Projeto reserva 6% das moradias dos programas habitacionais para idosos

MINHA CASA MINHA VIDA 2O relatório do senador Marcelo Crivela, do PRB do Rio de Janeiro, reserva às pessoas com mais de 60 anos pelo menos seis por cento das moradias populares oferecidas em programas habitacionais públicos, como o Minha casa, minha vida. Metade dessas vagas deve ser destinada para idosos de baixa renda, que recebem até três salários mínimos.

O senador Marcelo Crivela explicou que a iniciativa busca garantir mais autonomia, conforto e acessibilidade para as pessoas nesta faixa etária, já que as moradias devem ser construídas no térreo ou no primeiro andar.

“É um projeto de muito interesse dos idosos, que teriam 6% das residências dos programas de habitação do Governo. Todos esses programas do Governo tenham uma cota para o idoso, já projetada no início. Já se saberia onde seriam as unidades – no primeiro andar –, como seriam as facilidades. Não se pode colocar o idoso no último andar, pois esses prédios residenciais não têm elevador; são três pavimentos. De tal maneira que é um projeto relevante, importante”, disse o senador Marcelo Crivela.

Atualmente, o Programa Minha Casa, Minha Vida já destina três por cento das moradias para idosos e outros três por cento para pessoas com deficiência. Segundo dados do IBGE, a população brasileira tem cerca de 21 milhões de idosos. O projeto deve ser analisado pela Comissão de Assuntos Sociais, e se aprovado, segue para a Câmara dos Deputados.