Chuvas podem ficar abaixo do normal nos meses de março, abril e maio, no semiárido

Meteorologista Gilmar Bristot também estará na reunião
Meteorologista Gilmar Bristot também estará na reunião

Foi encerrada na manhã desta sexta-feira (19), na sede da EMPARN, a II Reunião de Análise e Previsão Climática para o Nordeste Brasileiro. A conclusão do encontro é de chuvas abaixo do normal para o período de março a maio de 2016 no setor norte da Região Nordeste. De acordo com os especialistas, a constatação foi feita “diante de um quadro onde persiste o Fenômeno El Niño no Oceano Pacífico e um Oceano Atlântico indefinido, além dos modelos de previsão climática apontarem para chuvas abaixo do normal”.

Em entrevista no programa Comando Geral da Rádio Caicó, apresentado por Sidney Silva, o meteorologista, Gilmar Bristot, disse que as chuvas registradas na região Seridó do Rio Grande do Norte, não tiveram a influência do fenômeno Vórtice Ciclônico de Ar Superior. “Na verdade essas chuvas foram provocadas pela Zona de Convergência Intertropical, o que pegou a todos nós de surpresa. O fenômeno El Niño está perdendo força, mas, a sua área de atuação é muito grande, por isso, é preciso que permaneçamos monitorando“, disse.

A Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) é o principal Sistema Meteorológico  responsável pela ocorrência de chuvas no Nordeste. Ela é influenciada  pelas variáveis climáticas ligadas aos oceanos Pacífico e Atlântico. Para os meteorologistas, “variáveis como a temperatura superficial, vento e pressão atmosférica sobre os oceanos tem forte correlação com as chuvas que ocorrem durante os meses de março a maio sobre a região Norte do Nordeste e, o seu monitoramento possibilita a elaboração de prognósticos mais confiáveis em relação a ocorrência de chuvas, tanto na questão da distribuição temporal como espacial”. A próxima Reunião de Análise e Previsão Climática será realizada em Recife/PE.