Sesap estuda medidas para contenção do novo coronavírus no RN

O Comitê Estadual de Emergências em Saúde Pública irá se reunir nesta terça-feira (17) para definir medidas de contenção do novo coronavírus no Rio Grande do Norte.

Em entrevista hoje ao programa Bom Dia RN, na InterTV Cabugi, o secretário estadual de saúde, Cipriano Maia, afirmou que está sendo estudada a possibilidade de suspensão das atividades escolares e bloqueios ou barreiras sanitárias em portos e aeroportos.

O Governo está comprometido e, de forma parceira, instituindo o diálogo com os municípios e diversos órgãos para o enfrentamento desta emergência. Não queremos criar pânico, nem ser lenientes. Já há uma tendência, baseada nas experiências de outros estados, de suspensão das atividades escolares. Nós temos características no nosso país de profunda desigualdade social. São crianças que dependem da merenda fornecida nas escolas. Então, também precisamos pensar qual vai ser a repercussão sobre estas famílias. Estamos escutando especialistas e a evolução dos casos é que vai permitir a tomada de medidas oportunas. Há ainda algumas divergências e leituras diferenciadas sobre o que estamos vivenciando”, disse Cipriano.

De acordo com o secretário, existe uma tendência de crescimento exponencial de casos, que chegam a um pico e depois começam a cair. “Não temos segurança da extensão dessa curva, acredita-se que em torno de três meses a partir de quando se instala a transmissão comunitária. O que queremos é evitar que a curva não tenha uma situação aguda para não sobrecarregar o sistema de saúde”.

Cipriano Maia afirmou que desde a confirmação, em 12 de março, do primeiro caso de coronavírus no RN, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) adotou medidas para prevenção, inclusive com a publicação, no sábado (14), do decreto Nº 29.512 que dispõe sobre medidas temporárias de prevenção ao contágio pelo novo Coronavírus (COVID-19) no âmbito do Poder Executivo Estadual. Com validade de trinta dias, o documento define orientações para manutenção da prestação dos serviços públicos. “Orientamos que as pessoas, se puderem, fiquem em casa; evitar aglomerações, evitar contato, manter uma distância segura e fazer o distanciamento social para retardar a progressão da epidemia. Recomendamos a suspensão de eventos de massa, estimulando atividades a distância (reuniões e teletrabalho), a higiene dos ambientes e a proteção dos idosos. A atitude, compromisso e responsabilidade de cada indivíduo é um ato de cidadania. Cada um deve se proteger e proteger aos seus”.

Para que o aumento da demanda por assistência respiratória não sobrecarregue o sistema de saúde, a orientação é procurar atendimento hospitalar apenas em casos graves. “A população pode procurar as unidades básicas de saúde dos municípios que tem fluxo e protocolos definidos. Os casos críticos e suspeitos de gravidade são avaliados pelos médicos, em função de protocolos definidos pelo Ministério da Saúde. Hoje não há estrutura para todo mundo fazer o teste diagnóstico, então é necessário utilizar o kit em casos com situação clínica e vínculo epidemiológico”.

Cipriano Maia informou ainda que está aguardando que a Fiocruz envie para o Laboratório Central (Lacen) do RN os kits para diagnóstico do Covid-19 e que o Ministério da Saúde está planejando a locação de leitos em unidades privadas, caso necessário.