Campanha da Fraternidade é lançada na Diocese de Caicó

Foi lançada oficialmente na noite desta sexta-feira (03), em evento no Centro Pastoral Dom Wagner, em Caicó, a Campanha da Fraternidade 2017, no âmbito do Regional Nordeste II da CNBB. A cidade de Caicó/RN, foi escolhida para sediar o lançamento da 53ª Campanha da Fraternidade. O regional corresponde aos estados de Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte.

Dom Fernando Saburido, presidente do Regional Nordeste II – (Fotos: Sidney Silva)

O lançamento aconteceu aqui em Caicó, pelo fato da cidade está localizada bem no sem-árido nordestino, então é uma Diocese que tem uma experiência de preservação. “O objetivo da campanha, é provocar o debate, motivar as pessoas a levar esse assunto para as escolas, universidades, famílias, grupos e associações. A intenção é multiplicar e suscitar nas pessoas o desejo de se preocupar com o meio ambiente, com a preservação do planeta. Nós sabemos que a Caatinga é uma riqueza. É um Bioma que é unicamente brasileiro. Existe um fato de que na seca parece estar tudo morto, mas, quando chove, ela reaparece, de modo que precisa-se acreditar no valor da caatinga e procurar fazer experiências positivas“, disse Dom Fernando Saburido, bispo da Diocese de Olinda e Recife e presidente do Regional Nordeste II da CNBB.

A abertura aconteceu nesta sexta-feira (03), às 19hs com uma uma mesa redonda onde houve apresentação do tema da CF 2017 e apresentação da experiência de preservação da Caatinga da comunidade Trangola e do Povoado Cruz de Currais Novos.

Neste sábado, (04), às 10hs, no Assentamento Trangola, em Currais Novos, haverá Missa de lançamento da CF 2017.

O tema da CF 2017, é, “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida” e  o Lema: “Cultivar e guardar a criação” (Gn 2,15).

Dom Lucena, é Secretário do Regional Nordeste II

O bispo da Diocese de Nazaré da Mata, em Pernambuco, Dom Francisco de Assis Dantas de Lucena, afirmou que no semi-árido já se percebe uma certa mudança de mentalidade quanto, por exemplo, quanto ao desmatamento. “A Campanha da Fraternidade se tornou nacional em 1964 e muitos temas já foram abordados focalizando o meio ambiente, inclusive, a parte de reflorestamento. Nós temos também visto ao longo dos anos, mudanças na vida das pessoas. Exemplo: A cerâmica, que requer muita lenha, muita madeira, já emprega muita gente, mas, nós queremos ver o reflorestamento das matas, mas, essa campanha vai muito mais além. Ela abraça ainda a questão do saneamento básico, que foi abordado na campanha passada, a questão da revitalização do Rio São Francisco, como também a Mata Atlântica e abrir uma discussão sobre o uso das energias Eólicas e Solar“, disse Dom Lucena ao Blog Sidney Silva.