Operação Prata da Morte: Delegado Olavo Dantas tem prisão revogada

Delegado Olavo Dantas permanece preso

Delegado Olavo Dantas permanece preso

O delegado da Polícia Civil, Olavo Dantas de Medeiros Júnior, que estava detido desde julho de 2015, por envolvimento em esquema de fraude no Instituto de Previdência do Rio Grande do Norte, teve a prisão preventiva revogada nesta sexta-feira (22), pelo Juiz Raimundo Carlyle de Oliveira Costa, da Quarta Vara Criminal de Natal.

O delegado foi preso na Operação Prata da Morte, deflagrada para combater desvios de recursos no IPERN. A Polícia Civil, informou à época que as investigações apontaram que ele e outras quatro pessoas fraudaram a pensão por morte de pelo menos um ex-auditor fiscal do estado.

Leia a Sentença

Entenda a motivaçãopara a prisão AQUI

O Ministério Público, denunciou Olavo Dantas por crimes de peculato, associação criminosa, favorecimento pessoal, falsificação de documento particular, uso de documento falso, falsidade ideológica, estelionato, advocacia administrativa e coação do curso do processo. Ele nega todas acusações.

O magistrado que decidiu pela revogação da prisão, expediu medidas cautelares e proibitivas, ou seja, Olavo Dantas, terá limitações.

Ele deverá:

  • Comparecer periódico em juízo, mensalmente, para informar e justificar atividades, pelo prazo de 01 (um) ano, ou, em vindo a ser condenado, até o seu trânsito em julgado, o que ocorrer primeiro;
  • Proibido de ausentar-se desta Comarca (Natal), sem autorização do Juízo, por mais de 08 (oito) dias, enquanto durar o processo, e, em vindo a ser condenado, até o seu trânsito em julgado;
  • Informar a este juízo eventual mudança de endereço.
  • Comparecer a todos os atos do processo e não reiterar práticas delitivas, sob pena de revogação da medida cautelar.
  • Proibido de acesso ou frequência às casas das corrés MARIA COSME SOBRINHO e THAYANA DE MOURA MACEDO, assim como de com elas, ou com suas famílias, manter contato – mesmo que pessoal, telefônico ou através de qualquer outro meio – devendo permanecer a 200 metros de distância delas.
  • Suspensão do exercício da função pública de delegado, enquanto tramitar este processo.

Áudio: Delegado diz que local onde aconteceu confronto era um “Quartel General”; Itep identifica mortos

O delega regional da Polícia Civil de Caicó, Ricardo Ferraz, disse que o local aonde estavam os homens que morreram no confronto com a Polícia Militar, na manhã desta quarta-feira (20), era um “verdadeiro quartel general”.

De acordo com o delegado, a Polícia tinha informação de que no local estavam cerca de 10 homens e por isso que a Guarnição foi já pronta para uma possibilidade de confronto. “O local na verdade, era um verdadeiro quartel general, um lugar perfeito para eles praticarem os crimes no entorno da cidade e se esconderam até a poeira e continuarem livremente e um local de difícil acesso, com muitas rotas de fuga e foi praticamente um milagre a operação de hoje ter conseguido êxito. Todo o mérito para a Polícia Militar que efetuou diligências de moto perfeito“.

Os mortos foram identificados como sendo, Arlindo Monteiro de Oliveira, de 26 anos; Afonso de Oliveira Júnior, de 20 anos, irmão do primeiro; Anderson Silva de Barros, de 18 anos e um adolescente de 16 anos.

Delegado Claudio Ferreira morreu em Natal

Ex-delegado de Caicó e Currais Novos morre em Natal

Delegado Claudio Ferreira morreu em Natal

Delegado Claudio Ferreira morreu em Natal

delegado aposentado Cláudio Ferreira da Silva, de 60 anos, morreu nesta terça-feira(17). De acordo com informações apuradas pelo site Sidney Silva, ele estava acometido de câncer.

