Acusado de matar paciente no Hospital Psiquiátrico em Caicó, será julgado dia 14

Está marcada para acontecer na próxima terça-feira (14), a Sessão do Júri Popular, que vai julgar o réu Paulo César de Araújo, um dos acusados da morte do paraibano Sandro Costa Fragoso, crime ocorrido no interior do antigo Hospital Psiquiátrico Milton Marinho, no dia 17 de julho de 2002, em Caicó.

A Sessão do Júri em questão já foi adiada outras vezes e a última foi porque, uma das testemunhas do caso, tentou dar fim a sua vida. O ex-paciente do referido hospital, Rogério Silva de Macedo, tentou se matar na manhã do sábado, 13 de dezembro de 2014, em uma apartamento na cidade de Cruzeta/RN. Antes ele ligou para este radialista (Sidney Silva) e afirmou que iria dar cabo da própria vida sob a alegação “de estar sofrendo pressões”. Outra motivação, é “que necessitava de apoio psicológico”, o que lhe teria sido negado pela Justiça. “Eu estou sofrendo pressões de pessoas ligadas ao Hospital Milton Marinho. Em novembro, no dia que o júri foi adiado, eu fui ameaçado de morte dentro do Fórum, por um ex-enfermeiro do hospital. A Justiça já sabe disso”, relatou.

O juiz criminal de Caicó, Luiz Cândido de Andrade Villaça, pronunciou para ir a julgamento popular, o réu Paulo César de Araújo. No mesmo processo ainda figuram como réus: Nilton Bezerra de Medeiros e José Maria dos Santos. Com relação a esses dois, o juiz julgou extinta a punibilidade por motivos previstos no artigo 107, inciso IV do Código Penal (pela prescrição, decadência ou perempção). No caso de Paulo César, ele será julgado por homicídio qualificado previsto no artigo 121, parágrafo 2º e inciso 3º do Código Penal – Matar alguém: Se o homicídio é cometido: com emprego de veneno, fogo, explosivo, asfixia, tortura ou outro meio insidioso ou cruel, ou de que possa resultar perigo comum.

O promotor Geraldo Rufino de Araújo Júnior, vai atuar na acusação, enquanto o advogado Francisco das Chagas Medeiros, vai fazer a defesa do réu.