Dia ”D” de vacinação contra a gripe acontece neste sábado em todo o país

VACINA HOJEOs postos de vacinação de todo o país estarão abertos neste sábado (30) para o Dia “D” de mobilização contra a gripe. Até o dia 20 de maio deverão ser vacinadas, em todo o Brasil, 49,8 milhões de pessoas que integram o público-alvo. O dia de mobilização é uma parceria do Ministério da Saúde com as secretarias estaduais e municipais de saúde e tem como objetivo reforçar a importância da vacinação neste grupo prioritário pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

A meta do Ministério da Saúde é vacinar, pelo menos, 80% desta população, considerada de risco para complicações por gripe. Para a campanha, foram adquiridas 54 milhões de doses da vacina, que protege contra os três subtipos do vírus recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para este ano (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B). ”Há vacina suficiente para todos e não há necessidade de correria aos postos de vacinação”, destaca o secretário de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, Antonio Nardi.

O secretário lembra que a campanha vai até o dia 20 de maio. “É importante destacar, também, que foram adquiridas doses em quantidade superior ao público-alvo, o que chamamos de reserva técnica. O Ministério da Saúde está recebendo a vacina em etapas e, à medida que chegam, são distribuídas, imediatamente, aos estados, que são responsáveis pelo envio aos municípios”, observou Nardi.Devem tomar a vacina pessoas a partir de 60 anos, crianças de seis meses a menores de cinco anos (quatro anos, 11 meses e 29 dias), trabalhadores de saúde, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade – o que inclui adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas – e os funcionários do sistema prisional. As pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis, que inclui pessoas com deficiências específicas, também devem se vacinar. Para esse grupo não há meta específica de vacinação.

A escolha dos grupos prioritários segue recomendação da OMS. Essa definição também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.

ANTECIPAÇÃO – O Ministério da Saúde disponibilizou às secretarias estaduais de saúde, até esta sexta-feira (29), mais de 38 milhões de doses da vacina, o que corresponde a 71% do total (54 milhões) de doses adquiridas para este ano. Desde o dia 1º de abril, o Ministério da Saúde iniciou o envio da vacina aos estados, o que possibilitou que alguns municípios antecipassem a vacinação. Até o próximo dia 13 de maio, 100% das doses da vacina serão entregues aos estados brasileiros.

“Em todo o país, 22 estados da federação adiantaram suas vacinações. Por isso, orientamos a população a procurar as unidades básicas de saúde e a secretaria municipal de sua cidade para verificar se, neste sábado, estarão em funcionamento. Muitos desses municípios, que já anteciparam a campanha, estão com altas coberturas vacinais, e podem considerar que não há necessidade de manter as unidades abertas no dia D”, explica a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues.  A campanha conta com a participação de cerca de 240 mil pessoas e utilização de mais de 27 mil veículos terrestres, marítimos e fluviais

A vacina contra gripe é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença, internações ou, até mesmo, óbitos. Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza. “Temos milhões de pessoas vacinadas, não só no Brasil, mas no mundo. Esta é uma vacina de vírus inativado, desta forma não tem capacidade de ocasionar um quadro gripal. O que pode ocorrer é que a pessoa, ao receber a vacina, coincidentemente, pode ter sido acometida por outros tipos de vírus em circulação e que não estão incluídos na vacina, inclusive aqueles que causam resfriados”, explicou a coordenadora Carla Domingues.

Fonte: Ministério da Saúde