Advogados querem anulação do auto de prisão em flagrante de colega detido em Caicó

Um grupo de advogados caicoenses tendo a frente o conselheiro estadual da OAB, Francisco das Chagas Medeiros, está ingressando na tarde deste domingo (21), com pedido de anulação do auto de prisão em flagrante feito contra advogado, Luiz Antônio Holanda. Ele foi detido na noite de sábado (20), por policiais militares e depois recebeu voz de prisão do delegado Marcos Vinicius dos Santos, em Caicó.

De acordo com o delegado, o advogado Luiz Antônio, foi autuado por crime de corrupção ativa. Ele teria vindo de Mossoró, para fazer o pagamento de 800 reais para policiais militares (como forma de suborno) para conseguir a liberdade de Rodrigo Batista Porto, preso na cidade de Jardim de Piranhas, quando tentava instalar equipamentos que roubam dados de contas bancárias de pessoas, também conhecido como “Chupa Cabra”.

Os advogados que pleiteiam a liberdade de Luiz Antônio, afirmam que sua detenção foi completamente ilegal, haja vista, a necessidade da presença de um representante da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB, mediante comunicado a Subseção local, porque é fato relacionado ao exercício da profissão.

O pedido de anulação é encaminhado para o  juiz de plantão na comarca de Caicó.