FTI-RN externa preocupação com fechamento da Procuradoria do Trabalho em Caicó

Presidente da FTI RN Joaquim Bezerra de Menezes Neto
Presidente da FTI RN Joaquim Bezerra de Menezes Neto

A Federação dos Trabalhadores nas Indústrias do Rio Grande do Norte enviou um ofício ao Procurador-chefe da Procuradoria Regional do Trabalho 21ª Região, Fábio Romero Aragão Cordeiro, externando preocupação com o possível fechamento da unidade da Procuradoria que funciona na cidade de Caicó.

No ofício, o presidente da FTI-RN, Joaquim Bezerra de Menezes Neto, afirma que a notícia pegou os sindicatos ligados à Federação de surpresa e gerou grande preocupação entre os trabalhadores. A região, composta por 24 municípios, possui atividades econômicas importantes para economia do Estado como mineração, confecções, laticínios, entre outras, que agregam significativamente um número considerável de trabalhadores.

O Ministério Público do Trabalho, no âmbito de suas atribuições, é mais que meramente um braço do Ministério Público da União, voltado para a defesa dos interesses coletivos e difusos. É também o amparo de sindicatos e federações quando, em nome dos trabalhadores, somos ignorados, negligenciados e menosprezada a importância organizativa dos trabalhadores, estabelecendo assim a impossibilidade na resolução de conflitos”, destaca.

Ainda de acordo com Joaquim, “a ausência presencial do MPT/RN em Caicó enfraquecerá o lado, que já por natureza de sua relação com o trabalho, é o mais fraco. E sabido que o principal motivo para tal fato se dá por necessidade de contenção de despesas mediante o corte de recursos para manutenção da malha institucional, oriundos da união. Nos vale então lembrar que o Ministério Público da União está presente no mesmo município e talvez seja possível a abertura de espaço físico em suas instalações para abrigar o ofício do MPT/RN, reduzindo assim custos e evitando o encerramento de suas atividades”.

A Federação dos Trabalhadores nas Indústrias do RN foi informada também que a Câmara Municipal de Caicó planeja abrir audiência pública para discutir com a sociedade o encerramento das atividades do Ofício do MPT no município. “Em contato com a secretaria da Câmara Municipal, nos disponibilizamos, juntamente com sindicatos filiados, a participarmos do debate”, completa.