Caicó: Cloroquina já é usada em pacientes com Covid-19 no Hospital Regional e não faz o efeito esperado

Cloroquina é usada em pacientes do Hospital Regional e não faz o efeito esperado

Os médicos que atuam no Hospital Regional do Seridó em Caicó, já estavam fazendo o uso da Cloroquina nos pacientes que chegam à unidade com o quadro de saúde agravado por causa da Covid-19.

No período em que a medicação foi administrada em pacientes, não se constatou melhora no quadro de saúde de nenhum deles.

Informações que chegaram ao Blog Sidney Silva dão conta que um exemplo, é o paciente da cidade de Carnaúba dos Dantas, que morreu com Covid-19. Ele tomou Cloroquina por 5 dias e não teve melhora, pelo contrário, morreu.


ENTREVISTA: Presidente do Cremern confirma que protocolo para uso de cloroquina está valendo no RN

Tratamento para pacientes com os medicamento liberados, deve ser de acordo com cada caso

O presidente do Conselho Regional de Medicina no Rio Grande do Norte, Marcos Lima, concedeu entrevista ao programa Cidade Alerta, na Rural RF 102,7, falando sobre as recomendações na qual estabelece critérios e condições para a prescrição de medicamentos em pacientes com diagnóstico confirmado de COVID-19.

O documento foi elaborado após sessão plenária realizada na última segunda-feira (18)

O CREMERN esclarece que a Câmara Técnica de enfrentamento à COVID-19 e os Conselheiros estão cientes da falta de evidências científicas robustas para o tratamento dessa enfermidade.

No presente momento, o descompasso entre os efeitos da pandemia e as respostas da ciência exigem um olhar diferenciado sobre essas observações.


Bolsonaro: “Quem for de direita toma cloroquina. Quem é de esquerda toma Tubaína”

Bolsonaro recomenda o uso de Cloroquina ou do refrigerante Tubaína

Deu n’O Antagonista que Eduardo Pazuello deve assinar amanhã o novo protocolo da cloroquina, autorizando o uso do medicamento no início do tratamento da Covid-19.

Eduardo Pazuello deve assinar amanhã o novo protocolo da cloroquina, autorizando o uso do medicamento no início do tratamento da Covid-19.

Em live com o jornalista Magno Martins, Jair Bolsonaro disse que o novo protocolo é resultado da democracia, porque “você toma se quiser”.

E emendou: “Quem for de direita toma cloroquina. Quem é de esquerda toma Tubaína”.


Hidroxicloroquina e cloroquina viram produtos controlados

A Anvisa enquadrou a hidroxicloroquina e a cloroquina como medicamentos de controle especial. A medida é para evitar que pessoas que não precisam desses medicamentos provoquem um desabastecimento no mercado. A falta dos produtos pode deixar os pacientes com malária, lúpus e artrite reumatoide sem os tratamentos adequados.

A Agência recebeu relatos de que a procura pela hidroxicloroquina aumentou depois que algumas pesquisas indicaram que este produto pode ajudar no tratamento da Covid-19. Apesar de alguns resultados promissores, não há nenhuma conclusão sobre o benefício do medicamento no tratamento do novo coronavirus.

Ou seja, não há recomendação da Anvisa, no momento, para a sua utilização em pacientes infectados ou mesmo como forma de prevenção à contaminação pelo novo coronavírus.

Como ficam os pacientes que já precisam do medicamento?

Os pacientes que já fazem uso do medicamento poderão continuar utilizando sua receita simples para comprar o produto, durante o prazo de 30 dias. A receita será registrada pelo farmacêutico, que já está obrigado a fazer o controle do medicamento no momento da venda.

A nova categoria significa que o medicamento só poderá ser entregue mediante receita branca especial, em duas vias. Médicos que fazem a prescrição de hidroxicloroquina ou cloroquina já devem começar a utilizar este formato.

A hidroxicloroquina já estava enquadrada como medicamento sujeito à prescrição médica. Com a nova categoria, a venda irregular pelas farmácias é considerada infração grave.

O uso sem supervisão médica também pode representar um alto risco à saúde das pessoas.

Confira as principais perguntas e respostas sobre o que a Anvisa está fazendo com relação aos medicamentos para a Covid-19.