Derrota de Roberto Germano em Caicó pode ser debitada na conta do PMDB, Henrique e Garibaldi Alves

Por Chico Gregório – A derrota de Roberto Germano em Caicó, pode e deve ser debitada na conta do PMDB estadual, do senador Garibaldi Alves, do ex-ministro dos governos Dilma e Temer, Henrique Alves, por falta de apoio administrativo em Brasília.

Ainda no governo Dilma, foi autorizada uma verba de CINCO MILHÕES DE REAIS, para asfaltamento de 32 ruas e avenidas através da Caixa Econômica Federal. A obra chegou a ser iniciada, mas, ao assumir o governo, o  aliado  do PMDB, Temer, vetou os recursos, isso provocou um desgaste enorme no prefeito Roberto Germano, pois, ninguém entendeu, mesmo com Garibaldi e Henrique, se dizendo amigos e aliados do novo governo, essa obra ser paralisada.

Assim como aconteceu com essa obra do asfaltamento, aconteceu com outras obras, como a UPA, Pavimentação em bairros periféricos, reforma e ampliação de postos de saúde. Ainda mais, se esperava que com Temer, a cidade se transformaria em um verdadeiro canteiros de obras. Se isso não aconteceu, fica uma pergunta, valeu a pena, o PMDB se afastar de Dilma e Lula, que tanto fizeram por Caicó, para colocar um aliado que paralisou as obras em andamento do governo Dilma?

Se o prefeito eleito Batata, conseguir liberar os recurso já autorizados para a cidade de Caicó, ainda no governo Dilma, já que Temer é refém do PSDB, em seu primeiro ano de governo, pode fazer o que Roberto Germano não  conseguiu em 4 anos.