Polícia Civil conclui inquérito sobre morte de bebê em Luís Gomes

Policiais civis da Delegacia Municipal de Luís Gomes divulgou, nesta quarta-feira (26), a conclusão do inquérito policial sobre a morte do bebê Álvaro Daniel Nunes da Silva, de três meses de idade, ocorrida na cidade de Luís Gomes, em 17 de maio. As investigações indicaram que a morte se deu por uma fatalidade.

No dia do fato, policiais militares foram acionados para atenderem uma ocorrência em que a mãe era suspeita de ter matado o próprio filho. O bebê havia sido encontrado espumando pela boca, ocasião em que a mãe saiu em busca de socorro. A criança foi levada para atendimento hospitalar, onde foi constatado que já estava sem vida.

O corpo do bebê foi encaminhado para o Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP) de Pau dos Ferros para ser periciado, enquanto que a mãe foi levada à Delegacia de Polícia Civil de Luís Gomes para prestar declarações, sendo liberada, em razão de não terem sido constatados elementos suficientes para sua prisão em flagrante.

Com os depoimentos de testemunhas e recebimento do laudo pericial, a Polícia Civil concluiu que a morte do bebê foi uma fatalidade. De acordo com a perícia, a morte se deu asfixia por broncoaspiração de conteúdo gástrico. Diante disso, foi solicitado à Justiça o arquivamento do procedimento policial.


Bebê morre após motorista de ambulância se recusar a fazer transporte em Nova Cruz

A Tribuna do Norte noticia hoje que um motorista de ambulância foi preso na manhã desta sexta-feira (2) em Nova Cruz, no Agreste Potiguar, após ter se recusado a transferir uma gestante do Hospital Municipal de Nova Cruz ao Hospital de São José de Mipibu para um melhor atendimento. De acordo com a Polícia Civil, a mulher precisava de um ginecologista e de um neonatologista. O quadro se agravou e o bebê veio óbito. O caso ocorreu na última segunda-feira, 29 de julho.

A Polícia Civil informou que o condutor do veículo, identificado como Mewerton Avelino de Moura, de 33 anos se negou a realizar o transporte alegando que a logística do trajeto passaria do horário de trabalho, mas ainda faltavam duas horas para o término do expediente. Uma equipe médica alertou sobre a necessidade da paciente consultar especialistas porque caso contrários, os dois poderiam morrer.

Continue lendo