O delegado, entrou na Polícia Civil do Estado do Rio Grande do Norte, no dia 18 de setembro de 2000 e aposentou-se no dia 05 de fevereiro de 2015. Durante esses 15 anos de serviços prestados a PC-RN, comandou as delegacias de Angicos, Assú, Santa Cruz, DEA-Mossoró, Tibau do Sul, Caicó, Currais Novos e Upanema.

Outra informação dá conta que o sepultamento, ocorrerá na cidade de Santa Cruz, sua terra natal, nesta quarta-feira (18).

Pleno do TJRN rejeita queixa crime contra Promotor de Justiça e PMs de Caicó

TJRN rejeita queixa crime de delegado contra promotor de Justiça e PMs de Caicó

Pleno do TJRN rejeita queixa crime contra Promotor de Justiça e PMs de Caicó

Pleno do TJRN rejeita queixa crime contra Promotor de Justiça e PMs de Caicó

Os desembargadores que integram o Pleno do Tribunal de Justiça do RN não deram provimento a uma Notícia Crime formulada por um delegado de Polícia Civil, que atuava no Seridó potiguar, e atribuía a um promotor criminal e a policiais militares a prática dos crimes previstos no artigo 139 (Difamação) e 140 (Injúria), ambos do Código Penal. O caso foi julgado na sessão desta quarta-feira (4), mas os integrantes da Corte de Justiça não acataram os argumentos do autor da demanda.

Segundo os autos, o delegado Antonio Pinto não teria comparecido aos plantões dos dias 31 de dezembro de 2013 e 2 de janeiro de 2014, em Caicó, quando ocorrências policiais foram registradas, mas o prédio da DP estava fechado. Fato que foi comunicado ao promotor criminal, Geraldo Rufino de Araújo Junior, o qual encaminhou o caso para a Corregedoria de Polícia.

Em nenhum momento eu citei, em caráter pessoal o delegado, até porque no ofício dos PMs não tinha nenhuma menção ao delegado em questão. Apenas havia o relato da falta de um delegado no distrito policial. Apenas isso”, explicou o promotor, que foi representado no Pleno do TJRN pela advogada Luciana Cláudia de Oliveira.

No entanto, o delegado Antônio Pinto, atribuiu os crimes de Injúria e Difamação ao promotor e aos policiais Walmary Costa, Rafael Victor Targino de Araújo e Adriano de Araújo Medeiros, já que a Delegacia estaria fechada por “falta de funcionários suficientes”, fato que motivou a transferência do plantão, de Caicó para Currais Novos.

Não recebo a queixa porque ela também entrou em decadência”, reforça o desembargador Amaury Moura Sobrinho, relator da Queixa Crime, ao se referir ao prazo, perdido pelo delegado, para pleitear judicialmente o suposto direito.

Delegado Fábio Rogério Silva é dispensado da Dehom - (FOTO: Adriano Abreu)

Reclamação de delegado na Imprensa provoca sua saída da Homicídio de Natal

Delegado Fábio Rogério Silva é dispensado da Dehom - (FOTO: Adriano Abreu)

Delegado Fábio Rogério Silva é dispensado da Dehom – (FOTO: Adriano Abreu)

O Delegado Fábio Rogério Silva, foi dispensado da chefia da Delegacia de Homicídios de Natal e foi designado para ser titular do 1º Distrito Policial de Parnamirim. Quem assume é o delegado Ben Hur Cirino de Medeiros, que deixa a Delegacia de Capturas.

Na Portaria, o Delegado Geral, Stênio Pimentel, deixa claro os reais motivos da medida e foi por causa de uma reclamação pública feita pelo delegado.

A primeira linha do documento diz que em declaração a imprensa o Delegado Fábio Rogério, “afirma que o efetivo da citada especializada é muito pequeno, pois “parte da equipe trabalha no plantão e eles não investigam”. O titular, de acordo com o diz a portaria, “demonstrando, assim, insatisfação em desempenhar suas funções naquela unidade policial”.

