no Rio Grande do Norte e, Piancó na Paraíba.

Outra informação que a reportagem teve acesso com uma fonte na Polícia, é que existe uma ligação do bando, já mencionado, com o trio detido no dia 03 de junho deste ano nas imediações de Santa Luzia/PB, com drogas e dinheiro. Na ocasião, foram presos, Huender Regis de Medeiros, de 44 anos, natural de Caicó/RN, Flabson Tairone Gomes, de 23 anos, natural de Caicó/RN e Mauro Félix Ramalho Júnior, de 26 anos, natural de São Bento/PB. Estes, estão detidos à disposição da Justiça.

Eles são do mesmo grupo. Agiam juntos nessa prática de assaltos à banco e carros-fortes. Mas, saibam que nossas ações não pararam. Já desarticulamos boa parte desse pessoal e a investigação continua“, disse a fonte.


Corpo de funcionário morto em acidente na estrada de Ouro Branco/RN é sepultado

Márcio Nóbrega era funcionário público na Paraíba

O corpo do Funcionário Público, Márcio Justino da Nóbrega, de 40 anos, deu entrada no Instituto Técnico-Científico de Perícia – Itep, unidade de Caicó, foi necropsiado e liberado para sepultamento que ocorreu em Várze/PB, sua cidade natal.

Policiais do 3º DPRE de Caicó, atenderam a ocorrência e confirmaram que o carro que era ocupado por Márcio e mais dois amigos, caiu em um açude às margens da rodovia estadual (RN089) entre a cidade de Ouro Branco/RN e a BR 427.

O funcionário público residia na Rua Anísio Marinho, no Centro de Várzea/PB.


Ocorrência de adolescente que morreu com choque elétrico foi registrada em Sousa/PB

A jovem Martha Figueiredo morreu em casa, na cidade de Sousa

O caso da morte de uma adolescente que sofreu choque elétrico supostamente em um aparelho de celular que estava carregando, não aconteceu em Caicó, como muitas pessoas alardearam nas redes sociais neste final de semana.

Em Sousa, no Sertão da Paraíba, no dia 15 de setembro, passado, a adolescente Martha Zanella Alves Figueiredo, de 14 anos, morreu após sofrer uma descarga elétrica dentro de sua própria casa, no Bairro da Estação.

De acordo com sites de notícias de Sousa, o Samu informou que, na verdade, ela sofreu o choque quando tocou em um fio desencapado. Ainda chegou a ser socorrida, mas, não resistiu.


Exibição de programas com alusão ou crítica a candidatos em rádio e TV está proibida até 29 de novembro

Emissoras de rádio e tv estão sob medidas de restrição da Justiça Eleitoral quanto a divulgação de candidatos

A partir do dia 17 de setembro, até o dia 29 de novembro, emissoras de rádio e televisão deverão observar uma série de restrições ao conteúdo que transmitem sobre candidatos, partidos políticos e coligações ou que revele a posição política de eleitores. As restrições estão previstas na Lei das Eleições (Lei nº 9.504/1997) e fazem parte do calendário eleitoral 2020. O não cumprimento das regras pode acarretar a cassação do registro da candidatura, ou do diploma de eleito, por uso indevido dos meios de comunicação.

Durante a vigência do período eleitoral, as emissoras estão livres para organizar debates políticos ou citar candidatos, partidos ou coligações em programas jornalísticos. Mas a exibição de qualquer conteúdo que os mencione ou favoreça – como peças de propaganda política ou novelas, filmes e séries, por exemplo – não é permitida.

Os programas de rádio ou TV que tenham o nome de um candidato ou façam menção a ele não poderão mais ser transmitidos até depois do segundo turno das eleições. Os próprios candidatos que atuavam como apresentadores já estão afastados dos programas desde o dia 11 de agosto.

Por fim, até a data do segundo turno de votação, as emissoras de rádio e televisão não podem mais exibir imagens de realização de pesquisa ou consulta eleitoral em que seja possível identificar o entrevistado, ou que haja algum tipo de manipulação de dados.


Cantor da banda Chicana morre em acidente de carro na Bahia

Tay postou mensagem no Instagram dizendo: “Vou ali e volto já

O cantor da banda baiana Chicana, Tarcísio Freitas de Oliveira, de 36 anos, morreu em um acidente de carro, na tarde deste sábado (19), na BR-116, trecho entre as cidades de Tanquinho e Feira de Santana, a cerca de 100 km de Salvador. A morte de Tay, como era conhecido no meio artístico, foi confirmada ao G1 pela família.

