Prazo para justificar ausência nas últimas eleições encerra nesta terça-feira (2)

Justificativa de falta nas eleições passadas pode ser feita até esta terça

O potiguar que não votou, não justificou ausência nas últimas três eleições ou não pagou as multas correspondentes têm até a próxima terça-feira (2) para regularizar sua situação na Justiça Eleitoral. Caso não compareça ao respectivo Cartório Eleitoral até a data, o eleitor terá o título cancelado.

No Rio Grande do Norte, 17.694 eleitores estão com seus títulos irregulares. Só em Natal, mais de seis mil pessoas encontram-se em débito com a Justiça eleitoral. Segundo Andréa Campos, Diretora Geral do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN), os faltosos, em sua maioria, residem em um município diferente daquele em que estão alistados.

Não se incluem nestas estatísticas cidadãos de voto facultativo – analfabetos, jovens de 16 a 18 anos incompletos, maiores de 70 anos e pessoas com deficiência.

Normalizando a situação com a Justiça Eleitoral

O primeiro passo para ficar em dia com a Justiça Eleitoral é entrar no site do TRE-RN (www.tre-rn.jus.br) > Eleitor > Débitos do Eleitor, preencher os dados e imprimir a Guia de Recolhimento da União (GRU). A multa custa R$ 10,50 e pode ser paga em qualquer banco.

O eleitor, então, deve comparecer à sua Zona Eleitoral portando o comprovante de pagamento, documento oficial com foto, comprovante de residência e título eleitoral. O endereço das ZEs podem ser consultados na página www.tre-rn.jus.br/institucional/zonas-eleitorais/enderecos-e-telefones



Caso F. Gomes: Justiça marca data para novo julgamento do Gordo da Rodoviária

Novo julgamento de Lailson Lopes, vai acontecer no dia 21 de junho em Caicó

O juiz Luiz Cândido de Andrade Villaça, marcou para o próximo dia 21 de junho, a sessão de julgamento popular do réu Lailson Lopes, conhecido também como “Gordo da Rodoviária”, que foi acusado pela Polícia Civil e denunciado pelo Ministério Público, como partícipe da morte do jornalista F. Gomes em Caicó.

O Júri está previsto para começar às 09hs no Salão Siloé Capuxú, no Fórum Municipal Amaro Cavalcante, localizado na Cidade Judiciária, Zona Leste da cidade.

Esta não é a primeira vez que Lailson Lopes, é levado a Júri por esse crime. No dia 12 de abril de 2014, o réu foi condenado a pena de 14 anos em regime inicialmente fechado. A sessão durou 3 dias. Inicialmente ele ficou preso no Presídio de Caicó, mas, depois foi transferido para outra unidade e antes de ser posto em liberdade no dia 31 de março de 2016, estava no CDP de Patu. Na decisão que o liberou, o juiz Luiz Cândido, atendeu pedido do advogado que reclamou do excesso de prazo.

Quando Lailson foi condenado, o Ministério Público, recorreu para o Tribunal de Justiça, com o objetivo de que a pena fosse aumentada. Os desembargadores então entenderam que na verdade, deveria ocorrer outra sessão de júri, o que foi determinado.

A Polícia Civil cumpriu o mandado de prisão contra Lailson Lopes no dia 22 de fevereiro de 2011, em Caicó. Ele ficou detido, aguardando ser julgado.

Relembre

O jornalista F. Gomes, foi assassinado na calçada de sua casa, na Rua Professor Viana, no Bairro Paraíba, no dia 18 de outubro de 2010, por volta das 21hs. O autor material do crime, João Francisco dos Santos, também conhecido por “Dão”, já foi julgado e condenado. Ele, inclusive, é réu confesso do crime. Atualmente, cumpre pena em uma Presídio Federal.

Outros réus

Outros dois réus no processo, ainda aguardam para serem julgado. Um deles é o ex-pastor evangélico, Gilson Neudo do Amaral. Ele conseguiu através do defensor público que faz a sua defesa, o desaforamento do júri para acontecer na comarca de Natal em data ainda a ser definida. O outro réu, é o advogado, Rivaldo Dantas. Este ainda não tem data marcada para ser julgado, mas, sua sentença de pronuncia já foi prolatada.



Carnaval de 2018 será de 9 a 14 de fevereiro; saiba como a data é definida

ABr – Para quem já está pensando na folia do ano que vem e pensa em se programar, a terça-feira de carnaval em 2018 vai cair em 13 de fevereiro. A festa começa na quinta ou sexta-feira anterior, 8 ou 9 de fevereiro (a depender do local), e acaba na quarta-feira de cinzas, 14. Em algumas cidades, a festa prossegue extraoficialmente até além desta data.

Para saber como é calculada a data do carnaval, basta lembrar que a festa de Momo está diretamente relacionada com os festejos católicos da Páscoa. A folia termina sempre 40 dias antes do domingo de Ramos, que é o domingo que antecede a Páscoa. Da Quarta-feira de Cinzas até o Domingo de Páscoa, são 46 dias, período em que muitos cristãos fazem a Quaresma – um momento espiritual e de reflexão em que também fazem algum tipo de jejum.

A Quarta-feira de Cinzas representa, portanto, o primeiro dia da Quaresma Como a data é flutuante, a ela pode cair entre 4 de fevereiro e 9 de março. Já o domingo em que se celebra a ressurreição de Jesus Cristo, ou Páscoa, sempre acontece entre 22 de março e 25 de abril.

Com base em relatos bíblicos e históricos, os católicos acreditam que a ressurreição de Cristo ocorreu em um dia de lua cheia, próximo ao equinócio da primavera no hemisfério Norte. Por essa razão, no ano 325, a Igreja Católica realizou o Concílio de Niceia e decidiu que a Páscoa seria celebrada sempre no domingo subsequente ao surgimento da primeira lua cheia após a chegada da primavera.

Assim, como o feriado da Páscoa é variável, a data do carnaval também segue essa mudança.

Quarta-feira de Cinzas não é feriado

Embora a maioria do serviços, comércio e estabelecimentos feche as portas entre sábado e parte da Quarta-feira de Cinzas, as datas não são feriados nacionais estabelecidos por lei federal.

Alguns municípios e estados possuem uma legislação própria para a questão. No Rio de Janeiro, a lei estadual 5243/2008 definiu a terça-feira de carnaval como feriado. Também existem capitais que transformaram a data em feriado municipal, como Belo Horizonte (MG) e Curitiba (PR).