Concurso INSS 2016: Confira as dicas de reta final para técnico!

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Há pouco mais de um mês para a realização da prova objetiva do Instituto Nacional do Seguro Social (Concurso INSS 2016). Pensando nisso, o Gran Cursos Online divulga dicas de direito administrativo, gramática, texto, redação oficial, raciocínio lógico, informática, direito constitucional, seguridade social, que irão turbinar a preparação dos candidatos a uma das 800 vagas para o cargo de Técnico do Seguro Social.

O destaque da seleção é a função de técnico do seguro social (800 vagas), que exige o nível médio e tem remuneração de R$ 5.344,87. Além do técnico, a autarquia oferece 150 vagas de analista do seguro social, para graduados em Serviço Social. O rendimento, nesse caso, é de R$ 7.954,09. Nos quantitativos de vagas informados estão incluídas as reservas para negros (20%) e deficientes (5%). A carga de trabalho é de 40 horas semanais, e em ambas as remunerações está somado o auxílio-alimentação, de R$ 458.

A avaliação acontecerá por meio de prova objetiva, composta por 120 questões, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos. O exame para o cargo de técnico do seguro social versará sobre as disciplinas de ética no serviço público, regime jurídico único, noções de direito constitucional, noções de direito administrativo, língua portuguesa, raciocínio lógico, noções de informática e seguridade social, sendo aplicado no dia 15 de maio de 2016, no período da manhã para nível superior e à tarde para médio. Para ser aprovado, o candidato deverá obter nota superior a 10,00 pontos na prova objetiva de Conhecimentos Básicos; nota superior a 21,00 pontos na prova objetiva de Conhecimentos Específico; e nota superior a 36,00 pontos no conjunto das provas. Todas as capitais terão aplicação das avaliações.

Veja abaixo as dicas de nossos professores:

Direito Administrativo – Professor Ivan Lucas

O INSS é uma autarquia que integra a administração indireta, possuindo personalidade jurídica de direito público e patrimônio próprio.
O Poder de Polícia permite a administração restringir o exercício dos direitos individuais em benefício da coletividade, atuando de forma preventiva ou repressiva.
Todas as pessoas privadas que prestam serviços públicos respondem de forma objetiva em relação aos usuários e não usuários do serviço.
O atributo da presunção de legitimidade está presente em todos os atos administrativos e é relativo, pois cabe prova em contrário.
Controle Administrativo está presente em todos os Poderes em seu âmbito interno, permitindo a anulação ou revogação pela própria administração.
Concessão de serviço público pode ser exercida apenas por pessoa jurídica, enquanto a permissão pode ser explorada por pessoa física ou jurídica.
Os atos do processo administrativo federal serão praticados em dias úteis e no horário de funcionamento do órgão.
A ação de improbidade administrativa pode ser movido pelo Ministério Público ou pela pessoa jurídica prejudicada com o ato de improbidade.
Direito Constitucional – Professor Junior Vieira

Olá, amigos! O estudo dos direitos políticos é importante para qualquer prova, em especial no momento em que se encontra o país. Sabemos que as bancas gostam de temas atuais. Portanto, se liga: Os Direitos políticos são direitos públicos subjetivos que levam o indivíduo a condição de cidadão (pessoa no gozo dos direitos políticos – votar e ser votado). O cidadão pode ser privado dos direitos políticos nas hipóteses TAXATIVAS previstas na constituição (art. 15, CF), mesmo se estiver no exercício de mandato eletivo. Cuidado: Em decisão recentíssima, o STF decidiu que a perda do mandato eletivo por INFIDELIDADE PARTIDÁRIA SÓ alcança os eleitos pelo sistema eleitoral proporcional (Deputados e vereadores). Valeu, amigos!

Gramática – Professora Viviane Faria

Dentre as pontuações, a vírgula é aquela que traz o maior número de dúvidas entre os usuários e, por isso mesmo, acaba sendo a mais exigida em provas de concurso. Sendo assim, é importante que você se lembre de algumas de suas regras básicas, como o fato de ela ser proibida entre os termos oracionais essenciais (sujeito, verbo e objeto) e ser obrigatória para marcar a oração adjetiva explicativa. Outra informação fundamental quanto ao uso da vírgula está em seu uso para isolar o Vocativo e expressões explicativas – como “isto é”, “por exemplo”, “ou melhor”, “ou seja”. Fique com a dica e boa prova!

Texto – Professora Vânia

Caro candidato:
Leia com muita atenção os comandos da prova de interpretação do CESPE, pois, em muitos casos, o erro advém não da interpretação errada do texto, mas sim dos comandos e assertivas.
O CESPE tem por hábito fazer duas assertivas a cada item e é necessário que você se certifique da resposta adequada das duas para que não faça um julgamento errado. Por exemplo, se a primeira assertiva do item é Errada, mas a segunda é Certa – o item deve ser declarado como Errado.
O CESPE faz umas afirmações erradas, mas de maneira tão categórica que se o candidato não estiver seguro do conhecimento que possui, ele acaba sendo induzido ao erro (as conhecidas questões capciosas).
Em muitos itens, a segunda assertiva já contradiz a outra e, portanto, se a leitura for feita de maneira atenta, a resposta já se evidencia no próprio item – o que evita a perda de tempo com a análise do texto.
Assim, muita atenção na leitura dos comandos e itens da prova – gastar um tempinho com isso fará com que você ganhe muito tempo na prova!

