Monsenhor João Agripino será sepultado nesta quinta-feira (11) em São João do Sabugi/RN

Corpo do Monsenhor João Agripino é velado em São João do Sabugi
Corpo do Monsenhor João Agripino é velado em São João do Sabugi – (FOTO: Dercilio Morais)

Por Anna Jailma (Jornalista) – Em São João do Sabugi RN, os sabugienses vivenciam os ritos fúnebres que antecedem o sepultamento do Monsenhor João Agripino Dantas, de 91 anos de idade e 65 anos de sacerdócio. O badalar do sino em repique fúnebre anunciou a partida do sacerdote logo que sua morte foi confirmada. A bandeira do santo padroeiro São João Batista está hasteada com sinal de luto.

Na sua residência após sua morte, as pessoas presentes rezaram o terço e ontem a noite novamente o terço foi rezado antes da missa das 21h. O velório prossegue na Igreja Matriz e foi rezado Ofício dos Mortos as 23hs. Hoje quinta-feira (11), será celebrada missa as 9hs com presença já confirmada de várias autoridades eclesiásticas, entre elas o bispo de Caicó, Dom Antônio Carlos Cruz Santos.

O Monsenhor João Agripino será sepultado na Igreja Matriz de São João Batista, ao lado do altar de Santa Teresinha. O sacerdote por muitos anos foi capelão da Igreja de Santa Teresinha – do Educandário Santa Teresinha de Caicó. Ele foi pároco em Serra Negra do Norte, atendendo aquele município, além de São João do Sabugi, e Ipueira. Em 1996, foi criada a Paróquia de São João Batista em São João do Sabugi e o Monsenhor Agripino foi o primeiro pároco, passando a residir naquela cidade em 1997, onde permaneceu até atender este último chamado de Deus.

Ano passado o Monsenhor João Agripino, que desde 2000 era Pároco Emérito da Paróquia de São João Batista, recebeu da UFRN o título de Professor Emérito, em homenagem aos seus serviços prestados àquela instituição como exímio professor, que contribuiu de forma excepcional para o avanço da Educação e consequentemente do desenvolvimento no Seridó. Monsenhor João Agripino era natural de Cruzeta RN, filho de João Batista Dantas e Maria Margarida Dantas. Ele tinha somente duas irmãs, já falecidas: Irmã Estanislava e Irmã Olímpia, ambas freiras da Congregação Amor Divino.

Permanece eternizada na memória dos sabugienses a história de vida de Monsenhor Agripino, história também preservada no Memorial João Agripino Dantas que funciona desde 2010.