Secretária garante que dia 23 empresa que fará reforma da Aladim será conhecida

Cláudia Santa Rosa, se reuniu com funcionários e alunos da Antônio Aladim – (Foto: Cardoso Silva)

No próximo dia 23 de maio, serão abertas as propostas das empresas que concorrem na licitação para reforma da Escola Estadual Antônio Aladim, localizada no Bairro Boa Passagem, na zona norte de Caicó.

A afirmação foi feita pela Secretária de Educação, Cláudia Santa Rosa, em entrevista ao Blog Sidney Silva. “Nós teremos conhecimento da empresa vencedora da licitação e com isso poderemos dar início a obra dessa escola que é importante para a educação de Caicó e região“, disse.

A licitação anterior não deu certo por causa de recurso interposto por parte de uma das empresas que perdeu o certame. “Os prazos não podem esperar. A Lei das Licitações, ela é muito rígida. Diante disso, tivemos que refazer a licitação“, explicou.

A secretária ainda esteve reunida com os professores e técnicos da Escola Antônio Aladim e também com os alunos que estão tendo aula nas dependências do Centro Educacional José Augusto.



Secretária Estadual de Educação inicia a semana de trabalho na cidade de Caicó

Claudia Santa Rosa incia semana cumprindo agenda em Caicó – (Foto: Tribuna do Norte)

A Secretária de Educação do RN, Cláudia Santa Rosa, inicia a semana de trabalho na cidade de Caicó. Na programação de amanhã(14), às 8h já visita às instalações do Centro Educacional José Augusto (CEJA), onde também funciona, temporariamente, a Escola Estadual Antônio Aladim. A Secretária levará as últimas informações dos trâmites para o início da reforma da Aladim.

Continue lendo



Secretaria Estadual de Educação investiga professores que pagam ‘substitutos’

Da Tribuna do Norte – Uma prática ilegal, mas muito comum dentro das escolas públicas estaduais do Rio Grande do Norte, está sendo investigada pela Secretaria de Estado da Educação e da Cultura (SEEC). Na tarde desta sexta-feira (12), a secretária da pasta Cláudia Santa Rosa divulgou em uma rede social que a SEEC abriu processos administrativos contra dezenas de professores que pagam outras pessoas para exercerem a sua função pública dentro da rede de ensino e contra os gestores das escolas que seriam coniventes com a situação. “Hoje, tive que autorizar o prosseguimento e/ou a abertura de processos, que infelizmente, há quase 100% de chances de resultarem em demissões de professores, alguns em estágio probatório”, postou.

De acordo com a informação divulgada pela secretária, os professores contratados pelo Estado “pagavam de R$ 800 a R$ 1.000 para que pessoas os substituíssem, por meses e anos, cumprindo a carga horária de aulas, com a conivência de gestores”. “Grave, gravíssimo! Não preciso dizer o enquadramento legal e moral em um país imerso em investigações de corrupção e lesão dos bens públicos. A legislação é severa. Lamento! Estou divulgando para que a população tome conhecimento e, se há outros casos, os envolvidos corrijam em tempo. Todos precisamos abraçar a escola pública”, afirmou na postagem.