Operação 227: MPRN localiza e prende mãe suspeita de levar filhas para serem abusadas

Crianças eram levadas pela mãe para motéis – (FOTO: Ilustrativa)

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) conseguiu localizar e prender uma mulher suspeita de levar as próprias filhas menores de idade para serem abusadas sexualmente. A prisão faz parte da Operação 227, deflagrada na manhã desta segunda-feira (22) em combate ao abuso sexual Infanto-juvenil em São Gonçalo do Amarante.

Além dessa mulher, foram foi preso um homem e apreendido um adolescente. A operação foi batizada de “227” como referência ao artigo 227 da Constituição da República, que trata da proteção e dos direitos fundamentais de crianças e adolescentes.

A ação é proveniente de um procedimento investigatório criminal da 2ª Promotoria de Justiça de São Gonçalo do Amarante e coordenada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

As investigações demonstraram a participação de homens, um adolescente e da mãe das meninas em crimes sexuais. As idades das crianças variam entre 11 e 13 anos. De acordo com as provas, até então coletadas, os crimes foram cometidos em um motel da região. A própria mãe levou as filhas menores para encontros em um motel, onde ingeriram bebidas alcoólicas e se relacionaram sexualmente com os suspeitos, sendo que uma delas, ainda criança, era levada a assistir as práticas sexuais para que “aprendesse” como fazer.


RN já confirmou 11 casos de síndrome pediátrica associada ao Covid-19

Um dos sintomas são as manchas no corpo das crianças

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) divulgou um informe epidemiológico em edição especial sobre a Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (Sim-P), temporalmente associada à Covid-19 no contexto do RN. Até o dia 16 de setembro de 2020, foram notificados no estado 21 casos suspeitos para SIM-P, dos quais 11 foram confirmados.

Os casos confirmados são dos seguintes municípios: Mossoró (3), Natal (3), São Gonçalo do Amarante (2), Apodi (1), Nísia Floresta (1) e Touros (1). Desses apenas um permanece internado e dez receberam alta. Entre os casos suspeitos, um continua internado, oito receberam alta e um evoluiu para óbito, o qual está em investigação. Ressalta-se que cinco dos casos suspeitos tiveram testes de diagnóstico positivos para arboviroses, sendo um caso de Zika, três de Chikungunya e um que positivou para Zika e Dengue.

Continue lendo

RN tem média de quase duas crianças estupradas ou maltratadas por dia

“A maior parte das vítimas do estupro de vulnerável sofre o abuso dentro de casa”, disse a Delegada Dulcinéia Costa – (Imagem Ilustrativa)

Estatísticas da Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e ao Adolescente do Rio Grande do Norte (DCA) revelam um dado preocupante. Todos os dias, quase duas crianças sofrem abuso sexual ou maus-tratos no estado. A média exata é de 1.8, quando calculados os casos registrados entre os meses de janeiro e maio deste ano. Nos casos de estupro de vulnerável (onde as vítimas são menores de 14 anos), os homens são os maiores infratores. Já nos casos de maus-tratos, as mães são as maiores vilãs.

O Agora RN teve acesso aos relatórios que somam os boletins de ocorrência registrados pela DCA. Quando comparados os casos de estupro de vulnerável registrados entre janeiro e maio de 2019 (77 casos) com o mesmo período de 2020 (107 casos), fica constatado um aumento de 39%. Quanto aos casos de maus-tratos, nos primeiros cinco meses do ano passado foram registradas 302 ocorrências, contra 176 ocorrências no mesmo período deste ano – o que significa uma redução de quase 42%.

Para a delegada Dulcinéia Costa, que já foi titular da DCA e atualmente está na assessoria de comunicação da Polícia Civil, “o aumento dos casos de estupro de vulnerável, especialmente neste período de pandemia, provavelmente se deve porque o isolamento social acabou aumentando o fator de risco, que é a convivência”, destacou.

Continue lendo

Pai de crianças mortas a pauladas na zona rural de Jardim de Piranhas, em 1995, diz que nunca pensou em vingança

Gerilúzia, de 10 anos, Gilderlan, de 9 anos

Um crime que chocou à todos, ocorrido na zona rural da cidade de Jardim de Piranhas/RN, completou 25 anos neste dia 10 de agosto de 2020.

Os irmãos Gerileusa, de 11 anos, Gerilúzia, de 10 anos, Gilderlan, de 9 anos e Gilderlane, de 7 anos, foram atacados a pauladas no dia 10 de agosto de 1995, por volta das 13hs30min, por Paulo Fabrício de Oliveira conhecido por Paulo Veio.

De acordo com relatos do pai das vítimas, o professor, Geraldo Raimundo, enviado ao Blog Sidney Silva, o causador da tragédia chegou à residência onde estavam as crianças, sozinhas, procurando pela esposa. Geraldo Raimundo, tinha viajado à cidade de Jardim de Piranhas enquanto a mãe da crianças lavava roupas no Rio.

As crianças responderam a “Paulo Veio” que sua esposa não estava alí. Ele insistiu e mandou que abrissem a porta, como não atenderam, à derrubou com um pedaço de pau. Enfurecido, Paulo passou a agredir às crianças.

