Félix diz que falta apoio para a Cultura em Caicó

Professor Félix fez duras criticas a falta de apoio a cultura de Caicó

O professor de Língua Portuguesa e ex-rei da Irmandade do Rosário Félix encerrou o seu reinado fazendo duras críticas pela falta de apoio a cultura de Caicó. Em entrevista a TV Kurtição ele relatou que este ano a irmandade passou por vários problemas financeiros que inclusive enfrentou problemas para a confeccionar as fardas para os componentes participarem da programação alusiva ao momento.

Félix que teceu comentários positivos a exposição sobre os negros do Rosário, realizada jornalista caicoense Clóvis Aladim, lamentou a falta de incentivo de várias pessoas que pregam um discurso de apoio a cultura, mas que na prática não tem interesse. “Caicó tem muita cultura, mas para apoiar, temos um grupo de covardes que acabam pedindo isso mas na hora h não fazem sua parte”, desabafou.

Na opinião de Félix a exposição veio para abrilhantar uma festa que é descriminada e está esquecida. Ele pede para que a exposição seja renovada e que haja eventos paralelos desta magnitude. “Este ano eu me senti rei quando entrei na exposição, além dos outros dias que sai na procissão. Me senti orgulhoso desse povo negro e sofredor que não são covardes diante de suas suas tradições e fazem de tudo para manter contando a história de Caicó em relação a isso”, destacou.



Mamulengo e contação de história foram atrações no Projeto Educação Patrimonial

Mamulengo e contação de história foram atrações no Projeto Educação Patrimonial

Alunos da Escola Municipal Walfredo Gurgel, em Caicó, foram recepcionados na Casa de Cultura Popular com atrações alusivas ao Dia do Folclore, celebrado nesta terça-feira (22). Acompanhando os alunos estavam professores da escola, guia de turismo, e equipe da secretaria municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, que desenvolvem o Projeto Educação Patrimonial, em parceria com a secretaria de Educação, Cultura e Esportes.

Na Casa de Cultura, houve apresentação de mamulengo com o arte-educador Júlio César, que introduziu o Curupira nas histórias. As crianças também ouviram lendas através da contação de história com a professora Socorro Araújo, que destacou a lenda da serpente do Poço de Sant’Ana. A ação é fruto da parceria entre Município de Caicó e Casa de Cultura.

Antes de chegarem ao Sobrado de Padre Guerra, onde funciona a Casa de Cultura, os alunos estiveram visitando o patrimônio histórico cultural de Caicó. O Projeto Educação Patrimonial continua no decorrer do ano letivo, sempre com alunos do 5º ano do Ensino Fundamental das escolas do município.



Festival de Cultura Popular contou com participação de artista caicoense

Caicó esteve presente no 12º Festival de Cultura Popular de Barra de Cunhaú, no município de Canguaretama/RN. O evento ocorreu dias 20 e 21 de janeiro, reunindo brincantes da cultura popular, grupo de danças folclóricas e mágico.

Entre os brincantes da cultura popular, esteve o caicoense Emanuel Bonequeiro, que atua na confecção de bonecos e brinquedos populares, espetáculo de mamulengos, e ventriloquia – arte de dialogar com o boneco, sem demonstrar sua participação quando o boneco se pronuncia.

“Este fim de semana reafirmou minha missão nesta terra, que é ser feliz e divertir muita gente com meus bonecos e minha arte. Enquanto eu tiver um boneco em minha mão, o mundo vai ser sempre um lugar bonito e bom de se viver”, disse Emanuel Bonequeiro.

Além de levar a arte de Caicó para outros municípios, a oportunidade também favorece a troca de experiência. Nesta oportunidade, o artista caicoense esteve com o mestre mamulengueiro Raul do Mamulengo, renomado artesão potiguar no âmbito da cultura popular, que estima já ter feito 700 bonecos.

A participação de Emanuel Bonequeiro no 12º Festival de Cultura Popular, contou com apoio da Prefeitura Municipal de Caicó, através da secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo e Coordenação de Cultura.



“Vamos reconstruir nossa cidade e voltar a priorizar políticas culturais”, afirma prefeito de Janduís

A cultura de Janduís terá que passar por um verdadeiro processo de reorganização, na gestão do prefeito José Bezerra (PSOL). O diagnóstico foi feito pelo atual presidente da Fundação Cultural de Janduís – FUNCULT, Berg Bezerra que elaborou, juntamente com sua equipe, um relatório detalhado sobre o setor e o entregou à administração. Segundo Berg, o setor encontra-se sucateado, com equipamentos quebrados, sem estrutura física e patrimonial.

A equipe da FUNCULT tem empreendido esforços para reorganizar as atividades culturais no município.  Uma nova sede foi alugada para o órgão cultural, que também abrigará a Banda de Música, a biblioteca e os equipamentos culturais que restaram. Continue lendo