Operação Falsos Heróis: PF apreendeu mais de R$ 2,4 mi e prendeu 7 pessoas

A Polícia Federal do Rio Grande do Norte, divulgou o resultado da operação Falsos Heróis, deflagrada nesta terça-feira (27), para fazer cessar as atividades de uma organização criminosa voltada à prática de contrabando de cigarros e produtos falsificados.

O dinheiro apreendido chegou a quantia de R$ 2.427.895,00. Os federais ainda apreenderam, 8 veículos e 6 armas de fogo. Na ação, 7 pessoas foram presas preventivamente, sendo uma delas em flagrante. Um dos alvos não foi localizado.

Dentre os investigados, constam empresários, policiais civis do Rio Grande do Norte, além de um secretário municipal da cidade de Areia Branca/RN.

Cerca de 165 policiais federais foram empregados no cumprimento de 26 mandados de busca e apreensão e 8 de prisão preventiva nas cidades de Areia Branca, Tibau e Mossoró, no Rio Grande do Norte; Belém e Ananindeua no Pará e em São Paulo (capital). Também foi determinado o cumprimento de medidas cautelares diversas da prisão com relação a outros nove investigados, bem como o sequestro judicial de 22 contas bancárias.

As diversas diligências realizadas no curso da investigação permitiram identificar a existência de uma organização criminosa bem estruturada, cujo modus operandi consiste no transporte naval de produtos contrabandeados (cigarros, vestuário e equipamentos eletrônicos falsificados) com origem no Suriname, os quais são internalizados de forma clandestina em pontos da costa dos municípios potiguares de Areia Branca, Porto do Mangue e Macau, sendo posteriormente transportados para diversos estados, principalmente São Paulo, onde são comercializados em locais notadamente conhecidos por esta prática.

*O nome “Falsos Heróis” faz referência ao batismo das embarcações utilizadas para o transporte de mercadorias contrabandeadas (Ex: Thor, Hulk e Capitão América), bem como ao envolvimento de policiais civis que atuavam principalmente fornecendo segurança às operações logísticas de transbordo e transporte dos produtos contrabandeados.


Candidato a prefeito de João Dias/RN é conduzido a Delegacia

Polícia aborda o candidato a prefeito e o conduz a Delegacia

O candidato a prefeito da cidade de João Dias/RN, Marcelo Oliveira (PP), e alguns dos auxiliares, inclusive um advogado, foram conduzidos à Delegacia Regional de Alexandria-RN, na tarde desta segunda-feira (26).

O Blog Sidney Silva conseguiu apurar que policiais do Bope, receberam informação sobre o suposto paradeiro de Damária Jácome de Oliveira (PP), de 31 anos. Ela poderia estar dentro do carro de Marcelo em movimentação política que ele realizava. Quando os policiais chegaram, encontraram o carro e dentro estava uma mulher que não era Damária. Porém, o veiculo estava cadastrado no nome dela.

A advogada Damária Jácome, que está foragida, é filha do vereador, Laete Jácome, que foi preso em operação do Deicor.

Na casa de Laete Jácome, no dia de sua prisão, também foi detido, o traficante Carlos André, que é casado com uma das filhas de Jácome.

As pessoas que estavam na movimentação política nesta segunda-feira, em João Dias, foram conduzidas para a Delegacia de Alexandria.

Os seguidores e apoiadores do candidato o seguiram e lá fizeram protestos para que a Polícia o soltasse. O caso foi resolvido e Marcelo foi solto.

A presidente da OAB, em Pau dos Ferros, Lidiane Dias, se deslocou também para Alexandria, para acompanhar o caso da condução do advogado de Marcelo Oliveira, também conduzido.

*Com informações do Mossoró Hoje


MPF denuncia empresários potiguares por evasão de mais de 5 milhões de dólares

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou os empresários Fernando Luiz Altino de Paiva, João Maria Vidal de Lima e Francisco de Assis Araújo, conhecido como “Ticão”, por evasão de divisas. Eles enviaram ilegalmente para o exterior 5,2 milhões de dólares, utilizando documentos falsos para simular importações de produtos de informática.

Os três administravam, de fato, a Campos Informática Ltda. – localizada em Natal – e cometeram os crimes entre agosto de 2010 e março de 2011. Um deles, o “Ticão”, já foi condenado duas vezes por crime contra o sistema financeiro nacional e chegou a ser preso preventivamente na “Operação Testamento”.

Continue lendo

PF apreende armas, munições e dinheiro na Operação Falsos Heróis

Escopeta de calibre 12, munições e pistolas apreendidas pela Polícia Federal

A Polícia Federal, com apoio da Receita Federal do Brasil e da Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública (SEOPI), deflagrou na manhã desta terça-feira (27), em Mossoró/RN, a Operação Falsos Heróis, que investiga as atividades de organização criminosa voltada à prática de contrabando de cigarros e produtos falsificados.

Cerca de 165 policiais federais estão cumprindo 26 mandados de busca e apreensão e 8 mandados de prisão preventiva nos estados do Rio Grande do Norte (Areia Branca, Tibau e Mossoró), Pará (Belém e Ananindeua) e São Paulo (capital), além de ter sido determinado o cumprimento de medidas cautelares diversas da prisão com relação a outros nove investigados, bem como o sequestro judicial de 22 contas bancárias.

As diversas diligências realizadas no curso da investigação permitiram identificar a existência de uma organização criminosa bem estruturada, cujo modus operandi consiste no transporte naval de produtos contrabandeados (cigarros, vestuário e equipamentos eletrônicos falsificados) com origem no Suriname, os quais são internalizados de forma clandestina em pontos da costa dos municípios potiguares de Areia Branca, Porto do Mangue e Macau, sendo posteriormente transportados para diversos estados, principalmente São Paulo, onde são comercializados em locais notadamente conhecidos por esta prática.

Somente entre os anos de 2018 e 2019, a Orcrim movimentou cerca de 185 milhões de reais, revelando a alta lucratividade da empreitada criminosa.

Dentre os investigados, constam empresários, policiais civis do Rio Grande do Norte, além de um secretário municipal da cidade de Areia Branca/RN.

Os crimes imputados são os de contrabando qualificado (art. 334-A, §3º, CP) e organização criminosa armada (art. 2º, § 2º, e § 4º, incisos II e V, da Lei 12.850/2013), cujas penas, somadas, podem ultrapassar a 23 (vinte e três) anos de prisão.

*O nome “Falsos Heróis” faz referência ao batismo das embarcações utilizadas para o transporte de mercadorias contrabandeadas (Ex: Thor, Hulk e Capitão América), bem como ao envolvimento de policiais civis que atuavam principalmente fornecendo segurança às operações logísticas de transbordo e transporte dos produtos contrabandeados.


Jornalista é sequestrado de dentro da própria casa em Boa Vista

Jornalista Romano dos Anjos foi sequestrado nesta segunda, dia 26

O jornalista Romano dos Anjos, de 40 anos, foi sequestrado na noite desta segunda-feira (26), do bairro Aeroporto, zona Norte de Boa Vista. Segundo a Polícia Militar, ele estava em casa, jantando com a esposa, quando três homens armados e encapuzados entraram no imóvel.

Inicialmente, ainda segundo a PM, os bandidos procuraram por dinheiro. Depois, eles deixaram a esposa do jornalista amarrada dentro da casa e levaram Romano no próprio carro. O crime foi por volta de 20h40.

O veículo do jornalista foi encontrado minutos depois queimando na BR-174, antes da ponte do Rio Cauamé, sentido Norte.

Continue lendo