Meteorologista Luiz Carlos Molion reafirma que 2018 terá bom inverno no Nordeste

Professor Luiz Carlos Molion reafirma inverno bom em 2018

O meteorologista, Luiz Carlos Molion, conversou com o Blog Sidney Silva na manhã desta sexta-feira (20), e reafirmou o que já tinha dito sobre a probabilidade de que o ano de 2018, seja de bom inverno. Ele disse que está em atuação, o fenômeno La Ñina que é o resfriamento das águas do Oceano Pacífico. “Quando temos uma La Ñinha forte, temos chuvas no Nordeste. Esse fenômeno começou a se instalar no mês de agosto e pelos dados da semana passada, indicam que praticamente, mais da metade do Pacífico, inclusive, algumas regiões estão 3 ou 4 graus a baixo da média, ou seja, está bem frio”, disse.

Ouça o áudio da entrevista:




São José do Seridó é banhada por chuva nesta quarta; Veja vídeo

A população da cidade de São José do Seridó/RN, foi surpreendida na tarde desta quarta-feira (18), com uma chuva. Os relatos dão conta que a precipitação não foi tão forte, mas, fato de já fazer alguns meses que não se registrava uma chuva por esses lados, encheu de esperança a população local.

A Emparn que também monitora as chuvas no Rio Grande do Norte, informa que em São José do Seridó, a última chuva caiu no dia 22 de julho deste ano, quando foram registrados 11 milímetros. De janeiro até este dia 18 de outubro, choveu na cidade, 404.9mm.

Veja o vídeo feito pelo morador de São José do Seridó, Carlos Alberto:



Marinha emitiu alerta ressaca no mar entre a Bahia e o RN

A Marinha do Brasil emitiu um alerta para ondas que podem chegar a 3 metros de altura entre a praia de Touros, no litoral Norte potiguar, e Porto Seguro, na Bahia. A ressaca começou no final de semana e deve se estender até a 0h de amanhã quarta-feira, dia 2 de agosto.

A Capitania dos Portos recomenda que as embarcações de pequeno porte evitem navegar no mar neste período e que as demais embarcações redobrem a atenção quanto ao material de salvatagem, estado geral dos motores e casco, bomba de esgoto do porão, equipamentos de rádio e demais itens de segurança.

Outras informações sobre previsões meteorológicas estão disponíveis no site do Centro de Hidrografia da Marinha.



EMPARN prevê chuvas para os próximos dias

EMPARN prevê chuvas para os próximos dias

As instabilidades oceânicas, os ventos úmidos e a atuação da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) vão provocar mais chuvas no Rio Grande do Norte nos próximos dias. De acordo com o meteorologista Gilmar Bristot, da Gerência de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), as precipitações devem ocorrer com intensidade maior nas regiões Leste e Agreste até por volta da quinta-feira, 1º de junho.

Das 7h do dia 26 às 7h desta segunda-feira, dia 29 de maio, os pluviômetros monitorados pela EMPARN em todo o estado registraram chuvas em 51 postos. O acumulado é o seguinte: Na mesorregião Oeste, choveu em Viçosa, 78,0 milímetros (mm); Rafael Fernandes, 62,0mm; São Francisco do Oeste, 55,6mm; São Rafael, 47,8mm; Serrinha dos Pintos, 35,0mm; Felipe Guerra, 29,0mm e Mossoró, 27,1mm. Choveu ainda em Apodi, 24,0mm; Umarizal, 20,0mm, Baraúna, Lucrécia, Antonio Martins, João Dias, Rafael Godeiro e Patu. Na mesorregião Central, choveu em Guamaré, 38,3 milímetros (mm); Pedro Avelino, 20,6mm; Acari e São Vicente 19,1mm, em cada, e ainda em Florânia, Lajes, Fernando Pedroza, Angicos e Lagoa Nova, entre outros municípios.

Na mesorregião Leste, choveu em Canguaretama (Emater/Barra de Cunhau), 83,2mm; São José do Mipibu, 35,2mm; Senador Georgino Avelino, 31,5mm; Natal, 14,0mm; Montanhas, 11,2mm; Parnamirim(Base Física da EMPARN), 10,8mm e Baía Formosa. Choveu ainda em São Gonçalo do Amarante, Taipu, Goianinha e  Ceará-Mirim.  Na mesorregião Agreste, choveu mais forte em Rui Barbosa, São Tomé, Bom Jesus, Jaçanã e Japi.



Depois de fortes chuvas, Governo de Pernambuco decreta estado de calamidade em 13 cidades

Cheia em Barra de Guabiraba foi uma das maiores no Estado – (Foto: Mário Flávio/G1)

Do G1/PE – O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), anunciou, neste domingo (28), estado de calamidade em 13 municípios por conta das fortes chuvas que castigam o Agreste e Zona da Mata Sul. As cidades são: Rio Formoso, Ribeirão, Água Preta, Palmares, Catende, Maraial, Belém de Maria, Barreiros, Amaraji, Barra de Guabiraba, São Benedito do Sul, Cortês e Jaqueira.

Até o momento, Pernambuco registra 5 mil desabrigados. O governo do estado já considerada essa a pior chuva desde a de 2010, que assolou cidades como Barreiros.

Instalamos, na manhã de hoje, o gabinete de crise para o monitoramento da situação e para tomar todas as medidas necessárias. Para ter ideia da gravidade. Aquelas chuvas de 2010, que trouxe tanta destruição para as cidades da Mata Sul, em três dias corresponderam um acumulado de 180 milímetros. Essa, em dois dias, já atingiu 140 milímetros“, pontuou o governador. Ele irá sobrevoar as cidades atingidas ainda na tarde deste domingo.



Sexta-feira (19) teve registro de chuva na região de Caicó

Chuva foi registrada em Caicó

Na noite desta sexta-feira (19), foi registrada chuva na região de Caicó. Os institutos de meteorologia informavam que não havia previsão de chover.

Confira alguns registros:

Conjunto Casas Populares (Caicó): 22mm; Bairro Paraíba (residência de Zé Preto ao lado da IV Ursap): 18mm; Granja Santa Izabel (Caicó): 15mm; Sitio Carrapateira (Caicó): 16mm; Sitio Saquinho (Caicó): 35mm; Sítio Bom Jesus (Caicó): 27mm; Sítio Cachoeirinha (Distrito da Palma): 55mm; Bairro Barra Nova (Caicó): 18mm e Lagoa do Meio (Caicó): 18mm.



EMPARN prevê chuvas para os próximos dias

EMPARN prevê chuvas para os próximos dias

Com a instabilidade oceânica do leste e a atuação da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), a Gerência de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), está prevendo mais chuvas em quase todo o Rio Grande do Norte, pelo menos até a próxima quinta-feira (11). As ocorrências estarão concentradas, principalmente, nas regiões Agreste e Leste, por ser um período típico de chuvas que se prolonga até julho. Ao todo, foram 50 pluviômetros com registros de chuvas.

Da manhã de sexta-feira (5) até a manhã desta segunda-feira (8), foram registradas boas chuvas em vários municípios. O boletim pluviométrico apurou que as precipitações mais fortes caíram nos municípios de Senador Georgino Avelino, 109,6 milímetros(mm); Extremoz, 104,7mm; Parnamirim (Base Física da EMPARN),  82,0mm  e Natal, 75,2mm.

Choveu ainda no Oeste em Apodi, 23,0 mm; Serrinha dos Pintos, 10mm; Janduís, 3,8mm e também nos municípios de São Francisco do Oeste, Assu, Severiano Melo, Jucurutu, São Rafael, Campo Grande, Olho D’Agua dos Borges e Felipe Guerra. No Seridó, choveu em Carnaúba dos Dantas, 32,7mm; São Vicente, 23,5mm; Caicó (Açude Mundo Novo-EMPARN), 12,0mm; Florânia, 10,5mm e ainda em São Fernando.

No Agreste e no Leste, choveu em Boa Saúde, 39,2mm; Santo Antonio, 22,8mm; Nova Cruz, 18,0mm, Rui Barbosa, 15,9mm; Santa Maria, 15,0mm e São Pedro, 13,5mm. Choveu ainda em Bento Fernandes, São Tomé, Bom Jesus, Tangará, Taipu, Ceará- Mirim, Canguaretama, Espírito Santo, São José de Mipibu, Maxaranguape, São Gonçalo do Amarante Goianinha e Montanhas.




Chuvas registradas em Caicó seguem sendo irregulares

Chuvas irregulares em Caicó durante 3 anos seguidos

As chuvas que foram registradas no Rio Grande do Norte em 2017, até este mês de abril, não foram suficientes para que os reservatórios que abastecem às cidades tivessem a recarga de seus volumes. As chuvas foram, até aqui, irregulares. O meteorologista, Luiz Carlos Molion, anunciou no Blog Sidney Silva, que seria assim.

Fazendo uma pesquisa no site da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte, constatamos que os registros de 2017 estão bem a baixo dos anos de 2015 e 2016. É bom lembrarmos que estamos apenas no mês de abril.

Vejam os dados de registro de chuvas em Caicó fornecidos pela Emparn:

De Janeiro a Dezembro de 2015:

6º BPM – 289,2mm

Açude Mundo Novo – 301,8mm

Distrito da Palma – 25,0mm

Itans – 319,6mm

Emater – 381,8mm

Distrito de Laginhas – 0,0mm

De Janeiro a Dezembro de 2016:

6º BPM – 497,6mm

Açude Mundo Novo – 365,8mm

Distrito da Palma – 0,0mm

Itans – 535,0mm

Emater – 562,1mm

Distrito de Laginhas – 0,0mm

De Janeiro a Abril de 2017:

6º BPM 117,0mm

Alude Mundo Novo – 372,1mm

Distrito da Palma – 4,4mm

Itans – 434,1mm

Emater – 190,8mm

Distrito de Laginhas – 7,4mm



EMPARN marca presença na Caprifeira de São Paulo do Potengi

De 21 a 23 de abril, a Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN) dará início à participação no Circuito Estadual de Exposições Agropecuárias, coordenado pela Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e da Pesca, em parceria com as prefeituras e associações de criadores. A estreia neste 2017 será na 20ª Exposição Agropecuária do Potengi (ExpoPotengi), no Centro de Exposições Francisco Bezerra de Brito, em São Paulo do Potengi.

No estande da EMPARN o visitante encontrará amostras de vários produtos como sementes de milho, feijão e sorgo e mudas de coqueiro para distribuição gratuita, além de mudas de bananeira para exposição. Ao longo do evento também serão distribuídas 1200 raquetes de palma forrageira, sendo 600 do tipo orelha de elefante e 600 miúdas. Para comercialização, 200 pintos de um dia, ao custo de R$ 2,00 a unidade. Nos currais, a EMPARN vai expor exemplares das raças bovinas Gir, Pardo Suíço e Guzerá, além de ovinos e caprinos das raças Canindé e Morada Nova.

PALESTRA

Entre as atividades voltadas para a transferência de tecnologia, a EMPARN participa de um curso para 20 agricultores familiares sobre palma forrageira, adensada e irrigada. A palestra acontece sexta-feira (21) e será ministrada pelo zootecnista e especialista no tema, José Tiago Aires de Souza. No sábado, o pesquisador da EMPARN também participa de um Dia de Campo realizado em parceria com a Emater.



EMPARN registra boas chuvas na Semana Santa

O boletim pluviométrico da Gerência de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN) trouxe o registro de boas chuvas em todas as regiões do estado no acumulado da manhã da última quinta-feira (13) até a manhã desta segunda-feira (17). Choveu Em 78 dos pluviômetros monitorados, com precipitações mais fortes em municípios das regiões Central e Agreste.

Na mesorregião Oeste, choveu em Areia Branca, 34,4 milímetros(mm); Campo Grande, 31,4mm; Assu, 30,0mm; São Rafael, 28,8mm; Gov. Dix-sept Rosado, 13,4mm; Baraúna, 12,1mm; Frutuoso Gomes, 12,0mm e ainda em Rodolfo Fernandes, Viçosa, Messias Targino, Ipanguaçu, Pau dos Ferros, Riacho de Santana, Umarizal, entre outros municípios.

Na mesorregião Central, choveu mais forte em Santana do Matos, 57,0mm; Equador, 37,5mm; Ouro Branco, 33,0mm; São Bento do Norte, 33,0mm; São Vicente, 32,5mm; Caicó, 29,4mm; São Fernando, 24,4mm; Timbaúba dos Batistas, 22,5mm; Florânia, 22,0mm; São João do Sabugi, 22,0mm; Pedro Avelino, 18,4mm; Cerro Corá, 16,3mm e Lajes, 16,0mm. Choveu ainda em Jardim do Seridó, Caiçara do Rio dos Ventos, Acari, Guamaré, entre outros.

No Agreste, choveu mais forte em Vera Cruz, 63,7mm; Serrinha, 28,6mm; Boa Saúde, 25,4mm; Jaçanã, 25,2mm; Monte das Gameleiras, 21,0mm e ainda em Parazinho, Bento Fernandes, Sitio Novo, Santa Maria, Tangará, João Câmara e Rui Barbosa. No Leste, choveu em São Gonçalo do Amarante, 54,5mmn; Goianinha, 54,3mm; Natal, 44,7mm; Maxaranguape, 28,0mm; Pureza, 23,9mm e Montanhas, 21,5mm. Choveu ainda em Senador Georgino Avelino, Espírito Santo, Extremoz e Canguaretama.



EMPARN prevê boas chuvas durante a Semana Santa

Chuvas foram registradas no estado – (Foto: Wllana-Dantas)

A Gerência de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), com base em imagens do satélite meteorológico, mantém para os próximos dias a previsão de boas chuvas em várias regiões do Estado. Há uma probabilidade de pancadas de chuvas mais fortes no próximo sábado (15), segundo o meteorologista Gilmar Bristot.