De acordo com Edilson Freitas, irmão mais velho do cantor, Tay voltava da cidade de Candeal, que fica a cerca de 60 km de Feira de Santana, onde o artista morava. O cantor tinha se apresentado no município e retornava para casa quando o acidente aconteceu, por volta das 17h.

Ainda segundo Edilson, Tay tentou desviar de um carro que fazia uma ultrapassagem e o veículo que ele dirigia acabou capotando e saindo da pista. Ele viajava sozinho e morreu no local do acidente.

Carro saiu da pista matando o condutor

Não há informações sobre o condutor do veículo que teria feito a ultrapassagem. O G1 tentou contato com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) para saber mais informações sobre o acidente, mas, até a publicação desta reportagem, não conseguiu.

Uma equipe da Polícia Civil esteve no local do acidente para acompanhar a perícia e o levantamento cadavérico. O corpo de Tay foi levado para Instituto Médico Legal (IML) de Feira de Santana, e foi liberado na noite deste sábado. O local e horário do sepultamento ainda não foram definidos pela família.

Momentos antes do acidente, o cantor Tay postou uma selfie nas redes sociais com a legenda “Vou ali e volto já”. Em seguida, ele postou outra foto dele com parte da letra da música “O que é, o que é”, de Gonzaguinha. O trecho usado pelo cantor diz: “E a vida, e a vida o que é, diga lá meu irmão”. Depois, o artista ainda chegou a postar um vídeo em que mostra a estrada, durante a viagem de volta para casa, e no qual ele deseja bom final de semana aos seguidores.

G1/BA


Polícia apreendeu fuzis e explosivos e recuperou dinheiro roubado por bando em Coremas/PB

Material apreendido pela Polícia foi encaminhado para a Delegacia de Polícia em Patos

Policiais militares do Grupamento Especializado de Operações em Área de Caatinga (GEOsAC) da Paraíba, localizaram na tarde de sábado (19), na zona rural da cidade de Catingueira/PB, seis suspeitos de integrar a quadrilha que explodiu o banco do Brasil da cidade de Coremas, na madrugada da última quarta-feira (16) e, houve confronto. No final, todos os indivíduos morreram.

As equipes estavam na caça ao bando desde o dia do fato, ou seja, há mais de 80 horas.

O bando estava em uma área de mata, na zona rural de Catingueira. Ou seja, a pouco mais de 1 hora da cidade assaltada. Os seis ficaram feridos, foram socorridos para o Hospital Regional de Patos e acabaram morrendo. Nenhum policial foi atingido.

Os suspeitos são naturais das cidades de Coremas, Santa Cruz, Patos e Catingueira, na Paraíba, e Caraúbas, no Rio Grande do Norte. Um dos envolvidos respondia pelo crime de receptação na comarca de Patos e outro possuía um mandado de prisão em seu desfavor. Todos seriam integrantes de uma quadrilha que vinha agindo em vários estados do Nordeste.

Os policiais localizaram todo o arsenal da quadrilha e recuperados R$ 28.435 (vinte e oito mil e quatrocentos reais) que foram levados do banco. Entre as armas usadas pelos criminosos, estavam três fuzis calibre 5.56, um fuzil calibre 7.62 e duas espingardas calibre 12. Também foram apreendidos coletes balísticos.

Desde às 2h da madrugada da quarta-feira (16), quando o ataque ao banco foi registrado, a PM da Paraíba montou um grande cerco em várias cidades do sertão, com a atuação do Grupamento Especializado de Operações em Área de Caatinga (GEOsAC), Grupamento de Ações Táticas Especiais (GATE), Batalhão de Polícia Ambiental (BPAmb), 12º Batalhão e 13º Batalhão, com o auxílio do Grupamento Tático Aéreo (GTA) da Secretaria de Segurança e Defesa Social. Às 13h deste sábado, com o apoio da Polícia Federal e Secretaria de Administração Penitenciária da Paraíba, os responsáveis pela explosão ao banco foram localizados.

Todo o armamento apreendido e valores recuperados foram levados para a delegacia de Polícia Civil, em Patos. As buscas na região continuarão para prender outros possíveis integrantes da quadrilha ou mesmo suspeitos que deram apoio à quadrilha.