Eduardo Cunha negocia renúncia com o governo

Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha - Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil
Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha – Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

O governo do presidente interino Michel Temer (PMDB) vem negociando a renúncia de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara, segundo o colunista político Cláudio Humberto, do Metro Jornal.

O deputado afastado faz exigências ao governo para sair de cena e quer a eleição de Jovair Arantes (PTB-GO) para seu lugar, atualmente ocupado interinamente por Waldir Maranhão (PP-MA), que com poucos dias no cargo já é muito impopular na Casa, após ter tentado atravancar o processo de impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff (PT).

Cunha também teria pedido que Rogério Rosso (PSD-DF) fosse o líder do governo na Casa, mas já foi decidido que quem ocupará o cargo é André Moura (PSC-SE), nomeado por Temer ontem (17) – a indicação está longe de ser um revés para o parlamentar, já que o deputado é um dos seus fiéis apoiadores e tem se empenhado em barrar a cassação do peemedebista.

A indicação de aliados para alguns outros cargos também é pleiteada por Cunha, que abriria mão do posto na Câmara com o discurso de “apoio à governabilidade” e à nação. Se não se mostra contrário às outras intenções do deputado afastado, nesse ponto o governo é mais sensível  e não mostra disposição em negociar, já que avalia que o momento é de é de cortar cargos, e não de preenchê-los.

“É uma vergonha Eduardo Cunha ainda comandar a Câmara do lado de fora”, protestou o deputado Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE).