Presidente do IGARN disse que tentou fazer o desassoreamento de açudes do RN

No período de estiagem prolongado que atinge o Nordeste brasileiro, especificamente o Rio Grande do Norte, muitos se perguntam sobre o por que de os reservatórios públicos não passarem por um desassoreamento, ou seja, a limpeza e remoção de areia, sedimentos ou outros detritos neles acumulados.

Estudiosos no assunto afirmam que reservatórios como o Itans de Caicó, pode não ter mais o seu volume de 81 milhões e 750 mil metros cúbicos de água porque ao longo dos anos, acumulou muito sedimento. A retirada desse material seria de fundamental importância para que ele volte a ter seu volume oficial.

O presidente do Instituto de Gestão das Águas do Rio Grande do Norte – IGARN, Josivan Cardoso, disse nesta terça-feira (25) ao Blog Sidney Silva, que tentou fazer o desassoreamento dos açudes públicos, mas, o Ministério Público Federal teria oposto alegando ser da União, o minério (argila ou sedimentos), existente no fundo dos açudes.

Ouça entrevista com Josivan Cardoso: