Natalense é assassinado com disparos de arma de fogo em Caicó

Vítima foi baleada dentro de casa na zona Leste de Caicó

A Polícia de Caicó registrou na noite deste domingo (17), o assassinato do jovem Tales de Assis Miranda, de 20 anos, natural de Natal. O crime aconteceu por volta das 20hs na Rua Francisco Dantas, no Bairro Canutos e Filhos, zona leste da cidade.

De acordo com informações da Polícia, a casa onde estava a vítima foi invadida por dois homens. Um deles abriu fogo contra Tales de Assis. Uma mulher que estava perto foi atingida nas pernas, foi socorrida e está fora de perigo. Já, Tales, morreu no local da ocorrência.

O Samu foi acionado juntamente com as polícias Militar e Civil, além do ITEP.

As primeiras informações apontam que Tales tinha passagens pela polícia.



Vivaldo Costa apresenta voto de pesar pelo falecimento do empresário pioneiro na comunicação Siderley Menezes

O deputado Vivaldo Costa (PROS) apresenta no Plenário da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Norte, voto de pesar a toda família do empresário curraisnovense Siderley Menezes, que morreu na noite esta terça-feira (13).

Pioneirona comunicação trouxe para o interior do estado a primeira TV a Cabo do Norte e Nordeste do pais. A Sidys TV é um divisor no desenvolvimento de Currais Novos.

“Foi com grande pesar que recebi a notícia do falecimento do Sr. JOSÉ SIDERLEY DE MENEZES. Ele deixa uma grande lacuna com sua repentina partida. Aqui rendemos nossos mais profundos sentimentos de pesar e solidariedade pela ausência desse homem sério e íntegro. Sala das Sessões da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Norte, Palácio “JOSÉ AUGUSTO”, em Natal, 13 de setembro de 2017.”



Caicó: Vereadores da Cei da Cosip se reúnem com Promotor de Justiça

Vereadores da Cei terão reunião com membros do Ministério Público – (Foto: Sidney Silva)

O vereador José Rangel de Araújo (PDT) confirmou ao Blog Sidney Silva que na próxima segunda-feira (18), às 11hs, os representantes da Comissão Especial de Investigação – CEI irão participar de reunião com membros do Ministério Público Estadual. O objetivo é viabilizar o repasse de documentos que possam interessar na investigação que os Edis estão tocando na Câmara para saber mais sobre o uso de recursos da Contribuição Social de Iluminação Publica – COSIP.

Nós queremos ter uma conversa para ver o que podemos compartilhar de informação. Os objetivos são os mesmos, que é, deixar os recursos da Cosip de forma transparente, ou seja, se foi utilizado bem ou se teve algum problema“, disse.



Filho de assentados cola grau em Medicina na UERN

Adriana Morais (Agência UERN) – “Eu não acreditava que chegaria a esse momento”, declara o estudante de Medicina da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Caio da Fonseca Silva, 28, sobre a sua colação de grau, que ocorrerá nesta quarta-feira, 6. A expressão remete a sua difícil trajetória até conquistar o tão desejado diploma de graduado.

Caio da Fonseca Silva cola grau no curso de medicina da Uern nesta quarta-feira

Filho de assentados, Caio da Fonseca Silva viu na educação uma alternativa para transformar a sua vida e de sua família. “Trabalhávamos com meu pai na agricultura, no Projeto de Assentamento Quixaba. Meu irmão (que é formado em Direito, também pela UERN) foi o primeiro da família a se ater para os estudos. Inspirado nele, também decidi trilhar por esse caminho”, relata.

As dificuldades em seguir com os estudos foram muitas, antes mesmo de ingressar na faculdade. Por muitas vezes, ele percorreu de bicicleta 22 quilômetros do assentamento Quixaba até a escola onde cursava o Ensino Médio para não perder aula. “Foi então, que decidi vir para Mossoró. Vim morar na Casa do Estado de Mossoró, onde fiquei por cinco anos”, afirma o discente.

Quando concluiu o Ensino Médio, Caio da Fonseca não prestou vestibular de imediato. “Infelizmente, o ensino público deixa muito a desejar e para se tornar competitivo para o curso que eu desejava, tive que estudar por alguns anos para ter base para passar. Estudava em média 16 horas por dia”, lembra Caio. Segundo ele, como estudava bastante, conseguiu uma boa base em disciplinas como química e física, e passou a dar aulas de monitoria em cursinhos da cidade, e em troca, os proprietários dos cursinhos permitiam que ele assistisse aulas em disciplinas que tinha mais dificuldades, como português e redação. “Isso me ajudou muito”, diz.

