EUA anunciam novas sanções contra Venezuela após reeleição de Maduro

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou hoje (21) um decreto executivo em que proíbe indivíduos ou entidades agindo nos Estados Unidos de comprar dívidas do governo venezuelano, assim como bens dados em garantia de empréstimos. O decreto passa a valer a partir desta segunda-feira. O presidente Nicolás Maduro foi reeleito com 6,1 milhões de votos e mais de 50% de abstenção.

Continue lendo



Facebook remove 2,5 milhões de posts com discurso de ódio em 6 meses

Facebook remove posts de ódio

O Facebook retirou do ar 2,5 milhões de publicações que foram identificadas como contendo discurso de ódio no primeiro semestre do ano. A informação foi divulgada no relatório de transparência da plataforma, publicado pela primeira vez na semana passada. O documento traz os resultados das ações de moderação de conteúdo praticadas pela empresa, como o monitoramento e a exclusão de mensagens publicadas.

A avaliação é feita com base em diretrizes estabelecidas pela companhia. Segundo elas, discurso de ódio é considerado “um ataque direto a pessoas com base no que chamamos de características protegidas: raça, etnia, nacionalidade, filiação religiosa, orientação sexual, sexo, gênero, identidade de gênero e doença ou deficiência grave”, além do status migratório. “Ataques” são “discursos violentos ou degradantes, declarações de inferioridade ou incentivo à exclusão e segregação”.

Continue lendo



Cresce ódio ao jornalismo, diz organização Repórteres sem Fronteiras

Casos de ódio contra o jornalismo aumentam no mundo

ABr – O mundo passa por um momento de crescimento do ódio ao jornalismo e aos jornalistas, o que ameaça as democracias, diz a edição 2018 do Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa. Os dados foram divulgado hoje (25) pela organização Repórteres sem Fronteiras (RSF), em sete eventos simultâneos pelo mundo, incluindo no Rio de Janeiro.

Segundo o diretor regional da organização para a América Latina, Emmanuel Colombié, a liberdade de imprensa funciona como um termômetro do vigor da democracia e o índice global vive seus piores momentos. “Estamos com 3.826 pontos, caiu muito desde que o rankingcomeçou a ser feito em 2002.”

No ranking geral, o país com mais liberdade de imprensa é a Noruega, seguido pela Suécia e pelos Países Baixos. Os países no fim da lista são Coreia do Norte, Eritreia e Turkomenistão.



Malala volta ao Paquistão quase seis anos após ser alvo de ataque de talibãs

Malala Yousafzai ganhou Nobel da Paz – (FOTO: Simon Davis/DFID/Direitos Reservados)

ABr – A vencedora do Prêmio Nobel da Paz, Malala Yousafzai, retornou, nesta quinta-feira (29), ao Paquistão, quase seis anos depois de abandonar seu país após um ataque talibã. Ela foi baleada na cabeça por defender a educação das meninas. A informação é da Agência EFE. “O Paquistão dá as boas-vindas a Gul Makai (como também é conhecida a ativista) à sua casa. Estamos orgulhosos de você”, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores paquistanês, Mohammed Faisal, pelo Twitter.

Continue lendo



Facebook divulga princípios sobre privacidade e lança campanha educativa

Princípios da privacidade no Facebook

O Facebook divulgou hoje (29), pela primeira vez, seus princípios sobre a privacidade de dados dos usuários e anunciou uma campanha de esclarecimento sobre a política de privacidade da empresa. A iniciativa propõe explicar como a empresa utiliza os dados coletados de seus usuários e como estes internautas podem controlar as informações disponibilizadas em seus perfis.

Continue lendo



Levantamento estima gasto de US$ 360 bilhões de seguradoras com catástrofes em 2017

Levantamento estima gasto de US$ 360 bilhões de seguradoras com catástrofes em 2017

As catástrofes naturais e de origem humana custarão ao todo cerca de US$ 360 bilhões em 2017. As estimativas que foram feitas pela seguradora suíça Swiss Re, atingem quase o dobro do registrado em 2017, quando a os valores chegaram US$ 188 bilhões.

Do montante deste ano, cerca de US$ 136 bilhões foram assumidas por seguradoras, enquanto no ano passado os valores foram bem menores, de US$ 65 bilhões.

Entre as catástrofes deste ano que causaram danos e, consequentemente, gastos estão os furacões Harvey, Irma e Maria, que atingiram parte do Caribe e o sudeste dos Estados Unidos. Somente com furacões, o prejuízo estipulado é de US$ 93 bilhões.

Ainda nos Estados Unidos, os incêndios causaram danos de cerca de US$ 7,3 bilhões em imóveis.

Outro país que sofreu com desastres naturais foi o México. Foram diversos terremotos em 2017 e os gastos com seguros ultrapassam os US$ 2 bilhões.

O levantamento da Swiss Re é feito desde 1970.



