Governo do RN avalia retomada de parceria com a Adese

Foto: Sandro Menezes/ ASSECOM/RN

A Agência de Desenvolvimento Sustentável do Seridó (Adese) apresentou nesta sexta-feira (7) à governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, plano de trabalho para 2021 e 2022 a fim de retomar a parceria com o Governo do Estado.

Entres os objetivos está atender aos usuários de água; inclusive com estudo e mapeamento dos sistemas de reuso; publicar ações desenvolvidas pelo Governo do RN no território do Seridó; e dinamizar as potencialidades econômicas da Barragem Oiticica, além de apoiar o processo de organização social e produtivo dos moradores de Barra de Santana e entorno.

Em encontro virtual, na presença da secretária adjunta do Gabinete Civil, Socorro Batista, a governadora pediu que a Agência enviasse documento ao Governo para formalizar o pedido. Novo encontro será marcado para os próximos dias.

“Vamos retomar essa discussão feita no ano passado, pra que a gente veja quais são as possibilidades do governo diante da série de limitações que se impuseram, inclusive de natureza orçamentária”, anunciou Fátima Bezerra, ao reconhecer o importante papel desempenhado pela Adese, que foi constituída em 2001 e é qualificada como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip).

A reunião foi articulada pelo deputado estadual Francisco do PT e contou com as participações dos secretários de Tributação, Cadu Xavier, e de Recursos Hídricos, João Maria Cavalcanti, além da vice-presidente da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras do RN (Fetarn) Ana Aline Morais.

Da Adese, participaram o presidente do Conselho Superior, Assis Araújo; o presidente da diretoria administrativa, Vanderli de Araújo; e ainda Emídio Gonçalves, Wanderley Filho, Geraldo Oliveira e José Procópio.


O prefeito de Caicó tem que olhar para o Seridó e valorizar a ADESE, defende Diego Vale

Candidato Diego Vale esteve na Adese

O próximo prefeito de Caicó precisa ter a capacidade de liderar o Seridó e não olhar apenas o próprio umbigo. Os municípios vizinhos utilizam serviços e compram em Caicó. Na hora que a gestão de Caicó está bagunçada, toda a região sofre com isso”, destacou Diego Vale, defendendo uma pauta conjunta entre os municípios, durante reunião na ADESE – Agência de Desenvolvimento Sustentável do Seridó.

Diego Vale é candidato a prefeito de Caicó pelo Solidariedade e fez uma visita a ADESE com sua vice, Vilma Medeiros, para apresentação e discussão do Plano de Governo. Os candidatos defenderam que a ADESE seja valorizada como um laboratório de projetos para o Seridó, com perspectivas de fortalecimento do território.

A discussão sobre os recursos hídricos, tão importante para o desenvolvimento sustentável da região, precisa passar pela ADESE que sedia o Comitê da Bacia dos rios Piancó-Piranhas-Açu”, defendeu Diego Vale.

Com oferta de água e o uso racional dela, teremos, por exemplo, o fortalecimento da agricultura familiar. E a ADESE já tem diversos estudos que apontam para as nossas vocações econômicas e o Município pode aproveitar para nortear suas ações”, exemplificou Vilma, candidata a vice-prefeita de Caicó.

Notícias de responsabilidade da assessoria do candidato


Adese e Sebrae lançam site para ajudar produtores de queijos do Seridó a aumentarem as vendas

Site vai ajudar produtores de queijos do Seridó

A Agência de Desenvolvimento Sustentável do Seridó – ADESE, com o apoio do Sebrae do Rio Grande do Norte, está lançando nesta quarta-feira (15) o site https://queijosdoserido.com.br/  para divulgar as atividades dos produtores de queijos regionais do Seridó. Existem atualmente pouco mais de 300 produtores de queijo de coalho e de manteiga distribuídos pelos 25 municípios do Seridó norte-rio-grandense. Muitos deles produzem outros derivados do leite, como a manteiga do sertão, muito apreciada e utilizada na culinária regional por consumidores do Nordeste brasileiro.

A iniciativa é uma alternativa visando minimizar os efeitos da pandemia provocada pelo novo coronavírus (Covid-19) na cadeia produtiva do leite, que está praticamente estagnada por falta de locais para a comercialização desses produtos, devido ao fechamento do comércio local e isolamento social das famílias. Segundo o presidente da Cooperativa Mista dos Agricultores Familiares do Seridó – COAFS, Joseilson Medeiros, a crise do coronavírus tem afetado diretamente a comercialização de queijos e, consequentemente, a produção de leite na região do Seridó, que sofreu uma queda vertiginosa.

Continue lendo