O delegado geral, afirma ainda que “essa insatisfação poderá prejudicar os serviços da mencionada Delegacia, não sendo este o propósito da Administração Pública, que deve prestar um bom serviço aos seus destinatários, em homenagem a supremacia do interesse público“.

Segundo o chefe da Polícia Civil do Rio Grande do Norte, a Delegacia Especializada de Homicídios do Município de Natal conta com uma estrutura diferenciada das demais delegacias especializadas e distritais, tanto em relação a pessoal quanto a material, a qual dispõe de nove (9) Delegados, oito (8) Escrivães e quarenta e sete (47) Agentes de Polícia Civil. E emite crítica dizendo que “a produtividade da Dehom não vem sendo satisfatória, mesmo dispondo de uma estrutura diferenciada“.

A Polícia Civil passa por problemas de falta de estrutura humana. O delegado Stênio Pimentel, também faz menção ao fato. “A instituição vem enfrentando problemas com o reduzido efetivo no seu quadro de pessoal, destacando-se a situação do cargo de Delegado de Polícia Civil, que, nesta data, do total de 350 vagas, apenas estão ocupadas 162 (46,28%), resultando em um déficit de 188 (53,72%). essa situação agrava-se ainda mais, principalmente, em razão da concessão de licenças para tratamento de saúde e de licenças–prêmio por assiduidade e também em decorrência de decisões judiciais“.

Atualmente, o 1º Distrito Policial/Parnamirim encontra-se sem Delegado Titular, estando respondendo por seu expediente o Delegado de São José de Mipibu, diante da recente aposentadoria do Delegado Amaro Rinaldo Oliveira da Silva. Outro delegado que estava servindo no referido Distrito, era Genézio Antonio de Menezes Júnior, mas, está de licença de 6 meses.

Rescentemente, o delegado Laerte Jardim, foi designado para assumir o Distrito de Polícia de Parnamirim, mas, conseguiu na Justiça, permanecer onde estava, ou seja, na Deicot.

O Município de Parnamirim tem uma população de 242.384 habitantes, segundo estimativas de 2015 do IBGE. O mencionado município conta apenas com dois distritos policiais e uma Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher – DEAM.

 

Paulo Cesar Cabral foi preso na zona rural de Triunfo Potiguar

Homem preso é autuado pela morte de médico em Triunfo Potiguar/RN

Paulo Cesar Cabral foi preso na zona rural de Triunfo Potiguar

Paulo Cesar Cabral foi preso na zona rural de Triunfo Potiguar

O delegado Erick Gomes, ouviu durante toda a manhã desta quinta-feira (01), o depoimento de Paulo Cesar Cabral, que foi preso pela equipe do sargento PM Társsio Fernandes, da cidade de Campo Grande/RN. Os policiais faziam buscas pelos suspeitos do assassinato do médico Leonard Pereira de Maceso, fato ocorrido na manhã de quarta-feira (30), em Triunfo Potiguar.

O Delegado disse ao Blog Sidney Silva, que Paulo Cesar, negou que tenha matado o médico, mas, existem indícios que o colocam na sena do crime. “Nós temos indícios fortes de que ele praticou o crime, mas, ainda é cedo para dizer sobre as motivações. Ele já foi autuado pelo crime e encaminhado para o presídio”, contou.

Ao fazer o levantamento da vida pregressa de Paulo Cesar, foi descoberto que ele foi preso há cerca de 4 anos portando arma de fogo. Ele foi identificado no posto de combustíveis de Assu (antes do crime o carro usado foi abastecido nesse posto) e no local do crime. A roupa foi identificada. No depoimento não soube dizer porque estava indo para Triunfo Potiguar quando foi preso (diferente do que disse aos PMs) e porque estava com dois celulares sem chips e baterias.

O delegado Erick Gomes, disse ainda ao Blog Sidney Silva, que trabalha com linhas diferenciadas para o crime, que são as crime: Político, Passional e Dívida.

