Márcia Maia exalta legado de Wilma de Faria no setor energético do RN durante homenagem do CERNE

Márcia Maia exalta legado de Wilma de Faria no setor energético do RN durante homenagem do CERNE

A ex-governadora Wilma de Faria foi homenageada, in memorian, nesta terça-feira (27) pelas conquistas do setor energético do Rio Grande do Norte alcançadas entre os anos de 2003-2010. A homenagem feita pelo Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (CERNE) durante o Fórum Nacional Eólico, e em nome da indústria energética do estado, foi recebida pela filha e deputada estadual Márcia Maia.

As conquistas alcançadas durante a gestão da ex-governadora Wilma de Faria colocaram o Rio Grande do Norte na liderança do ranking nacional eólico, com 3.3GW de capacidade instalada, e na perspectiva de atingir a marca de 5 gigawatts (GW) de capacidade instalada em energia eólica nos próximos quatro anos.

Jean-Paul Prates, diretor-presidente do CERNE e um dos responsáveis pela realização do Fórum Nacional Eólico desde a sua primeira edição, em 2009, destacou as contribuições da ex-governadora Wilma para o setor e lamentou o falecimento dela no último dia 15. “É uma homenagem do setor todo para ela, a governadora que tornou o estado líder nacional de fato em energia renovável e essa responsabilidade é de todos nós agora, temos que segurar esse bastão e levar isso adiante“, afirmou Prates. Ele, inclusive, foi titular da Secretaria Estadual de Energia e Assuntos Internacionais – pasta criada pela ex-governadora.

Uma placa foi entregue por Jean-Paul Prates em destaque pela inestimável contribuição para implantação e consolidação do setor tornando o Rio grande do Norte em estado líder em potência eólica instalada e energia eólica gerada do Brasil.

A parlamentar, em tom emocionado, destacou as importantes conquistas e o legado deixado por Wilma de Faria no setor energético do RN. “Ela fez com que, o invisível para muitos, se transformasse em realidade. Com ela à frente do estado, conquistamos grandes realizações na área das energias renováveis. A principal delas foi o salto iniciado em 2003, quando a capacidade instalada para a geração de energia no Rio Grande do Norte saiu de zero para a autossuficiência em 2010“, afirmou.

Márcia lembrou ainda a implantação da Usina Termoelétrica do Vale do Açu (Termoaçu), em 2008, e das usinas termoelétricas (UTEs) Potiguar 1 e 3. Além disso, a instalação dos primeiros parques eólicos viabilizados no Estado e que entraram em operação entre 2006 e 2010.

A gestão de Wilma de Faria também foi responsável pela viabilização da Refinaria Potiguar Clara Camarão, capaz de refinar quase todo o petróleo produzido no Estado. Houve ainda investimentos nas áreas de bioenergia, energia solar, infraestrutura de transmissão e cooperações sócio-ambientais.

Que tenhamos a sensibilidade e a coragem da ex-governadora Wilma de Faria e, em nome dela, agradeço todos que de alguma forma homenageiam sua memória e legado. E que possamos continuar a semear os ventos do desenvolvimento e produzir a energia necessária para que o estado alcance o protagonismo ao qual está vocacionado“, concluiu Márcia.