Homenagem da Assembleia aos 100 anos de Manoel Torres é marcada pela emoção

Homenagem a Manoel Torres aconteceu também na ALRN

A emoção e os elogios a sua postura de ética, honestidade e firmeza de caráter predominaram em todos os pronunciamentos durante a sessão solene na Assembleia Legislativa em homenagem ao centenário do ex-deputado Manoel Torres. A iniciativa em render homenagens ao ex-prefeito de Caicó foi do deputado Gustavo Carvalho (PSDB) e subscrita pelos outros 23 parlamentares.

A solenidade foi prestigiada pelos senadores Garibaldi Alves (MDB) e José Agripino (DEM), deputada federal Zenaide Maia, prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (PDT) e pelo atual prefeito de Caicó, Robson Araújo (Batata), além de um expressivo número de lideranças políticas da região. Caso estivesse vivo, o líder político seridoense teria completado 100 anos no dia 15 de fevereiro.

“Manoel Torres foi uma liderança expressiva de seu tempo e uma referência necessária para a atualidade, pelo que fez em vida e em favor de muitas pessoas, que o tem como um homem honesto e justo. A celebração dos 100 anos de seu nascimento é um dos momentos importantes da atual legislatura, tanto pelo homenageado, quanto pelo que ele representa em relação a princípios que julgamos inerentes à vida política: honestidade, retidão e compromisso com o interesse público”, afirmou Gustavo Carvalho.

O senador Garibaldi Alves afirmou que o homenageado “foi e será um exemplo de como o homem público deve se comportar”. O senador fez um relato emocionado dos momentos da convivência com o líder seridoense e disse que na biografia de Manoel Torres não há nenhuma mancha: “Ele marcou sua administração sobretudo pela austeridade”, disse.

O senador José Agripino disse que apesar de adversários políticos, a relação entre os dois sempre foi marcada pelo respeito. “Cada vez que eu ia a Caicó eu ia visitá-lo, porque nos respeitávamos. É a boa política que se homenageia nesta hora, um exemplo para os dias de hoje”, afirmou. O senador ressaltou que apesar das divergências próprias da política, Manoel Torres nunca faltou com amizade e respeito aos seus.

Atual vice-prefeito de Natal, Álvaro Dias (MDB) lembrou o início de sua vida pública e a convivência com o homenageado: “Ele era um homem íntegro, sincero e austero. Tivemos longas conversas e agradeço o privilégio pela convivência com alguém com suas grandes qualidades”, afirmou.

Representando a família, o filho de Manoel Torres, Carlos Alberto Oliveira Torres agradeceu a homenagem da Casa e também relatou passagens de sua vida como pai, político e empresário e encerrou: “Que sua trajetória sirva de exemplo para as gerações presentes e futuras”.

Biografia

Prefeito de Caicó por dois mandatos (1973-1977 e 1989-1992), vice-prefeito uma vez, deputado estadual em quatro legislaturas e suplente de senador, Manoel Torres era respeitado até pelos adversários. Em Caicó as homenagens pelo centenário foram iniciadas na semana do seu nascimento, em 15 de fevereiro, com eventos promovidos pela Prefeitura e Câmara Municipal.

O ex-deputado nasceu em 1918, no sítio Clemente, município de Timbaúba dos Batistas, quando o sítio ainda pertencia ao território de Caicó. Faleceu aos 93 anos e era filho do casal Paulino Batista Pereira Torres e Maria Marcolina de Oliveira Torres. Casou-se com Dona Oscarina, com quem viveu mais de 50 anos, construindo uma família com seis filhos, 13 netos e 18 bisnetos.

Como empresário, sua trajetória foi marcada por um comércio de automóveis e peças, por meio da conhecida Santorres Comércio S/A, e por ter sido fundador da Algadoeira Seridó Comércio e Indústria S/A – ALSECOSA, que chegou a ser uma das maiores empresas do mercado do algodão.

Na sua vida pública, Manoel Torres é lembrado ainda pela ativa participação na “Cruzada da Esperança” em 1960, apoiando Aluízio Alves e Monsenhor Walfredo Gurgel para a sucessão estadual do Rio Grande do Norte.