O sargento Társsio Fernandes, disse que foi informado que testemunhas contaram sobre um homem com aparência gorda, de cor morena clara e usando camisa de cor alaranjada. “Nós tivemos a informação das características de um dos assassinos e bateram com as dele. Um dos homens vestia camisa de cor alaranjada que foi deixada no local onde o carro foi encontrado. Coincidentemente, ele estava sem camisa e com arranhões diversos pelo corpo, provocados pelo mato e ele é meio gordo”, disse.

Quando foi preso, Paulo Cesar, disse que estava vindo de Assu, de carona. “Ele contou se desentendeu com a sua esposa que mora em Assu e pegou uma carona. O motorista teria abandonado ele naquele setor e que ficou desorientado e foi parar naquele lugar, mas, a história estava muito desencontrada”, comentou o Sargento Társsio Fernandes.

Um detalhe foi importante para a captura de Paulo Cesar Cabral. É que o Sargento Társsio e sua equipe cessaram as buscas nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira e retornaram para Campo Grande, mas, o comandante decidiu voltar com seus homens em um carro particular, descaracterizado. Na estrada de barro, quando o carro se aproximou, Paulo Cesar, não esboçou reação por não identificar de pronto que era uma viatura.

Delegado Olavo Dantas permanece preso

Câmara Criminal nega Habeas Corpus ao delegado Olavo Dantas

Delegado Olavo Dantas permanece preso

Delegado Olavo Dantas permanece preso

A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça negou na sessão de hoje (8) um pedido de Habeas Corpus movido pela defesa do delegado Olavo Dantas de Medeiros Junior, suspeito de envolvimento em um esquema de fraudes no Instituto de Previdência dos Servidores Estaduais do RN (IPERN), que indiciou nove pessoas no inquérito da Operação “Prata da Morte”. O delegado foi indiciado no cometimento de nove crimes.

A defesa de Olavo Dantas Junior pedia que a prisão cautelar fosse substituída pela aplicação das medidas cautelares constantes do artigo 319, do CPC, sob pena de configuração de suposta antecipação na pena e de afronta aos princípios do devido processo legal e da presunção de inocência.

A defesa alegou, durante a sustentação oral na Câmara Criminal, dentre outros pontos, que o delegado permanece preso apenas pelo depoimento de um dos envolvidos. E argumentou que, ao contrário do que afirmou em juízo um dos có-réus, não há qualquer ameaça por parte do Olavo Medeiros.

No entanto, os argumentos não foram acolhidos pela Câmara Criminal e a relatora do Habeas Corpus, desembargadora Maria Zeneide Bezerra, ressaltou a “gravidade concreta dos delitos, que justificam a custódia cautelar” e reforça, nos autos, que existiu, de fato, a ameaça a quem estava colaborando com o curso das investigações.

Saiba mais

O delegado Olavo Dantas foi preso no dia 8 de julho, indiciado por peculato, associação criminosa, favorecimento pessoal, falsificação de documento particular, uso de documento falso, falsidade ideológica, estelionato, advocacia administrativa e coação do curso do processo. O delegado negou as acusações. As investigações da operação Prata da Morte revelaram que o grupo teria fraudado a pensão por morte de pelo menos um ex-auditor fiscal do estado.

Delegado Helder Carvalhal deixa a 3ª DRP de Caicó

O delegado Helder Carvalhal, está deixando a 3ª Dp Regional de Caicó. Ele vai participar de curso na Academia de Polícia de Salvador/BA.

Em contato com o Blog Sidney Silva, Carvalhal disse que está indo para passar quatro meses e quando retornar não sabe se volta para Caicó. “Aonde eu irei atuar quando terminar o curso, vai ficar a cargo da Delegacia Geral aqui do estado. Se for designado novamente aqui para Caicó, virei com todo prazer. As pessoas daqui são acolhedoras, dignas, trabalhadoras e honestas. Me receberam muito bem“, disse.

O novo delegado Regional de Caicó, será Ricardo Brito, que atualmente é delegado de Jucurutu/RN.

