“O mais importante para o idoso é ser querido, ter afeto”, disse Padre Tércio no Abrigo de Caicó

Monsenhor Auzônio Tercio de Araújo confia em dias melhores para o abrigo de Caicó
Monsenhor Auzônio Tercio de Araújo confia em dias melhores para o abrigo de Caicó – (FOTO: Sidney Silva)

O Monsenhor Auzônio Tércio de Araújo, participou do lançamento da campanha “Amigo dos Idosos, Parceiro do Abrigo”, que aconteceu na manhã de segunda-feira (06), no prédio do próprio Abrigo Pedro Gurgel. O religioso sugeriu às irmãs que atuam na instituição que instigassem os colaboradores a conhecer o trabalho desenvolvido lá, destacando que muitos não sabem nem aonde fica localizado o Abrigo. “É importante que as pessoas venham aqui ver o grande trabalho que se faz com os idosos“, disse e complementou lamentando a falta de interesse na crianção de novos abrigos na região. “O abrigo é uma instituição importantíssima para a cidade de Caicó. Eu estava com medo de esquecerem. Infelizmente, ultimamente, não se tem criado novos abrigos nas cidades. Hoje, o idoso está ficando mais esquecido, num quarto, fora de casa. O mais importante para o idoso é ser querido, ter afeto. Não basta ter comida, dormida e roupa limpa, é preciso ser amado”.

O padre lembrou ainda ao Blog Sidney Silva que lamentavelmente que os pais abandonam seus filhos. O marido e mulher, parece que esquecem que uma família tem filhos e pais, no caso, os avós e esses são esquecidos, assim como as crianças. “Eu fui diretor de escola muito tempo e sei o quanto as crianças dependem de babás, das empregadas. Eu conto um fato que é real. Quando eu ainda era diretor, havia uma criança, aluna, que quando chegava o final da aula, ele não saía da sala ou das dependências do colégio e ficava atrapalhando o trabalho dos empregado da escola que tinham que preparar o espaço para o turno seguinte, então, eles vieram me reclamar. Diga a ele (a criança) que vá pra casa. Então eu o mandei chamar o menino que me disse: Tá, e pra onde eu vou? Eu disse: Pra sua casa! E ele disse: Mas, minha casa é uma inferno! Eu não gosto de estar lá… veja, se a criança estava assim, imaginem como não são tratados os pais desse casal“.