José Maranhão deixa comissão do impeachment e Dário Berger é indicado para a vaga

Dário Berger (PMDB-SC) foi indicado à condição de titular da comissão especial  -  Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senad
Dário Berger (PMDB-SC) foi indicado à condição de titular da comissão especial – Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senad0

O senador Dário Berger (PMDB-SC) deve passar a compor a comissão especial do impeachment na condição de titular, ocupando a vaga de José Maranhão (PMDB-PB), que deixará o colegiado. Ofício tratando da indicação, assinado pelo líder do PMDB, senador Eunício Oliveira (CE), foi lido no final da sessão plenária desta sexta-feira (22).

O partido deverá ainda indicar nome para ocupar a vaga de suplente antes reservada a Dário Berger. A comissão é integrada por 21 membros titulares e igual número de suplentes. A formação indicada por partidos e blocos partidários será submetida a voto em Plenário, na segunda-feira (25).

Aprovada a comissão, caberá ao senador mais velho convocar a primeira reunião, onde serão eleitos o presidente e o relator. Com a saída de José Maranhão, a posição de parlamentar mais velho cabe agora ao senador Raimundo Lira (PMDB-PB), que já havia sido indicado por seu partido para presidir a comissão. O PMDB, por ser a maior bancada no Senado, tem o direito à indicação.

A Agência Senado destacou que Lira já havia sido indagado sobre quando os trabalhos teriam início, adiantado que, segundos os ritos e prazos de funcionamentos, a instalação da comissão seria na terça-feira, às 10h. O senador assegurou ainda que, se eleito presidente, irá conduzir os trabalhos da comissão de forma isenta. Explicou que, no momento em que aceitou a indicação, assumiu uma postura suprapartidária.