Deicor procura suspeito de sequestrar mulher durante velório no bairro do Alecrim

Polícia procura por Rony Manoel Costa da Silva – (Foto: Divulgação/Polícia Civil-RN)

A Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (Deicor) procura o foragido da Justiça Rony Emanuel Costa da Silva, 22 anos, suspeito de ter sequestrado Gerina Ribeira da Silva, 24 anos, no dia 21 de abril deste ano, dia em que a mulher velava o corpo do ex-marido João Augusto Magalhães de Oliveira, 27 anos, em uma casa funerária localizada na rua Alexandrino de Alencar, no bairro do Alecrim. João Augusto foi assassinado a tiros em uma granja no Arenã, em São José do Mipibu, no dia 18 de abril deste ano.

No crime, Rony e mais dois homens teriam entrado armados no velório de João Augusto, enquanto um outro homem ficou em um veículo pálio branco aguardando os demais, que roubaram as pessoas que estavam no local e sequestraram Gerina. Investigações apontam que o mandante do homicídio de João teria sido Davi Torres de Souza, vulgo “Bradock”, que foi morto durante confronto policial com equipes da Deicor, no dia 01 deste mês, durante uma operação que tinha como objetivo desmantelar uma quadrilha especializada em roubo a bancos. Davi, o qual era chefe do tráfico na Baixa da Coruja, veio a óbito juntamente com mais outras duas pessoas também integrantes da quadrilha.

Segundo o delegado da Deicor, Odilon Teodósio, Gerina é suspeita de ter repassado informações para que o grupo criminoso executasse o seu marido, o qual praticava o tráfico, tendo como motivação do seu homicídio, dívidas decorrentes da venda de drogas. “No decorrer do nosso trabalho, nos deparamos com diversas situações que dificultaram as investigações, entre elas o não apoio da família de Gerina, principalmente das irmãs, que não contribuíram com a polícia. Um dos fortes indícios que surgiram durante essas investigações, foi a suspeita de que a esposa de João teria auxiliado a quadrilha do tráfico no cometimento do assassinato do homem. A motivação para o sequestro da mulher seria uma possível queima de arquivo”, detalha o delegado da Deicor, Odilon Teodósio.

Ainda segundo o delegado, os outros dois homens que participaram do sequestro da mulher também já foram identificados e estão sendo procurados pela polícia. No dia 26 de abril deste ano, cinco dias após o sequestro da mulher, Rony teria ainda cometido uma tentativa de roubo contra um policial civil, e utilizado, neste crime, o mesmo veículo de modelo pálio branco usado no sequestro. Ele foi liberado posteriormente para responder em liberdade, tendo atualmente, em seu desfavor, um mandado de prisão preventiva pelo sequestro de Gerina. Segundo investigações, ele atuava como soldado do tráfico há aproximadamente um ano, e obedecia à “Bradock”. A Deicor solicita apoio da população para mais informações acerca de Rony, as quais podem ser repassadas de forma anônima através do Disque Denúncia da Polícia Civil, de número 181. Além de Rony, a Deicor também procura o proprietário da granja no Arenã, localizada em São José de Mipibu, onde João Augusto foi assassinado.

Vídeo do momento do rapto da viúva e fala do delegado da Deicor: