Atraso em repasse deixa 500 crianças especiais sem atendimento na AACD de Campina

AACD de Campina Grande sem funcinamento
AACD de Campina Grande sem funcinamento

Do Portal Correio – O atraso no repasse financeiro da Prefeitura de Campina Grande deixou mais de 500 crianças sem atendimento na Associação de Assistência à Criança Deficiente – AACD nessa terça-feira (17). A prefeitura da cidade informou, por meio de nota, que está resolvendo o impasse.

A informação sobre a falta do repasse foi divulgada através de página da AACD no Facebook. De acordo com a mensagem, as atividades foram paralisadas e estariam aguardando os repasses financeiros da Prefeitura Municipal de Campina Grande, ou seja, o retorno às atividades e o atendimento às crianças portadoras de necessidades especiais assistidas estariam dependendo da atualização desses recursos.

Após a postagem, centenas de pessoas se manifestaram em protesto, mostrando-se indignadas com a situação da entidade e de seus usuários. Após cinco horas, cerca de 350 pessoas haviam compartilhado e dezenas de comentários foram postados, a maioria lamentando o fato.

A assessoria de comunicação da AACD informou ao Portal Correio, que a página do Facebook não é a oficial, mas foi criada e é gerenciada por um pai de um usuário da entidade. Segundo a instituição, a publicação nas redes sociais está sendo feita pelos pais que estão se sentindo prejudicados com a situação.

A AACD, ainda através da assessoria de comunicação, confirmou que o fechamento da unidade ao atendimento ocorreu por falta de repasse de recursos do Sistema Único de Saúde (SUS) que deve ser encaminhado à entidade através da Prefeitura de Campina Grande.

A entidade disse ainda que os pais ficaram mobilizados e a instituição entende a manifestação e que está tentando um acordo com a Prefeitura de Campina Grande e com a Câmara de Vereadores do Município para que o repasse seja restabelecido e a entidade volte a atender a população.

Questionado sobre o que teria motivado a ausência do repasse, a assessoria da AACD disse que a entidade não foi informada sobre o motivo nem sobre prazo para a normalização dos repasses.