Audiência pública na Assembleia vai debater situação das UTIs infantis no RN

Audiência pública na Assembleia vai debater situação das UTIs infantis no RN
Audiência pública na Assembleia vai debater situação das UTIs infantis no RN

Uma audiência pública na Assembleia Legislativa vai discutir nesta segunda-feira (20), a partir das 9 horas, no auditório Deputado Cortez Pereira, a situação das UTIs infantis no Estado e o déficit de mais de 200 leitos para crianças entre 0 a 14 anos. A proposição é da deputada estadual Márcia Maia (PSDB), presidente da Frente Parlamentar Estadual da Criança e do Adolescente na Casa, com apoio do Projeto Criança Viva.

Vamos trazer a discussão para o âmbito estadual, aprofundar o debate e procurar as soluções imediatas para a questão. É uma situação grave e que exige atenção urgente. Pretendemos identificar as unidades fechadas por falta de estrutura ou profissionais e pontuar os desafios“, afirma a parlamentar.

Um leito de UTI é suficiente para salvar 40 crianças por ano, contudo, o Rio Grande do Norte detém atualmente apenas 103 leitos neonatais entre hospitais públicos e privados, enquanto a quantidade de leitos pediátricos é de apenas 40 para cerca de 800 mil crianças no total.

Os números contrariam a orientação da Sociedade Brasileira de Pediatria, que indica a necessidade de quatro leitos neonatais para cada mil crianças nascidas vivas. Já a orientação para UTIs pediátricas é de no mínimo três leitos para cada 10 mil crianças entre 0 e 14 anos.

O anestesiologista e coordenador do movimento Criança Viva, Madson Vidal, fará a exposição do quadro geral e a expectativa é de que a audiência possa sinalizar soluções em curto, médio e longo prazo para o déficit de leitos, falta de profissionais e de infraestrutura das Unidades de Tratamento Intensivo Neonatal e Pediátricas no RN.

A audiência reunirá representantes do Legislativo, Governo do Estado, Municípios, classe médica, além da OAB, Ministério Público, Defensoria Pública, AMICO, GACC, Instituto do Bem, Rotary Clube, Pastoral da Criança, e membros da sociedade civil organizada.