Quase uma década após concordata, Kodak entra no mercado farmacêutico

A lendária marca de fotografia Eastman Kodak entrará no negócio de fabricação de produtos farmacêuticos em meio à pandemia de coronavírus, usando um empréstimo do governo de US$ 765 milhões, anunciou a empresa nesta terça-feira (28).

O empréstimo da Corporação Internacional de Financiamento ao Desenvolvimento dos Estados Unidos (DFC) financiará a criação da Kodak Pharmaceuticals, que “produzirá componentes farmacêuticos que foram identificados como essenciais, mas caíram em uma escassez crônica nacional”, disse esta agência em comunicado.

A empresa, que assinou uma “carta de interesse” com a DFC nesta terça-feira, produzirá “até 25% dos ingredientes farmacêuticos ativos usados em medicamentos genéricos não biológicos e não antibacterianos”, segundo a France Presse.

A Kodak, que já foi uma gigante no mundo da fotografia e cujos negócios têm enfrentado dificuldades nos últimos anos com o advento dos smartphones, expandirá suas instalações atuais em Rochester, Nova York e St. Paul, Minnesota.

G1