Delegado Helder Carvalhal deixa a 3ª DRP de Caicó

O delegado Helder Carvalhal, está deixando a 3ª Dp Regional de Caicó. Ele vai participar de curso na Academia de Polícia de Salvador/BA.

Em contato com o Blog Sidney Silva, Carvalhal disse que está indo para passar quatro meses e quando retornar não sabe se volta para Caicó. “Aonde eu irei atuar quando terminar o curso, vai ficar a cargo da Delegacia Geral aqui do estado. Se for designado novamente aqui para Caicó, virei com todo prazer. As pessoas daqui são acolhedoras, dignas, trabalhadoras e honestas. Me receberam muito bem“, disse.

O novo delegado Regional de Caicó, será Ricardo Brito, que atualmente é delegado de Jucurutu/RN.

Suspeito de tentar MATAR DELEGADO da PB a tiros é preso em casa de praia no Rio Grande do Norte

Investigações apontaram paradeiro do suspeito

Investigações apontaram paradeiro do suspeito

Foi preso, na manhã desta sexta-feira (10), no Rio Grande do Norte, o homem suspeito de tentar matar o delegado Leonardo Machado da Costa Souza, de 37 anos, no dia 13 de junho, em Uiraúna (Sertão do estado, a 477 km de João Pessoa). Ivamar de Paiva Barreto estava escondido em uma casa na Praia de Muriu, no Litoral Norte potiguar, a 40 km de Natal.

De acordo com o delegado geral da Polícia Civil na Paraíba, João Alves, a polícia chegou até o suspeito após investigações feitas por policiais civis da Paraíba e do Rio Grande do Norte. A prisão foi realizada por volta das 5h, em ação conjunta de profissionais dos dois estados. Cerca de 50 policiais participaram da operação.

“Vínhamos investigando o suspeito desde o dia do crime e conseguimos descobrir o paradeiro dele. Informamos à polícia do Rio Grande do Norte e agimos conjuntamente no cumprimento do mandado de prisão. O suspeito estava em uma casa de praia, que segundo dados levantados nas investigações, é propriedade de um familiar”, explicou João Alves.

Ainda segundo o delegado geral, no momento da prisão, Ivamar de Paiva Barreto estava sozinho e com ele foi apreendida uma espingarda calibre 12. A arma do crime ainda não foi encontrada.

Segundo o Portal Correio, o suspeito de tentar matar o delegado Leonardo Machado foi levado para uma delegacia no Rio Grande do Norte, onde até as 7h15 estava sendo ouvido pelo delegado André Rabelo, da 3ª Superintendência de Polícia Civil da Paraíba, que compreende todos os municípios do Sertão. Após o depoimento, ele deve ser conduzido a uma penitenciária na Paraíba. Ainda não há previsão de horário para a transferência.

O crime

Leonardo Machado da Costa Souza foi atingido por três tiros na manhã do dia 13 de junho deste ano, no Centro de Uiraúna. Ele estava em uma praça quando dois homens em uma moto se aproximaram e efetuaram os disparos. Conforme as investigações, o crime teria sido cometido depois de uma briga entre a vítima e Ivamar de Paiva Barreto, em um supermercado da cidade. O motivo é considerado banal pelas autoridades policiais. Leonardo Machado continua internado no Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, e seu estado de saúde ainda é grave.

Suspeito de tentar MATAR DELEGADO da PB a tiros é preso em casa de praia no Rio Grande do Norte

Investigações apontaram paradeiro do suspeito

Investigações apontaram paradeiro do suspeito

Foi preso, na manhã desta sexta-feira (10), no Rio Grande do Norte, o homem suspeito de tentar matar o delegado Leonardo Machado da Costa Souza, de 37 anos, no dia 13 de junho, em Uiraúna (Sertão do estado, a 477 km de João Pessoa). Ivamar de Paiva Barreto estava escondido em uma casa na Praia de Muriu, no Litoral Norte potiguar, a 40 km de Natal.