Chuva intensa de meteoros terá pico na madrugada de quinta-feira

Chuva de meteoro terá seu auge pela madrugada

A chuva de meteoros Geminídeos – uma das mais intensas e brilhantes do ano – vai ocorrer durante a noite de hoje (13) e a madrugada de amanhã (14) e poderá ser observada de todo o país, com visão mais privilegiada para quem estiver nas regiões Norte e Nordeste. O Calendário de Chuvas de Meteoros da Organização Meteorológica Internacional informa que o pico do fenômeno será na madrugada desta quinta-feira (14). A expectativa é que possam ser vistos até 120 meteoros por hora.

Continue lendo



Netflix deve anunciar parceria com maior indústria cinematográfica do mundo

Segundo o portal The Hollywood Reporter, a empresa de streaming Netflix deve anunciar para 2018 uma parceria com Bollywood, a maior indústria cinematográfica do mundo. O baixo crescimento do serviço nos Estados Unidos pode ter ajudado na decisão da empresa de se aventurar no mercado produtor indiano, que produz aproximadamente 1.200 filmes a mais que a média de Hollywood.

Com o lançamento previsto para o primeiro semestre do ano que vem, a comédia romântica Love Per Square Foot será a porta de entrada para a Netflix no mercado de produções indianas. Além do filme, a empresa já está produzindo a série Bard of Blood que será protagonizada pelo ator indiano Shah Rukh Khan.

O fundador da Netflix, Reed Hastings, diz que a parceria trará o melhor de Bollywood com histórias emocionantes que serão exibidas para toda a audiência global que a Netflix alcança.



Grupo pró-Estado Islâmico divulga propaganda com cena de execução de Neymar e Messi

Neymar e Messi sendo executados em imagem divulgada

G1 – A organização de monitoramento de extremistas Site Intel Group informa que o grupo pró-Estado Islâmico Wafa’ Media Foundation divulgou esta semana material de propaganda em que os jogadores Messy e Neymar aparecem numa cena de execução.

A montagem representa o craque argentino já morto e o brasileiro ajoelhado sendo segurado por um extremista com uma faca, exatamente como o Estado Islâmico costuma matar muitas de suas vítimas nos vídeo que divulga.

Uma inscrição em inglês diz “Vocês não terão segurança enquanto nós não a vivermos nos países muçulmanos”.

Segundo informa o Site Intel Group, o material faz parte de uma série de pôsteres com ameaças à Copa de 2018, que acontecerá na Rússia.



Governo da Coreia do Sul cria grupo especial para matar ditador norte-coreano

A possibilidade de guerra nuclear aumenta a cada dia a tensão na Península Coreana. Para tentar se defender dos testes bélicos realizados pela Coreia do Norte, o governo da Coreia do Sul ordenou a criação de uma força-tarefa para matar o líder norte-coreano Kim Jong-un. As informações são do jornal The New York Times.

De acordo com o jornal americano, o grupo especial formado por 1500 pessoas recebeu o nome de “Decapitation Unit”, em português “Unidade de Decapitação”. A expectativa é que a equipe entre em operação até o fim do ano. Os agentes receberão treinamento e apoio de helicópteros para invadir a Coreia do Norte e lançar foguetes noturnos, tudo de maneira oficial.

A ideia de criar a força-tarefa veio do ministro da Defesa da Coreia do Sul, Song Young-moon, um dia depois do regime de Pyongyang fazer o maior teste nuclear da história. A iniciativa de assassinar um líder norte-coreano, porém, não é nova em Seul. Em 1960, o governo criou e treinou uma equipe para invadir o país vizinho e matar o então ditador Kim il-sung, avô de Kim Jong-un. A medida foi tomada após a Coreia do Norte tentar saquear o Palácio Presidencial de Seul.



Estado Islâmico reivindica autoria do atentado em Londres

ABr – O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) assumiu a autoria do atentado cometido no centro de Londres neste sábado (4), que deixou sete mortos e 48 feridos, informou a emissora britânica BBC. Segundo a Amaq, agência ligada ao grupo terrorista, o EI confirmou que “uma unidade de segurança de combatentes do Estado Islâmico realizou o atentado de ontem” (3).

Entre as vítimas, as 21 pessoas que permanecem internadas em cinco hospitais de Londres se encontram em “estado crítico”. O ataque começou com um furgão que atropelou vários pedestres na London Bridge, do qual posteriormente saíram três homens com facas que atacaram indiscriminadamente várias pessoas no Borough Market, bem próximo à ponte.

Esses três suspeitos foram mortos pelas autoridades policiais ainda na noite de sábado.



Whatsapp fica instável no Brasil; empresa não explicou motivo

Whatsapp ficou instável em diversos países nesta quarta-feira

Da Agência Brasil – O aplicativo de troca de mensagens Whatsapp ficou instável no Brasil no fim da tarde de hoje (3). A empresa não informou o motivo do apagão, mas disse que está “ciente do problema e trabalhando para corrigi-lo o mais rápido possível”.

A assessoria de imprensa do WhatsApp disse que há registro de problemas em alguns países, além do Brasil, mas não informou quais. Nas redes sociais, foram postados vários relatos de dificuldades para acesso ao aplicativo, que tem mais de 100 milhões de usuários no país.

O Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil) informou que a instabilidade não ocorreu por problema com as prestadoras. No início da noite, o aplicativo voltou a funcionar para alguns usuários no Brasil.

O WhatsApp já foi bloqueado algumas vezes no Brasil por determinação judicial. O bloqueio mais recente foi em julho do ano passado, quando o aplicativo ficou fora do ar por determinação da Justiça, no Rio de Janeiro, mas voltou a funcionar no mesmo dia, depois de uma decisão do Supremo Tribunal Federal.



Consumo de drogas mata cerca de meio milhão de pessoas por ano, alerta OMS

Consumo de drogas mata meio milhão de pessoas no mundo a cada ano
Consumo de drogas mata meio milhão de pessoas no mundo a cada ano

A diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan, alertou hoje (13) que o consumo de drogas mata cerca de 500 mil pessoas todos os anos no mundo.

“A OMS estima que o uso de drogas seja responsável por cerca de meio milhão de mortes todos os anos, mas esse número representa apenas uma pequena parte de todo o dano causado pelo problema mundial das drogas”, disse.

Durante discurso em Viena, na Áustria, Margaret destacou ainda que, em alguns aspectos, a situação está piorando, e não melhorando, já que muitos países vivenciam o que ela chamou de crise de emergência sanitária decorrente de mortes por overdose.

“Gostaríamos de ver mais usuários de drogas sendo canalizados por meio de sistemas públicos de saúde do que por meio de cortes e sistemas de justiça criminal”, apontou a entidade.

“À medida que muitos países e agências internacionais continuam a lidar com o problema das drogas e suas inúmeras dimensões, a OMS pede que as políticas sejam baseadas em evidências médicas e científicas, e não em emoções e ideologias”, concluiu.



Artigo: RECONHECER o outro na sua DIFERENÇA

Por Ronaldo Carlos (professor, músico e filósofo) – O elogio certo, à pessoa certa, no momento certo, no lugar certo, é fundamental. Por exemplo, no caso do exercício de uma missão eletiva, é um reconhecimento de que aquele ou aquela honrou o mandato delegado pelo povo, através do voto. Reconhecimento é deferência, não privilégio. No caso específico, da visibilidade do gestor ético, é o sinal da aprovação da aplicação correta dos recursos orçamentários, do zelo pelo patrimônio que é de todos, pela gestão respeitosa, executando, firmemente, as políticas públicas. Não se trata de estar formatando um salvador da pátria… o mandato é do povo.

De tantos desmandos com a coisa pública, que nos provocam múltiplos sofrimentos, fomos, aos poucos, perdendo a capacidade de reconhecer, publicamente, as pessoas honradas. Podemos cair na tentação de dizer: “ele não fez mais que sua obrigação”. Muito bem! Quem não o fez, também tinha a mesma obrigação, mas, não fez. É um problema ético e de compromisso com o povo, não com interesses escusos ou de grupos que sugam o município.

É preciso apoiar as ações que promovem a sustentabilidade e equilíbrio, mesmo entendendo que elas não são extraordinárias, mas, parte da rotina de trabalho de quem constrói um projeto político, dialogando com o povo, com as categorias profissionais, com os diversos segmentos sociais. Isso não nos despersonaliza, politicamente, é participação democrática. É como o dialogo inter-religioso. Não preciso mudar minha fé porque aceito o outro na sua diferença. Continuo com a minha! Aliás, igualdade não é homogeneidade, mas, o encontro das diferenças. Dessa forma, enxergamos a verdade do outro que, não estando no nosso “time”, contribui para a construção do grande projeto social, que envolve muitos atores e forças, com suas peculiaridades.

Quando formamos alianças, penso que dizemos: você é diferente de mim, não é do meu partido, mas, na nossa diferença, podemos construir juntos. Isso não nos diminui. Pelo contrário, a opressão, as vezes disfarçada de unanimidade, seja de onde for, desqualifica nossa luta. Aliás, a palavra lutar, no idioma iraniano, significa, resistir como uma pedra. É preciso resistir pelas boas causas e construir juntos o grande projeto social.

Finalmente, citando Frei Betto , eu diria: “Vejo-te como uma daquelas pessoas frente às quais não cabe a indiferença”. Não é a diferença que mata, mas, a indiferença!



Foto de bebê refugiado morto causa comoção internacional

Do Correio Braziliense – A foto de uma criança refugiada morta ao tentar escapar da violência de seu país provocou, mais uma vez, comoção internacional. Mohammed Shohayet, de 1 ano e 4 meses de idade, estava fugindo do Estado de Rakhine, em Mianmar, e teria morrido afogado junto com a mãe, o tio e o irmão, de 3 anos.

O pai de Mohammed, Zafor Alam, afirmou que, diante da cena, preferia ter morrido. “Não há nenhum ponto em mim vivendo neste mundo, não há motivo para viver”, disse Zafor em entrevista à CNN.

De acordo com o jornal, a família estava indo para Bangladesh quando o barco onde eles estavam naufragou.

Os muçulmanos Rohingyas de Mianmar são considerados uma das minorias mais perseguidas do mundo. O governo os vê como imigrantes bengalis, apesar de que eles vivem por gerações no Estado de Rakhine, em Mianmar.