Cunha desafia delator a provar ACUSAÇÕES

Entrevista coletiva com o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (Wilson Dias/Agência Brasil)
Entrevista coletiva com o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (Wilson Dias/Agência Brasil)

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), divulgou uma nota a imprensa negando as acusações de Júlio Camargo que, em delação premiada, afirmou que o parlamentar recebeu US$ 10 milhões de propina para viabilizar um contrato de navios-sonda da Petrobras.

“Desminto com veemência as mentiras do delator e o desafio a prová-las”, declara cunha em comunicado divulgado nesta quinta-feira (16). Em nota, o presidente da Câmara ainda citou complô político. “É muito estranho, às vésperas da eleição do Procurador Geral da República e às vésperas de pronunciamento meu em rede nacional, que as ameaças ao delator tenham conseguido o efeito desejado pelo Procurador Geral da República, ou seja, obrigar o delator a mentir.”

Amanhã (17), o parlamentar fará um pronunciamento em cadeia de rádio e televisão.

As expectativas em torno do discurso têm movimentado as redes sociais, com manifestos de apoio e de repúdio. Os contrários pretendem fazer um panelaço durante a transmissão prevista para 20h30. “Se fizerem isto, a única coisa que vão conseguir é dar destaque ao meu pronunciamento e eu não estou fazendo isto em busca de apoio popular. Estou fazendo uma prestação de contas”, disse Cunha, hoje mais cedo.