De acordo com o delegado geral da Polícia Civil na Paraíba, João Alves, a polícia chegou até o suspeito após investigações feitas por policiais civis da Paraíba e do Rio Grande do Norte. A prisão foi realizada por volta das 5h, em ação conjunta de profissionais dos dois estados. Cerca de 50 policiais participaram da operação.

“Vínhamos investigando o suspeito desde o dia do crime e conseguimos descobrir o paradeiro dele. Informamos à polícia do Rio Grande do Norte e agimos conjuntamente no cumprimento do mandado de prisão. O suspeito estava em uma casa de praia, que segundo dados levantados nas investigações, é propriedade de um familiar”, explicou João Alves.

Ainda segundo o delegado geral, no momento da prisão, Ivamar de Paiva Barreto estava sozinho e com ele foi apreendida uma espingarda calibre 12. A arma do crime ainda não foi encontrada.

Segundo o Portal Correio, o suspeito de tentar matar o delegado Leonardo Machado foi levado para uma delegacia no Rio Grande do Norte, onde até as 7h15 estava sendo ouvido pelo delegado André Rabelo, da 3ª Superintendência de Polícia Civil da Paraíba, que compreende todos os municípios do Sertão. Após o depoimento, ele deve ser conduzido a uma penitenciária na Paraíba. Ainda não há previsão de horário para a transferência.

O crime

Leonardo Machado da Costa Souza foi atingido por três tiros na manhã do dia 13 de junho deste ano, no Centro de Uiraúna. Ele estava em uma praça quando dois homens em uma moto se aproximaram e efetuaram os disparos. Conforme as investigações, o crime teria sido cometido depois de uma briga entre a vítima e Ivamar de Paiva Barreto, em um supermercado da cidade. O motivo é considerado banal pelas autoridades policiais. Leonardo Machado continua internado no Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, e seu estado de saúde ainda é grave.

Delegado é suspeito de balear PM em bar próximo ao Espaço Cultural

Monte Horebe, no Sertão paraíbano

Monte Horebe, no Sertão paraíbano

Um policial militar de 50 anos, atuante no estado do Ceará, foi baleado no bairro de Tambauzinho, Zona Leste de João Pessoa, nas proximidades do Espaço Cultural José Lins do Rego, após confusão em um bar. A PM informou que um delegado que estaria afastado dos serviços era suspeito pela autoria do disparo. O fato ocorreu na tarde desta quarta-feira (24).

Segundo a PM informou ao Portal Correio, uma discussão teria se iniciado no local do crime após o delegado perceber que a vítima teria chegado ao local armada. O suspeito pelo crime teria atirado e fugido em seguida.

De acordo com agentes do Distrito Integrado de Segurança Pública de Manaíra, que estiveram no local, o delegado foi localizado após informações de testemunhas, que informaram as características dele e do veículo que dirigia. Ele foi conduzido para a Delegacia de Homicídios de João Pessoa, na Central de Polícia Civil, no bairro do Varadouro, onde prestaria depoimento.

O baleado foi socorrido por uma unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência para o Hospital de Trauma Senador Humberto Lucena. Ele foi atingido na região do tórax e chegou à unidade de saúde consciente e orientado.

A instituição ainda não havia divulgado boletim informativo com o estado de saúde dele, mas os policiais que registraram a entrada do ferido no hospital informaram que ele passava por procedimentos de urgência e seguia com quadro estável.

Delegado é suspeito de balear PM em bar próximo ao Espaço Cultural

Monte Horebe, no Sertão paraíbano

Monte Horebe, no Sertão paraíbano

Um policial militar de 50 anos, atuante no estado do Ceará, foi baleado no bairro de Tambauzinho, Zona Leste de João Pessoa, nas proximidades do Espaço Cultural José Lins do Rego, após confusão em um bar. A PM informou que um delegado que estaria afastado dos serviços era suspeito pela autoria do disparo. O fato ocorreu na tarde desta quarta-feira (24).

Segundo a PM informou ao Portal Correio, uma discussão teria se iniciado no local do crime após o delegado perceber que a vítima teria chegado ao local armada. O suspeito pelo crime teria atirado e fugido em seguida.

De acordo com agentes do Distrito Integrado de Segurança Pública de Manaíra, que estiveram no local, o delegado foi localizado após informações de testemunhas, que informaram as características dele e do veículo que dirigia. Ele foi conduzido para a Delegacia de Homicídios de João Pessoa, na Central de Polícia Civil, no bairro do Varadouro, onde prestaria depoimento.

O baleado foi socorrido por uma unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência para o Hospital de Trauma Senador Humberto Lucena. Ele foi atingido na região do tórax e chegou à unidade de saúde consciente e orientado.

A instituição ainda não havia divulgado boletim informativo com o estado de saúde dele, mas os policiais que registraram a entrada do ferido no hospital informaram que ele passava por procedimentos de urgência e seguia com quadro estável.

Suspeito de atirar em delegado na Paraíba passou 20 anos foragido por homicídio no RN

Ivamar é foragido da Polícia na Paraíba

Ivamar é foragido da Polícia na Paraíba

Do Portal Correio da Paraíba – O comerciante Ivamar de Paiva Barreto, 58 anos, apontado pelas investigações da Polícia Civil da Paraíba como autor dos tiros contra o delegado Leonardo Machado, 37 anos, foi condenado por homicídio no Rio Grande do Norte. A informação é do delegado seccional de Cajazeiras, George Wellington da Costa, que preside o inquérito policial. A tentativa de homicídio contra Machado ocorreu no sábado (13), na cidade de Uiraúna, a 464 km de João Pessoa.

Conforme levantamento feito pela Polícia Civil da Paraíba, Ivamar de Paiva tem um histórico de agressividade. “O comerciante foi condenado no Rio Grande do Norte por homicídio. Foi expedido o mandado de prisão contra ele, mas ficou foragido durante mais de 20 anos. Devido o tempo, o crime prescreveu e ele se apresentou após a prescrição. Mas, como a pena foi extinta, Ivamar ficou livre”, revelou George.

Pelo atentado contra o delegado, a justiça decretou a prisão preventiva de Ivamar. A decisão é do juiz plantonista da Comarca de Uiraúna, Renan do Vale. O responsável pelas investigações disse que um grande efetivo das polícias da Paraíba e Rio Grande do Norte continua diligenciando a procura do suspeito.

Estamos no encalço dele. Mais de 50 policiais vistoriam cidades da PB e RN em busca do comerciante. Sabemos da dificuldade de encontrá-lo devido o histórico de fuga do suspeito. Mas, nossa inteligência está em campo. Quem tiver informações pode ligara para o 197 da Polícia Civil ou 190 da Polícia Militar”, avisou.

Leonardo Machado continua internado em estado grave no Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa. O paciente está na UTI da unidade depois da cirurgia realizada no sábado (13) horas depois de ser baleado.

Crime

Segundo investigações da Polícia Civil, o delegado foi atingido com dois tiros em uma praça depois de uma discussão por causa de uma fila de supermercado. Consta no inquérito policial, que um teria passado na frente do outro o que gerou uma revolta. Quando Leonardo Machado saiu do estabelecimento para encontrar os familiares foi atingido por dois tiros nas costas.

A vítima foi socorrida pelo Samu para o Hospital Regional de Cajazeiras de onde foi transferido pelo Helicóptero Acauã, da Secretaria de Segurança Pública da Paraíba, para o Trauma da Capital.

Piora estado de saúde de delegado baleado no Sertão; suspeitos seguem foragidos

Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa

Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa

Piorou o estado de saúde do delegado Leonardo Machado da Costa Souza, de 37 anos, baleado na manhã de sábado (13) em Uiraúna (Sertão do estado, a 477 km de João Pessoa). A informação foi confirmada pelo Hospital de Emergência e Trauma da Capital, para onde o delegado foi transferido. De acordo com boletim médico divulgado na manhã desta segunda-feira (15), o estado de saúde do delegado é gravíssimo.

