Nove agentes penitenciários controlam 280 presos em REBELIÃO em Nova Cruz

Grupo de Operações Especiais fez intervenção para evitar fuga em massa ou maior depredação da Unidade
Grupo de Operações Especiais fez intervenção para evitar fuga em massa ou maior depredação da Unidade

Mesmo sem apoio do Batalhão de Choque da Polícia Militar, que se recusou a entrar na Cadeia Pública de Nova Cruz, os agentes penitenciários do Grupo de Operações Especiais (GOE) fizeram uma intervenção e conseguiram conter a rebelião dos presos naquela unidade. O Portal BO informou que os presos quebraram celas e grades e estavam soltos nos pavilhões 1 e 2, inclusive, escavando buracos para fugirem.

Diante do risco à segurança da população e dos próprios agentes, que temiam a tomada total da Cadeia por parte dos presos, os agentes penitenciários do GOE decidiram entrar para controlar e solicitaram reforço do BPCHoque. Os policiais, no entanto, recusaram-se e ficaram no lado de fora da unidade.

Por volta das 23h, os nove agentes do GOE entraram e controlaram, primeiro, o Pavilhão 1. Depois disso, foram para o Pavilhão 2, onde foram recebidos a pedradas. A situação ficou tensa durante quase toda a madrugada. Somente por volta das 5h desta terça-feira, é que a rebelião foi totalmente controlada.

De acordo com os agentes penitenciários, a Cadeia Pública de Nova Cruz está com a estrutura física totalmente comprometida, devido ao quebra-quebra feito pelos presos.