Em 2010, passou em Medicina. Os seis anos de graduação foram tão difíceis ou mais do que o período do Ensino Médio. “Foi difícil, foi muito sofrido. Minha família tinha a maior boa vontade, me incentivava, mas infelizmente, não tinham como me ajudar na questão financeira. Por mais que a UERN seja uma instituição pública, se manter no curso requer muitos gastos, com livros, material, xerox”, declara. Ele lembra que muitos professores da Faculdade de Ciências e Saúde o ajudaram, inclusive financeiramente.

Como minha família é do assentamento Quixaba, tinha que conseguir moradia aqui em Mossoró. A ideia era ir para a Residência Universitária, mas mesmo na residência ficava pesado para arcar com alimentação e o transporte para ir à Faculdade. Então, uma pessoa da faculdade e pessoas de fora me ajudaram a pagar aluguel em uma residência perto do curso e assim consegui levar. Sinceramente, em algumas situações eu achava que não ir conseguir”, relata o estudante.

Hoje, prestes a receber o diploma em Medicina, Caio da Fonseca Silva relembra com emoção toda sua trajetória. “Ainda não caiu a ficha, acho que só vou acreditar quando tiver o diploma em mãos. Não existem palavras para descrever a felicidade que eu tenho, principalmente em ver a felicidade dos meus pais em ver mais um filho formado”, diz o graduando. As suas metas agora são trabalhar para estruturar a vida sua e de sua família, e até o final do próximo ano prestar residência para neurocirurgia.

Para ele, a UERN foi um divisor de águas em sua vida. “Sempre sonhei em estudar na UERN, sempre me via estudando aqui, na FACS. A Faculdade de Medicina me tornou uma outra pessoa. Vivi muitas coisas aqui, e hoje sou uma pessoa mais humana, muito melhor. Devo muito do que eu sou aos meus professores e ao corpo de servidores da instituição. Vou levar a UERN comigo para onde for”, finaliza.



Artigo: Ainda há Juízes em Natal?

Ex-prefeito Salomão Gurgel Pinheiro escreveu sobre decisão que lhe tirou os direitos políticos – (Foto: Marcos Dantas)

Por Salomão Gurgel Pinheiro – (Mas o moleiro de Sans-souci era mais afirmativo: Ainda há juízes em Berlim!)

Confesso que não tenho a mesma convicção do moleiro de Sans Souci, que desafiou Frederico II, rei da Prússia, confiando, unicamente, nos “juízes de Berlim”, que, então, faziam prevalecer a Lei, mesmo diante das investidas dos poderosos.

Acho que a maioria de vocês já leu o poema  de François Andrieux, onde se narra a história em que aquele soberano decide construir para si e seus amigos um local de lazer e prazeres finos.

No terreno, onde se construiria a área de lazer do rei, havia um moinho, pertencente ao chamado moleiro de Sans-souci (“sem preocupação”). Este vivia uma vida humilde, produzindo, no moinho, a farinha, cuja venda garantia a sua sobrevivência e de sua família, uma tradição que já vinha de pai para filho.

Irritado com a negativa do moleiro em lhe vender o terreno, o Rei ameaçou: “Você bem sabe que, mesmo que não me venda a terra, eu, como rei, poderia tomá-la sem nada lhe pagar”. O moleiro, então retrucou com a famosa frase: “O senhor? Tomar-me o moinho? Só se não houvesse juízes em Berlim!”

Pois, bem! Esta confiança na Supremacia da Lei, que animava os mais humildes diante da soberba dos poderosos, fazia com que os cidadãos do andar debaixo resistissem às pretensões injustas e confiassem que a Justiça seria feita, mesmo contra os poderosos.

É claro que as coisas, os costumes, os valores, a natureza dos seres humanos… mudaram! Aquele sonho da Justiça, acima do Humilde e do Poderoso para fazer valer o princípio pétreo de que todos deveríamos nos curvar diante das Leis, já não se sonha mais. Antes, era uma luta de todos por Liberdade, Igualdade e Fraternidade! Saíamos dos regimes déspotas e opressores. A Justiça se firmava ao lado dos oprimidos e dos que derramavam seu sangue em nome da Liberdade. Pelo menos os que eram iluminados pelo resplendor do Humanismo!

Hoje, na fase bárbara e cruel do capitalismo neoliberal, a Justiça se transforma, infernalmente, nesse instrumento perverso de aplicação selvagem das Leis, criadas por esses poderosos usurpadores das riquezas sociais e, rapidamente, todo esse arcabouço jurídico, que deveria proteger os despossuídos de direitos, se transforma numa verdadeira ditadura, onde a razão não é sentida, nem a lógica é levada em consideração.

