ILP quer implantar cursos à distância no segundo semestre de 2015

O Instituto do Legislativo Potiguar (ILP) já iniciou o ano de atividades com diversos cursos livres profissionalizantes. Somente no primeiro semestre, duas mil vagas foram abertas à população em 31 cursos. O objetivo do ILP é fazer com que, a partir deste ano, servidores das casas legislativas do Rio Grande do Norte e a população tenham acesso a cursos de Educação à Distância (EAD).

Com mais de 17 mil alunos atendidos desde 2009, o ILP já ofereceu mais de 400 durante os quase sete anos de funcionamento. Além dos cursos livres profissionalizantes, o ILP também oferece cursos de graduação e pós-graduação, contando com aulas de professores especialistas, mestres e doutores, contratados em caráter temporário para ministrar os cursos de acordo com a demanda. Para participar das atividades, a comunidade e os servidores não têm custos, com o preenchimento de vagas nos cursos livres ocorrendo por ordem de inscrição e, nos casos de graduações e pós-graduações, mediante processo seletivo, observando-se a prioridade aos servidores das casas legislativas.

No primeiro semestre, estão previstos cursos de línguas (Inglês, Espanhol e Francês), redação, informática, marketing, fotografia, gestão pública, entre outros. Todos os cursos já tiveram as vagas preenchidas e, caso ocorram desistências, os suplentes serão chamados.

Para o decorrer de 2015, além de manter a estrutura e o oferecimento dos cursos presenciais semestralmente, o ILP projeta a realização de seminários periódicos para debater grandes temas nacionais; ampliar e digitalizar a o acervo da biblioteca, incluindo novos títulos virtuais; e  trabalhar para a Educação à Distância.

Segundo o diretor do ILP, professor Augusto Jorge de Macedo, o ensino à distância será um produto a mais para a população e também aos servidores das casas legislativas do Rio Grande do Norte.

“O ILP tem sido muito importante para a sociedade. É um instrumento que qualifica o funcionário e dá novos horizontes profissionais. Trabalhamos para o servidor e para a comunidade, onde prestamos um serviço na área de educação, que nunca é demais”, avalia o professor Augusto Jorge de Macedo.