Leonardo Machado da Costa Souza foi atingido por três tiros. Dois homens em uma motocicleta praticaram o crime. A polícia afirma já ter identificado o suposto autor dos disparos, mas tanto ele quanto o cúmplice permanecem foragidos.

Segundo o Portal Correio, após ser baleada, a vítima foi socorrido para o Hospital Regional de Cajazeiras, onde passou por procedimentos de emergência. No fim da tarde do sábado, o delegado foi transferido para João Pessoa. Conforme boletim divulgado nesse domingo (14) pela unidade de saúde, o delegado foi submetido a uma neurocirurgia e seu estado de saúde era considerado grave.

Às 6h desta segunda-feira, o Hospital de Trauma confirmou o agravamento no quadro clínico do delegado.

Delegado coordenador do GTE é baleado na manhã deste sábado em Uiraúna/PB

Delegado Leonardo Machado foi baleado em via pública

Delegado Leonardo Machado foi baleado em via pública

Informações que chegam do estado da Paraíba, na manhã deste sábado (13), dão conta da tentativa de assassinato do delegado da cidade de Uiraúna, Leonardo Machado. Ele comanda o Grupo Tático Especial – GTE.

O atentado aconteceu em via pública e pelas costas em Uiraúna. A vítima estava de folga.

Pelo menos dois homens efetuaram os disparos contra o delegado, Leonardo Machado.

Depois de ser baleado, o delegado foi encaminhado para o Hospital na cidade de Cajazeiras, mas, deve seguir para João Pessoa, para passar por atendimento especializado.

A Polícia está em diligências para localizar os suspeitos.

Policiais da Delegacia de Homicídios serão homenageados em audiência pública

Foto: Cedida - Policial João Costa, que atua como vereador, é autor da homenagem.

Foto: Cedida – Policial João Costa, que atua como vereador, é autor da homenagem.

O delegado Fábio Rogério e toda equipe de policiais da Delegacia de Homicídios serão homenageados durante uma Audiência Pública da “Frente Parlamentar de Defesa Social e Enfrentamento da Violência na Região Metropolitana da Capital”, que será realizada no próximo dia 27, na Câmara Municipal de São Gonçalo do Amarante.

A homenagem foi proposta pelo policial civil João Costa que hoje atua como vereador da cidade. João explica que todos os policiais que se empenham para ajudar a sociedade devem ser homenageados. “O delegado e os agentes fizeram um excelente trabalho em desvendar rapidamente o assassinato do universitário Maximo Augusto”, explica.

Fábio Rogério é titular da Delegacia Especializada em Homicídios (Dehom) e em menos de uma semana prendeu todos os envolvidos direta ou indiretamente na morte do estudante. “Foi a resposta que a sociedade precisava e por este motivo serão homenageados”, conclui o vereador.

Delegado da Dehom refaz passos de Máximo Augusto para entender o crime

A Delegacia de Homicídios de Natal, assumiu nesta segunda-feira (04), os rumos da investigação em torno da morte de Máximo Augusto.

O delegado, Fábio Rogério Silva, disse ao Blog Sidney Silva que é preciso refazer os passos de Máximo, desde a boate onde ele foi visto pela última vez. “Nós estamos no motel para onde ele veio após sair da boate. Nós queremos refazer todos os passos da vítima“, disse.

O carro ainda não foi localizado. A pessoa que foi vista entrando no veículo pálio de cor branca mais Máximo ainda será identificada. “Essa pessoa é no momento a principal suspeita do crime. Mas, nós precisamos investigar para dirimir todas as dúvidas. Essa pessoa está com o carro, os documentos e celular da vítima“, confirmou.

O crime, um latrocínio, quando alguém mata para roubar poderá ficar mais evidente quando descobrirem onde estão os objetos e o suspeito.