“Colocar dinheiro no SUS sem transformar o sistema é jogar dinheiro fora”, diz consultor do Conass

“Colocar dinheiro no SUS sem transformar o sistema é jogar dinheiro fora”, diz consultor do Conass

O consultor do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saude), Eugênio Vilaça Mendes, diise hoje em Natal, que “colocar dinheiro no SUS sem transformar o sistema é jogar dinheiro fora”. Segundo ele a solução para os problemas do SUS passa por uma revolução no sistema.

De acordo com Mendes, o primeiro movimento para que isso ocorra é se prestar atenção para a transição demográfica que o país atravessa. “O Brasil tem hoje 28 milhões de idosos e logo logo esse número vai dobrar. Isso significa dizer que haverá o aumento de doenças crônicas. 78% das doenças no Brasil são doenças crônicas. É preciso o controle das doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, por exemplo”.

Ele afirmou que na Inglaterra se tem programas de controle de prevenção e que isso possibilita que as pessoas se cuidem mais.  Ele disse também que é preciso olhar melhor para a atenção primária. “Uma atenção primária resolve 95% dos problemas e só 5% vão ao especialista. Portanto, o SUS tem que organizar transversalmente a logística”.

Eugênio Vilaça fez palestra no Encontro Estadual de Planejamento e Gestão do SUS: efetivando parceria Conass/Sesap, que acontece nesta segunda-feira, 26, até as 17 horas, no Praiamar Hotel, em Ponta Negra, com a participação do secretário de Saúde, George Antunes, além de gestores e técnicos da Sesap. O tema de sua palestra foi “As redes de atenção à Saúde”.