Please enter banners and links.


Em tempos de desmonte cultural, Curta Caicó é reflexo da resistência do meio audiovisual

Mesmo com grande repercussão e praticamente com o dobro de tamanho, o Curta Caicó enfrentou dificuldades financeiras nesta segunda edição por não contar com incentivo de nenhum edital público. “Conquistamos muitos apoios importantes que deram uma dimensão gigante ao evento, mas faltou recursos diretos para custear despesas logísticas e com equipe de produção”, relatou Lucena.

Para complementar as despesas, o evento precisou recorrer a uma “vakinha virtual”, onde é possível ajudar o festival com qualquer valor. “Apoios coletivos são uma forma dos eventos culturais resistirem nos tempos sombrios de desmonte cultural que enfrentamos nos dias de hoje”, afirmou. Para contribuir, basta acessar: http://vaka.me/601788.

Mesmo com as intempéries, em momento algum houve possibilidade de cancelamento do festival. “Estamos plantando uma semente em nosso Seridó, que pode vir a se tornar uma região propícia para a cadeia produtiva do audiovisual, gerando emprego e renda para a nossa população. O Curta Caicó tem uma missão. E essa missão é motivar”, ressaltou.

O Curta Caicó é uma realização da Referência Comunicação. O evento conta com os seguintes parceiros: Governo do RN, Fundação José Augusto, Prefeitura de Caicó, Prefeitura de Parelhas, CERES – UFRN, UERN, SESC RN, SEBRAE, SINDSERV, Replac, Implarn, Calle, Óticas Mirna, Unicords, Auto Escola Caicó. Apoio cultural: BrisaNet, TV Kurtição, Elo Company, Místika, ACCIRN, ABDeC, Setcenas, Sistema Rural de Comunicação, Rádio Povo FM, Rádio Caicó AM, Solidariedade FM, Jovem Pan FM, Canal Futura, Lâmina Filmes, Gravura Filmes e InterTV Costa Branca.



Estudantes aprendem técnicas de linguagem audiovisual em oficina de cinema alternativo do Curta Caicó

Oficina de cinema será realizada em Caicó

A abertura oficial do 2º Curta Caicó será nesta quinta-feira, 13 de junho, mas a primeira atividade de formação do festival já foi realizada na terça (11). Estudantes de escolas públicas de Caicó tiveram um dia inteiro de capacitação em linguagem audiovisual ao participarem da oficina “Cinema Alternativo”, que teve como facilitador o cineasta Ernani Silveira.

A oficina aconteceu no Centro Cultural Adjuto Dias e os estudantes tiveram acesso à história do cinema, técnicas narrativas, além do primeiro contato com equipamentos utilizados em um set de filmagem. O professor Antônio Neves, da Escola Municipal Mateus Viana, disse que a oficina foi importante ao garantir aos alunos da turma do 9º ano o acesso à linguagem audiovisual, sendo, portanto, um projeto de inclusão e incentivo às artes.

Para a estudante Quézia Lima, da Escola Estadual Calpúrnia Caldas de Amorim (EECAM), o Curta Caicó é uma oportunidade de ter acesso ao cinema e de contar suas próprias narrativas, o que é possível graças ao avanço tecnológico, que permite a realização de filmes com equipamentos acessíveis, como o celular. A oficina de Cinema Alternativo aconteceu graças ao apoio do Governo do RN, através da Fundação José Augusto, e do Sindserv Caicó.

Especialista em cinema pela UFRN e roteirista pela EICTV-Cuba, Ernani Silveira estudou Cinema Latino Americano no Chile e na Argentina, como cineasta independente exerce várias funções no audiovisual potiguar. Vem produzindo ao longo de 10 anos fotos e filmes na Ásia, na África e na América Latina.