Redação Oficial – Professora Viviane Faria

Os documentos chamados “padrão ofício” possuem uma diagramação única, porém, diferentes finalidades. O memorando, que é um deles, é o texto oficial de predileção desta banca examinadora. Então, lembre-se de que ele é uma forma de comunicação eminentemente interna – diferentemente das demais – e que possuem como característica principal a agilidade de tramitação, além de ter seus despachos dados no próprio documento e, no caso de falta de espaço, em folha de continuação. Fique com a dica e boa prova!

Raciocínio Lógico – Professor Josimar Padilha

Na prova do INSS temos que observar questão da linguagem formal, isto é, de primeira ordem, a interpretação das proposições para evitar considerações subjetivas e sentidos ambíguos. O conhecimento das tabelas-verdade, suas construções na lógica bivalente e na polivalente e aplicação de diversos métodos sugeridos pelo professor Josimar Padilha para evitar demorados cálculos proposicionais. O Cespe considera que um dos principais fundamentos da matemática e do desenvolvimento do raciocínio, é a Teoria de Conjuntos, assunto que estará presente na prova, seja na representação simbólica dos quantificadores lógicos, lógica de segunda ordem que admitem variáveis conjuntivas, ou nas questões que envolvem operações com conjuntos. As grandezas podem ser representadas por valores absolutos ou até mesmo relativos, daí a importância do conhecimento de valores percentuais. Torna-se necessário, de uma maneira sintetizada, interligar todos os tópicos exigidos no edital de maneira prática e consistente, que só ocorrerá com a aplicação correta dos conceitos e fundamentos da Lógica Formal.

Informática – Professor Jeferson Bogo

Vamos relembrar os protocolos utilizados no e-mail: O protocolo SMTP (Simple Mail Transfer Protocol) que é utilizado para enviar e-mails e os protocolos POP/POP3 (Post Office Protocol ) e IMAP (Internet Message Protocol) que são utilizados para receber e-mail, sendo que o POP baixa as mensagens para máquina, permitindo, portanto, que elas sejam acessadas off-line e o IMAP faz o acesso remoto às mensagens, não permitindo, portanto, seu acesso off-line. Todos esses protocolos de e-mail podem ser utilizados conjuntamente com protocolos seguros: SSL (Secure Sockets Layer) ou TLS (Transport Layer Security), para criptografar os dados.

LOAS – Professora Núbia Lima

A LOAS, Lei n° 8.742/1993, regulamenta a Política Nacional de Assistência Social que faz parte do sistema de proteção da Seguridade Social, juntamente com as políticas de Saúde e Previdência Social.
A Assistência Social é uma política pública não contributiva, universal, destinada a quem dela necessitar. Ela prove por meio de seus benefícios, programas projetos, serviços e ações, os mínimos sociais para indivíduos e grupos expostos a situações consideradas de risco e vulnerabilidade social.
Dentre os principais benefícios da LOAS está o Benefício de Prestação Continuada (BPC) que é um benefício destinado a pessoas idosas e pessoas com deficiência que não tenham condições de prover o próprio sustento ou tê-lo provido por sua família.
O Decreto n° 6.214/2007, regulamenta como deve ser operacionalizado o BPC que, apesar de ser um benefício da LOAS, será efetivado pelo INSS, que é uma autarquia da política de Previdência Social.
Cabe ressaltar que, o BPC por ser um benefício da LOAS, ele independe de contribuição prévia para ser acessado e seu financiamento não e realizado com os recursos da Previdência Social, mas sim com recursos da política de Assistência Social.

Direito Constitucional – Professor Wellington Antunes

Aplicam-se ao servidor público, no que couber, as regras do regime geral da previdência social sobre aposentadoria especial relativa a atividades que sejam exercidas sob condições especiais que prejudiquem a saúde ou a integridade física, até a edição de lei complementar específica.

Direito Constitucional – Professor Luciano Dutra

Muito embora saibamos que o mandamento da Súmula Vinculante nº 13 do STF (que veda o nepotismo) não se aplica, a priori, aos cargos de natureza política, como os cargos de Ministros e Secretários, a Corte Suprema fixou o entendimento de que, quanto a estes cargos políticos, deve-se analisar, também, se o agente nomeado possui a qualificação técnica necessária ao seu desempenho e se não há nada que desabone sua conduta. Vale dizer, a autoridade nomeante pode até nomear cônjuges e parentes até o terceiro grau, desde que possua capacidade técnica para o exercício do cargo político (precedentes RCL 17627, de relatoria do ministro Luís Roberto Barroso e a RCL 11605, de relatoria do ministro Celso de Mello). Fé na missão!!!!