Em 2010, prefeito eleito de Janduis, pequena e pobre cidade do interior do Rio Grande do Norte, vivenciando uma seca de 3 anos, com salários de funcionários atrasados, sem dispor de 50 mil reais para fazer um Concurso Público, cortando salário do prefeito, do vice e dos secretários, contratei, através de Lei Municipal, aprovada pela Câmara Municipal, médicos, enfermeiros, professores e outros técnicos para suprirem os serviços públicos municipais… Não poderia agir de outra maneira. Assumi o compromisso de fazer o Concurso Público, assim que a Prefeitura tivesse os 50 mil. E assim o fiz.

Mas veio o senhor promotor, que me denunciou por  descumprir a Lei. Como em Janduís tinha uma comarca, pensei: “Em Janduis, ainda existe Juiz! Mas este, também, me considerou culpado e empurrou o processo pra Natal. Porém, não perdi a fé na Justiça e me tranquilizei, refletindo, pensando no moleiro de Sans-souci: “Com certeza, ainda há Juizes em Natal! Eles compreenderão que contratei médicos e professores, emergencialmente, para salvar vidas e ensinar as nossas crianças e adolescentes! Ainda mais, eu fiz o Concurso, assim que a Prefeitura pode…”

Fui a Natal, no dia do julgamento. Uma desembargadora. Dois desembargadores. Dois advogados para tentar reverter um quadro que já tinha um veredicto firmado: “Não tem perdão pra quem contrata sem Concurso!” Que crime, hein? E um réu, eu, que estava alí, também, para julgar “quem ia me julgar”, numa lembrança do diplomata e dramaturgo russo Alexander Griboyedov, nascido em 1795, em sua peça histórica e satírica da sociedade russa de então: ‘Gore ot uma”.

Sem muita discussão e consideração, sem senso de razão e de lógica, sem tentar compreender como pessoas honestas e abnegadas conseguem guiar seu povo por anos a fio, com poucos recursos, sacrificando-se a si e as suas famílias, alimentando famintos, matando a sede, dando casa, protegendo, fomentando emprego e renda, mantendo os serviços públicos essenciais, a voz estridente e acusatória, que penetra a sua alma, estupra a sua consciência, o acusa de cometer crimes contra a legalidade, tira os seus direitos de cidadão (votar e ser votado), de contratar com o poder público e pagar uma multa absurda de 10 vezes maior que o salário recebido na época. Me veio à mente os anos de chumbo da ditadura militar que eu e toda a minha geração combatemos, derramando nosso sangue, gemendo nos calabouços das torturas e da morte.

Sai do Tribunal, não derrubado, nem vencido! Mas com uma pura certeza: “Sim, em Natal ainda há Juízes! Mas eles  estão do outro lado da barricada: do lado dos que pretendem manter esta sociedade injusta, desigual, intolerante e desumana, submissos a Leis, que já não proporcionam os direitos das maiorias despossuídas, nem protegem os que não têm posses, nem riquezas!

Podem até tirar nossos direitos de votar e ser votado, podem até tirar as poucas economias que temos, podem até tentar tirar o direito que temos a uma velhice sossegada, mas não tirarão, jamais, a nossa capacidade de nos indignarmos contra os que nos ofendem e condenam, pois uma coisa é certa: existe uma Outra Verdade que nos liberta e nos faz lutar, existe uma Outra História que limpará os nossos nomes, existe uma Outra Justiça da qual nos orgulharemos!



Ação de cidadania proposta por Ivonete Dantas foi realizada na E. M. Auta de Souza

Ivonete Dantas promoveu ação de cidadania

Nesta sexta-feira 19 de agosto, aconteceu na Escola Municipal Alta de Souza, uma ação de cidadania ainda referente ao mês dos Pais.

Foram oferecidos cortes de cabelo, aferição de pressão arterial, testes rápidos de glicemia e orientações sobre saúde, também foi oferecido um lanche para todos que participaram da ação e para a comunidade em geral.

Os alunos ganharam ainda pinturas artísticas no rosto, pipocas e picolés, o que gerou grande alegria por parte da criançada.

A ação atingiu seu objetivo e contou com a presença significativa de alunos, pais e de toda comunidade.

A ação de cidadania só foi possível graças a uma parceria entre a Câmara de Vereadores, a Prefeitura Municipal e o SENAC.

