Prefeita de Florânia nega ter influenciado mudança no Comando do Destacamento da PM

A prefeita da cidade de Florânia, Márcia Nobre, enviou nota ao Blog refutando as informações de que supostamente teve ligação com a mudança de comando no Destacamento local da Polícia Militar.

Leia a nota:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

​Acerca dos fatos veiculados na imprensa relacionados à substituição do comando da Polícia Militar na nossa cidade, venho a público, por dever de ofício, informar à comunidade que são totalmente inverídicas as tentativas de relacionar a mudança de destacamento a qualquer ordem ou pedido feito por mim em razão do cargo que ocupo.

​Ao contrário, o trabalho existente entre a Polícia Militar na cidade e a Prefeitura Municipal de Florânia sempre se deu em ambiente de extrema parceria e respeito entre as instituições, inclusive com a total disponibilidade da estrutura do poder público para a viabilidade das ações policiais na nossa comunidade.

​Nesse sentido, cumpre esclarecer ainda que todas as vezes em que precisei me remeter ao comando da Polícia Militar, na cidade de Caicó/RN, foi para tão-somente solicitar reforço de contingente para dar suporte ao destacamento local, sobretudo em tempos de pandemia,como posso demonstrar documentalmente, mas jamais para influenciar decisão administrativa da corporação, nem tampouco para agir fora da legalidade que sempre foi própria das ações por mim praticadas.

​Em verdade, a substituição no destacamento da cidade está sendo usada pelo grupo oposicionista para, numa ação eleitoreira e desesperada, imputar a mim, embora não seja candidata nas próximas eleições já sou reeleita no cargo, conduta jamais praticada e, assim, despertar na comunidade um sentimento contrário à aprovação das ações que estamos praticando enquanto gestão comprometida com a ética e a legalidade.

​Por fim, ao mesmo tempo em que me coloco à disposição de todos para quaisquer esclarecimentos, informo que tomarei todas as medidas judiciais cabíveis contra aqueles que insistirem na tentativa de imputar a mim fatos considerados criminosos.​

​A verdade há de prevalecer!