Escola Judiciária Eleitoral do TRE/RN realiza debate sobre Impeachment em Mossoró

A Escola Judiciária Eleitoral (EJE), órgão educativo do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN), promove, nessa quinta-feira (7), às 14h30, Painel Eleitoral com a temática “O Impeachment e a Legitimidade da Escolha Popular” com os estudantes do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do RN (IFRN) – Campus Mossoró.

O evento terá como palestrantes: o juiz de direito e eleitoral José Herval Sampaio Júnior, Juiz de Direito, e o Promotor de Justiça, Ítalo Moreira Martins e inicia a proposta de interiorização da atuação da Escola Judiciária Eleitoral, ampliando para as Zonas Eleitorais do interior o trabalho que já vem desenvolvendo na capital.

O projeto “Painel Eleitoral” estará naquela cidade promovendo sua segunda edição para um público formado por alunos dos Cursos Técnicos de Nível Médio – Integrado e Subsequente, assim como os dos Cursos Superiores, Gestão Ambiental e Matemática que receberão certificados de 4horas e, para isso, necessitam se inscrever no momento da Palestra.

A Escola tem como meta promover o conhecimento, colaborando com o desenvolvimento de uma visão crítica, cuja metodologia, utilizada nos painéis, consiste na exposição por parte de dois debatedores, mediados pelo Diretor da Escola, o juiz de direito Sérgio Maia, membro da Corte Eleitoral e a participação ativa do público.

A primeira edição desse Painel foi realizado, no último dia 29 de abril, em parceria com a Faculdade Natalense de Ensino e Cultura – FANEC quando reuniu mais de 400 estudantes no auditório do Colégio Nossa Senhora das Neves, em Natal.

Para o diretor da EJE-RN, o juiz Sérgio Maia,  o Painel Eleitoral é uma iniciativa de grande importância para a consolidação da democracia. “Torna-se imprescindível que o povo entenda conceitos jurídicos elementares e os desdobramentos sociais derivados dos atos judiciais e político legislativos. Por tudo isso, a oferta da Escola Judiciária Eleitoral e seus parceiros mostra-se  pertinente ao momento que o país atravessa”, afirma o magistrado.