Ivonete Dantas foi conferir de perto a realização e recebeu os agradecimentos por parte da Diretora da Escola (Gracinha) e de vários participantes da ação, e fez questão de agradecer ao carinho recebido de todos.

Para ver todas as fotos da ação e acompanhar de perto o trabalho da vereadora Ivonete Dantas siga seu instagram: https://www. instagram.com/ vereadoraivonete/



Aldeias Infantis SOS Brasil faz o lançamento do Impacta ODS

Aldeias Infantis SOS Brasil faz o lançamento do Impacta ODS

A organização Aldeias Infantis SOS Brasil lançou, nesta quinta-feira, o Impacta ODS, um programa de divulgação dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU) que terá os personagens da Turma da Mônica como vetores do assunto para o público infantil.  Os 17 ODSs são uma relação de metas humanitárias lançadas pela ONU, em 2015, a serem alcançadas até 2030, que incluem erradicação da pobreza, acesso à educação de qualidade, consumo e produção responsável, distribuição de água potável e saneamento, ação contra mudanças climáticas, entre outras.

Para disseminarem os conceitos por trás de cada ODS, a organização firmou uma parceria inédita com o Instituto Maurício de Sousa. “O grande desafio é fazer os objetivos chegarem ao grande público”, diz Mariana Chiavini, gestora de Parcerias e Sustentabilidade da Aldeias Infantis, já que atualmente eles ainda são conhecidos apenas por quem trabalha em ONGs e empresas ligadas ao meio ambiente. A organização foi uma das que participaram da elaboração dos 17 objetivos da ONU.  A partir da dificuldade de o assunto atingir o público em geral veio a ideia de usar a Turma da Mônica, que se comunica com todas as gerações, em uma linguagem simples e de fácil entendimento.

Continue lendo



Meiriely Chacon deixa a 106FM em Caicó

A radialista Meiriely Chacon está deixando a Rádio 106FM. A saída já foi acertada com a direção da emissora.

Durante quase 6 anos, Chacon, comandou um programa nas manhãs da 106 e tinha grande audiência.

O futuro profissional da radialista não foi anunciado. O blog tentou contato com ela, mas, não conseguiu.

 



Vereador Alisson sugere criação de CPI para investigar ex-presidentes da Câmara

O vereador Alisson Jackson (Pros) fez o uso da palavra na Câmara Municipal de Caicó e justificou o seu posicionamento de não votar pela criação da comissão proposta por Mara Costa. Ele disse que é a favor da criação da comissão para acompanhar as investigações do MP.

Ele ainda disse que vai entrar com requerimento na próxima segunda-feira (14) para criar uma CPI para investigar as gestões da Câmara Municipal de Caicó.




Lobão consegue 11 assinaturas para criar comissão

O vereador Lobão Filho (PMDB) conseguiu 11 assinaturas de seus colegas na Câmara para criar uma comissão para acompanhar as investigações do Ministério Público na Operação Blackout.

Na Tribuna da Câmara, ele voltou a dizer que o MP já está investigando as denuncias existentes contra as supostas fraudes em licitações de iluminação pública de Caicó. “A criação de uma CPI (como está sendo proposta por Mara Costa) não faz sentido”, disse.

Assinaram a comissão proposta por Lobão, os vereadores: Lobão, Ivanildo do Hospital, Zaqueu, Alisson Jackson, Andinho, Zé Filho, Pastor Erinaldo, Maria Cleide, Ivonete Dantas, Diogo Silva e Júlio Gregório.



Juiz concedeu liberdade para Ruth de Araújo, mas, manteve medidas cautelares; Entenda

A liberdade de Ruth de Araujo Ferreira que foi pleiteada pelo advogado Ivanildo Albuquerque Filho e concedida no final da tarde desta sexta-feira (04), mesmo dia em que ela foi detida por força de mandado de prisão preventiva expedido pelo juiz Luiz Cândido de Andrade Villaça, titular da Vara Criminal, não revoga às medidas cautelares antes impostas.

Na decisão, o magistrada ressalta que “observando o teor do requerimento protocolado, bem como as alegações formuladas pelo Ministério Público, percebe-se que a prisão da requerente deve ser revogada“, disse.

Na mesma decisão o juiz impôs que às medidas cautelares antes impostas a ré, sejam cumpridas, ou seja, permanecem inalteradas. “A medida cautelar de afastamento do cargo e demais limitações, que constam na decisão anteriormente prolatada por este juízo, deverão ser cumpridas e permanecem inalteradas, sob pena de revogação do benefício“, destaca.

As medidas cautelares são: Ela não pode comparecer a qualquer prédio vinculado à Prefeitura de Caicó, à Secretaria de Infraestrutura e Serviços Urbanos do Município de Caicó e à Controladoria-Geral do Município de Caicó, além de estar afastada do cargo de Diretora do Departamento de Iluminação Pública do Município de Caicó/RN.



Neste dia 12 de julho completam 66 anos da morte de Dix-Sept Rosado Maia

Dix-sept Rosado morreu em acidente de avião

Dia 12 de julho de 1951. Uma data que ficaria marcada para sempre na vida potiguar. Há exatos, 66 anos, morria num acidente aéreo, na região conhecida como do Rio do Sal, em Sergipe, aquele que protagonizou uma das mais indiscutíveis vitórias eleitorais urnas em nosso Estado. Seu nome Jerônimo Dix-Sept Rosado Maia. O fato enlutou o Rio Grande do Norte e tirou de sua população uma expectativa positiva de um governo promissor. Governou por cinco meses, apenas isso. Era a sua primeira viagem como governador à então capital da República, o Rio de Janeiro. Em sua companhia também viajavam alguns secretários de Estado.

Seu nome foi imortalizado com nome de um bairro de Natal, de uma praça em Mossoró, “sua querência amada” como bem dizia o também saudoso, Dix-Huit Rosado, seu irmão. Dezenas de municípios do Estado o homenagearam com nomes de praças, ruas e avenidas. Dix-Sept Rosado nasceu para a vida pública, tinha o carisma de líder, sabia ser popular sem demagogia e sem recorrer a manobras populistas. Foi prefeito de sua cidade em 1948, sendo considerado na época o melhor prefeito do Brasil –Mossoró era a vitrine para centenas de municípios brasileiros e este seria o ponto inicial de sua trajetória política e o trampolim que o credenciava para lançar-se candidato ao governo do Estado.

Tinha a paciência de saber ouvir os amigos e as lideranças que o procuravam, desde o mais destacado político da época, ao mais simples dos mortais, dizem que depois dele, somente o ex-governador Lavoisier Maia, (também seu parente), possuía essa particularidade, a paciência de saber ouvir.

Chegou ao governo do Estado com apenas 39 anos. Uma curiosidade merece ser revelada: Ele teve o apoio do PR Partido Republicano (O PR de Artur Bernardes) apoio do Partido Trabalhista Brasileiro PTB, do Partido Social Progressista PSP e de uma importante parcela do PSD – Partido Social Democrático. Mas, o seu partido, a UDN, – União Democrática Nacional, preferiu apoiar outro nome, Manoel Varela, cujo irmão, José Varela era o governador do Estado. Dix-Sept saiu vitorioso com uma diferença ou maioria de 30 mil votos, um grande feito naquele tempo.

Com sua morte, sepultou-se também a esperança de milhares de conterrâneos que haviam sufragado o seu voto, O nome de Dix–Sept Rosado contudo, está perpetuado nos anais da história, no respeito e na memória do povo norte-riograndense.

Por César Filho, professor e jornalista



Vereadores de Caicó entram em recesso depois de reunião desta quarta (28)

Vereadores de Caicó entram em recesso depois de reunião desta quarta (28)

A sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Caicó desta quarta-feira (28), vai acontecer às 11hs da manhã e não às 17hs30min como de costume. O motivo é o fato de ser véspera de São Pedro e dia de queima de fogueira e também porque é a última reunião antes do recesso parlamentar do meio do ano.

Os vereadores nesse período ficam sem realizar às sessões ordinárias, porém, os gabinetes estarão funcionando normalmente.



Corpo da ex-cantora da banda Cavaleiros do Forró é sepultado em Livramento/PB

Velório de Eliza Clivia aconteceu no Palhoção do Forró em Livramento na Paraíba – (Foto: Flávio Leite/Prefeitura de Livramento)

Foi enterrado às 17h deste domingo (18) o corpo da cantora paraibana Eliza Clívia. O sepultamento aconteceu no Cemitério da Saudade, em Livramento – cidade do Cariri paraibano onde Eliza nasceu.

A cantora paraibana, que é ex-vocalista da banda Cavaleiros do Forró, e o marido dela, o baterista Sérgio Ramos, morreram em um acidente de carro no início da tarde da sexta-feira (16), no Centro de Aracaju, capital sergipana.

O corpo de Eliza foi velado no Palhoção do Forró – local onde acontecem os grandes eventos públicos do município -, que ficou lotado com a presença de familiares, amigos e fãs, que compareceram para dar o último adeus.

*Fonte: G1/PB