Na volta de Felipão à Liberta, Borja faz dois e Palmeiras derrota Cerro

Borja foi um dos destaques da partida

Quinta feira copeira para o futebol brasileiro. Na noite desta quinta duas equipes entraram em campo para compromissos decisivos nos dois principais torneios da América do Sul.

E teve vitória com a cara do novo chefe. No Paraguai, o Cerro Porteño recebeu o Palmeiras para o jogo de ida das oitavas de final da Libertadores. Essa foi a primeira partida do Verdão na competição sob o comando do novo velho treinador. O dono de um dos bigodes mais icônicos do futebol brasileiro, Luís Felipe Scolari, o Felipão. O novo comandante contou com a volta de alguns jogadores importantes para a partida, como foi o caso do atacante Borja.

O primeiro tempo foi abaixo do que o torcedor palestrino gostaria de ver. Se o time da casa não sabia fazer valer o mando de campo com a pressão da torcida, a equipe brasileira não apresentava seu melhor desempenho.

Se a primeira etapa não foi das melhores, a segunda deu motivos de sobra para os corações verdes se encherem de esperança com o futuro da equipe. Logo na primeira volta do relógio, gol palmeirense. Após cobrança de falta, a bola sobrou no segundo pau para Borja, que com tranquilidade dominou e mandou para o fundo da rede. Um a zero para o Palmeiras. Com o gol, a defesa do Verdão, que já estava bem na partida, se consolidou ainda mais e neutralizou todas as tentativas da equipe adversária, enquanto aos poucos, o ataque começava a se soltar e criar mais. Até que na altura dos 25 minutos do segundo tempo, após contra-ataque rápido, Diogo Barbosa finalizou. O goleiro rebateu, a bola caiu nos pés de Moisés. O camisa 10 serviu Borja que com uma bomba, fez o segundo dele e do Palmeiras, que decretou a vitória. Final, Cerro Porteño zero, Palmeiras dois. Com a vantagem, o Verdão pode perder o jogo de volta por até um gol de diferença que seguirá na Liberta.

Quem venceu, mas não conseguiu se manter na disputa pela taça da Sul-Americana foi o Vasco. O Gigante da Colina tinha a LDU pela frente em São Januário e a tarefa estava longe de ser simples. Isso porque já havia perdido a partida de ida por três a um. Em casa, o Vascão foi para cima, criou um caminhão de chances, mas o aproveitamento era baixíssimo. Depois de mais de 30 chances criadas e desperdiçadas, o Vasco marcou somente aos 40 da segunda etapa com Thiago Galhardo. Apesar da vitória, o Vasco não conseguiu a classificação e está eliminado da Sul-Americana.