Os vizinhos ouviram os gritos das crianças e correram para socorrê-las. Ao chegar na casa, elas estavam no chão com muitos ferimentos. O homem foi contido e amarrado. A Polícia foi acionada e o agressor encaminhado para a Delegacia em Jardim de Piranhas.

Passado algum tempo, o réu conseguiu atestado de insanidade mental e se tornou inimputável.

Hoje, segundo se sabe, reside na cidade de Mossoró, com familiar.

A pessoa com quem vivia à época do fato, o deixou. Eles eram primos.

O pai das crianças, Geraldo Raimundo, foi informado do ocorrido e seguiu para o Hospital do Seridó, em Caicó. Entrevistado pelo repórter Gilmar Cardoso, foi perguntado o que ele como pai, podia dizer? “Não penso em vingança, por que, vingança não traz bem pra ninguém”, respondeu.

Sua resposta causou revolta em algumas pessoas que pensavam diferente.”Sofri além da dor da perda dos meus filhos. Sofri blasfêmias, calúnias e todo de tipo de fofocas”, disse.

Das crianças atacadas, escaparam, a filha mais velha, Gerileusa, à época com 11 anos e a mais nova, Gilderlane, à época com 7 anos, inclusive, ela passou 18 dias internada no Walfredo Gurgel, em Natal.

Faleceram, Gerilúzia, de 10 anos e Gilderlan, de 9 anos.

Em conversa com esse repórter, Geraldo disse que não passou um dia sem que lembrasse dos filhos que perdeu.


Entrevista: Acidentes são as principais causas de morte de crianças de 1 a 14 anos

Dra. Joelia Germano explica sobre casos de acidentes com crianças

A médica, pediatra e professora do curso de medicina da Escola Multicampi da UFRN em Caicó, Joélia Celeste Germano, concedeu entrevista ao programa Cidade Alerta, da Rádio Rural FM, para falar sobre a mortalidade na infância e adolescência no Brasil e em países em desenvolvimento.

De acordo com a médica, a principal causa de morte na faixa etária de 1 a 14 anos, são os acidentes domésticos. Acima de 14 anos, tem o agravante que são os homicídios.

Segundo a OMS, todos anos, no mundo, morrem cerca de 950 mil crianças por causa de acidentes. O número desses indivíduos que sofrem os acidentes, não morrem e ficam com sequelas é muito grande, da casa dos milhões.

A principal causa de morte em crianças abaixo de 1 ano é por sufocação.

Outro dado apresentado pela médica, é que estudos apontam que 90% das mortes de crianças em acidentes, poderiam ser evitadas.

Assista a entrevista com a médica, Dra. Joélia Germano e entenda:


“Crianças têm que voltar à escola. Tem que enfrentar a chuva, pô. Tem que enfrentar o vírus”, afirma Bolsonaro

Bolsonaro diz que crianças tem que voltar às escolas

Na entrada do Palácio da Alvorada nesta quinta à noite (16), Jair Bolsonaro defendeu que as aulas devem ser retomadas nas escolas, o que contraria as atuais recomendações da OMS.

Tem que enfrentar a chuva, pô. Tem que enfrentar o vírus. Não adianta se acovardar, ficar dentro de casa. Nós sabemos que a vida é uma só”, afirmou o presidente.

Sabemos dos pais que estão preocupados com os filhos voltarem à escola. Mas têm que voltar à escola. Nós não temos nenhuma notícia de alguém abaixo de 10 anos de idade que contraiu o vírus e foi a óbito ou foi para a UTI”, acrescentou.

Segundo o Ministério da Saúde, já há registro de duas mortes de crianças abaixo de 1 ano de idade e uma morte na faixa etária entre 1 e 5 anos. Mas o problema principal é que as crianças assintomáticas podem ser transmissoras da Covid-19 para idosos.

O ANTAGONISTA


Crianças vítimas de acidente que deixou seus pais mortos receberam alta de hospital

Duas das crianças que estavam nos carros que colidiram de frente no último domingo (19), na BR-226, em Jucurutu, já receberam alta hospitalar. Eles são os filhos do casal, Aldo Filho e Maria Yoderlândia, que morreu carbonizado no acidente.

As crianças estão com familiares na cidade de Jucurutu.

Os corpos do casal, ainda não foram liberados pelo ITEO para sepultamento, mas a informação que chega dá conta que foi colhido material genético das crianças para que seja feito o teste de DNA. Depois de feita a confirmação, é que os corpos poderão ser entregues a familiares.


Mulheres e crianças infectadas por Zika desenvolvem imunidade ao vírus

Agência Brasil – Pesquisa realizada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e pela Universidade Federal Fluminense (UFF) constatou que mulheres e crianças que já foram infectadas pelo vírus Zika podem desenvolver imunidade à doença. Os pesquisadores detectaram que 80% dos 100 pacientes analisados ficaram imunes depois de serem submetidos à infecção.

As crianças nasceram em 2016 e vêm sendo acompanhadas desde então junto às mães pela UFF e pela Fiocruz. Segundo a pesquisadora da Fiocruz Luzia Maria de Oliveira Pinto, a partir de 2018, elas começaram a ter o sangue coletado e analisado para entender a resposta do sistema imunológico delas a uma nova exposição ao vírus.