Caicó: Comerciantes da Praça José Augusto rechaçam licitação

Os comerciantes que ocupam quiosques na Praça de Alimentação no Centro de Caicó, emitiram uma nota nesta quinta-feira (12), se dizendo contrários aos termos da licitação realizada pelo Poder Executivo Municipal, para a escolha dos ocupantes dos espaços em destaque. Para eles, “o certame traz sérios e irreparáveis danos e prejuízos aos comerciantes e a comunidade“. Quem assinou a nota foi Stênio Guy Saturnino Santos, representante dos comerciantes da Praça.

Quiosques da Praça de Alimentação (FOTO: Walter Leite)
Quiosques da Praça de Alimentação (FOTO: Walter Leite)

A Praça, atualmente possui 22 quiosques, sendo que 6, já foram irregularmente vendidos ou alugados. “Então que os vendedores e os compradores dos quiosques resolvam suas situações irregulares já que os outros 16 comerciantes estão legalmente estabelecidos há mais de 15 anos em seus treillers. Após a construção dos equipamentos foi celebrado um acordo de permissão  de uso, sem licitação, com o Ministério Público e o Município. Cabe ao Município, fiscalizar a ocupação dos espaços públicos, punindo os que não estiverem de acordo com a lei e jamais querer jogar a carga nas costas dos comerciantes legalmente em dia com suas obrigações. Queremos da parte do Município, incentivos e não mais impostos, pois a carga tributária está insuportável. Somos mulheres e homens empreendedores de bem, só queremos trabalhar para educar nossas famílias honestamente“, destacam.

Os comerciantes, lembram a luta diária para fazer funcionar seus estabelecimentos, tendo que ficar com os quiosques abertos até de madrugada, todos os dias. “Os comerciantes vem, sacrificadamente, há mais de 15 anos, trabalhando das 15hs da tarde às 3 horas da manhã, de segunda a segunda, gerando emprego e renda para a nossa cidade inclusive tendo seus impostos todos em dia“, afirmam.

Por fim, reafirmam: “Não aceitamos licitação, mas, sim, a continuidade do termo de permissão de uso“.