As condições continuam favoráveis à ocorrência de chuvas durante a Semana Santa, com pancadas à noite e nas madrugadas, como já vem ocorrendo nos últimos dias, por conta da instabilidade elevada e de outros fatores, como a presença da Zona de Convergência Intertropical. A partir do domingo, 16 de abril, a previsão é que a intensidade diminua.

REGISTRO

Nas últimas 24 horas, desde a manhã de terça-feira até a manhã desta quarta-feira (12), choveu forte em vários municípios da mesorregião Oeste. Fortes chuvas registradas em 74 postos pluviométricos, com destaque para os municípios de Apodi (Base Física EMPARN), com 86,6 milímetros (mm); Felipe Guerra, 80,0mm; Severiano Melo, 62,0mm; Janduís, 52,0mm; João Dias, 43,0mm; Olho D’agua Dos Borges, 43,0mm; Rafael Fernandes, 42,0mm; Rodolfo Fernandes, também 42,0mm; Upanema, 25,5mm e Martins, 25,0mm. Choveu ainda em São Miguel, Itajá, Umarizal, Frutuoso Gomes, entre outros municípios.

Na mesorregião Central choveu mais forte em Acari, 51,7mm; São João do Sabugi, 50,0mm; Pedro Avelino, 42,5mm; Caicó (Açude Mundo Novo-EMPARN), 41,0mm; São Fernando, 39,0mm; Cruzeta, 32,6mm; Parelhas, 24,3mm; Lagoa Nova, 24,0mm; São José do Seridó, 23,0mm; Jardim do Seridó, 20,8mm; Caicó (Açude Itans), 20,3mm e ainda em Florânia, Carnaúba dos Dantas, Cerro Corá, São Vicente, Ouro Branco e Lajes.

No Agreste e Leste do Estado, choveu em Nova Cruz, 31,5mm; Vera Cruz, 23,8mm; Bento Fernandes, 22,0mm e ainda em Santo Antonio, Monte Alegre, Santa Maria, Boa Saúde, Parazinho e Serrinha. Choveu ainda em Espírito Santo, Senador Georgino Avelino, Maxaranguape, Taipu, Montanhas, São Gonçalo do Amarante,  Parnamirim e Extremoz.



EMPARN investe nas estações experimentais

EMPARN investe nas estações experimentais

Com o objetivo de fortalecer a atuação voltada para a agricultura familiar, a Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN) vem realizando investimentos em suas bases experimentais espalhadas por quase todas as regiões do estado. São nessas estações de pesquisa que a empresa desenvolve o cultivo de sementes certificadas, de grãos, frutas e a criação de animais bovinos, caprinos, e ovinos, além do projeto da ave caipira.

Nas bases localizadas no Vale do Assu, em Ipanguaçu e no Distrito de Irrigação do Baixo Assu (DIBA), por exemplo, a empresa estadual de pesquisa vem realizando o plantio de sorgo forrageiro, variedade Ponta Negra, de elevada produtividade de sementes certificadas, mesmo com escassez hídrica, além de utilizar a palhada ou restolho para a produção de silagem que alimenta os animais do seu rebanho.



EMPARN prevê chuvas mais intensas até o fim de março

Gilmar Bristot prevê chuvas ainda em Março – (Foto: Sidney Silva)

Para os próximos dias – fim de março e início de abril – o setor de meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), prevê o retorno de chuvas mais intensas, principalmente por conta da mudança de estação. Nesta segunda-feira, por volta das 7h29, aconteceu o equinócio de outono.

As chuvas tem caído com menos intensidade nos últimos dias em quase todo o estado, mas a regularidade continua. No último domingo, Dia de São José, há registros de precipitações na parte da tarde na região do Vale do Assu e Serra de Santana

Analisando as condições climáticas, com base nos modelos e nas imagens do satélite meteorológico, o gerente da meteorologia, Gilmar Bristot, prevê chuvas mais concentradas com a melhora das condições de instabilidade, principalmente com a umidade mais elevada e as águas superficiais mais frias no Pacífico Equatorial. A previsão deve se confirmar também com as condições favoráveis do Oceano Atlântico e com a presença da Zona de Convergência Intertropical.

ANÁLISE

Para a análise e previsão da próxima quadra chuvosa de abril a junho, o gerente de Meteorologia da EMPARN, Gilmar Bristot, estará amanhã em Recife participando da reunião dos meteorologistas do Nordeste e de instituições nacionais, na Agência Pernambucana de Meteorologia (APAC). A previsão será focada no Leste da região Nordeste, que inclui todo o litoral entre o Rio Grande do Norte e Alagoas. Na próxima quinta-feira, Gilmar Bristot fará uma palestra na Escola de Governo, no Centro Administrativo, dentro da Semana da Água, para falar sobre as previsões climáticas, já com os dados da reunião de Recife.