Polícia Civil cria Comissão para investigar homicídios contra agentes de segurança pública

A Delegacia Geral de Polícia Civil (Degepol) publicou no Diário Oficial desta quinta-feira (17), uma portaria criando uma Comissão formada por três delegados da Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) que investigará os homicídios, tentados e consumados, que foram praticados contra os agentes de segurança pública na região de Natal e da Grande Natal, cometidos desde janeiro de 2017. A Grande Natal compreende os municípios de Ceará Mirim, Extremoz, Macaíba,Parnamirim, São Gonçalo do Amarante e São José de Mipibu.

De acordo com a portaria, consideram-se agentes de segurança pública os servidores dos quadros da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar, Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP), Polícia Civil e Agentes Penitenciários Estaduais.

A Comissão será instalada em uma dependência da DHPP, e além de contar com o trabalho dos policiais civis que fazem que da Especializada terá a participação efetiva das equipes das Delegacias de Polícia dos municípios que fazem parte da Grande Natal.



DHPP prende suspeito de corromper testemunhas de assassinato

Policiais Civis da Divisão Especializada em Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) prenderam, nesta quarta-feira (28), Tarcísio José Ribeiro de Lara Andrade Júnior, em cumprimento a um mandado de prisão preventiva. Segundo investigações da Divisão, Tarcísio junto com seu irmão Antônio Ribeiro de Andrade Neto, teriam corrompido testemunhas que atualmente estão presas no presídio de Alcaçuz, para que elas mentissem no inquérito policial que apura os executores da morte do hoteleiro Ademar Miranda Neto, de 58 anos, em 7 de Junho de 2016. Os irmãos Tarcísio e Antônio foram indiciados por Corrupção de Testemunhas.

Relembre o caso:

Em 7 de Junho de 2016, o hoteleiro Ademar Miranda Neto, de 58 anos, foi morto a tiros na avenida Engenheiro Roberto Freire, no bairro de Ponta Negra, quando dois homens que estavam em uma motocicleta efetuaram disparos de arma de fogo contra ele. Pelo crime, a Polícia indiciou Martha Renatta Borsatto, ex-mulher de Ademar, como mentora intelectual do homicídio, e Antônio Ribeiro Neto, até então namorado de Martha Renatta.



Homem que matou dois irmãos na noite de Natal é preso em Fortaleza

Uma investigação da Delegacia de Homicídios da Zona Norte, integrante da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), resultou no cumprimento de mandado de prisão contra Cleiton de Freitas Medeiros, conhecido como “Ploc”, 29 anos, apontado como o homem que matou dois irmãos e feriu outro, no dia 25 de dezembro de 2015, em um posto de gasolina localizado na praia da Redinha, Zona Norte de Natal.

Cleiton de Freitas foi preso em flagrante por policiais civis da 17a. Delegacia de Polícia de Fortaleza, no dia 22 de janeiro deste ano, quando estava na capital cearense. Ele foi preso com munições, uma identidade falsa e com porções de droga. Durante os procedimentos feitos pela Polícia Civil do Ceará, foi detectado que Cleiton de Freitas tinha mandados de prisão expedidos pela Justiça do RN.

De acordo com investigações da DHPP, Cleiton de Freitas matou os irmãos Ayrton Almeida Ernandez e Arlex Almeida Ernandez, após uma discussão no trânsito, próximo ao posto de gasolina. Os irmãos, que são filhos de uma colombiana, estavam em uma moto e o suspeito em um carro. Após a discussão, Cleiton de Freitas desceu do carro que conduzia e atirou contra os irmãos. Um homem de nome Gabriel da Cruz Bezerra, que estava no local, foi atingido por uma bala perdida, mas resistiu. Cleiton de Freitas Medeiros confessou que matou os irmãos.



Morte de agente penitenciário teve a participação de 17 pessoas do Sindicato do RN

Da esquerda para direita, delegado, Reginaldo Soares, delegado Geral Correia Junior e diretor da DHPP, delegado Marcos Vinicius

A Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) divulgou, nesta terça-feira (05), o resultado da Operação Ousadia que elucidou o homicídio do agente penitenciário Thiago Jefferson Bezerra de Lima, morto no dia 10 de outubro de 2017, à rua Presidente Castelo Branco, bairro do Bom Pastor, em Natal. Os resultados foram divulgados em coletiva de imprensa que contou com a presença do Delegado-Geral da Polícia Civil, Correia Junior; do diretor da DHPP, delegado Marcos Vinicius e pelo responsável das investigações, o delegado da Zona Oeste da DHPP, Reginaldo Soares.

De acordo com as investigações, a morte do agente foi resultado de uma ação criminosa efetivada por 17 pessoas que fazem parte da facção Sindicato do RN, sendo três adolescentes. Dos 17 envolvidos no crime, oito homens estão presos, quatro estão foragidos, dois homens estão em liberdade, um adolescente está apreendido e dois adolescentes deles estão em liberdade.

Continue lendo



DHPP procura suspeito de empurrar mulher de barranco no bairro de Ponta Negra

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) está a procura de um homem, suspeito pelo homicídio de Camila Benjamin da Silva, 16 anos, ocorrido no dia 17 de setembro deste ano, na lateral do Hotel Terrazzo, localizado na Avenida Engenheiro Roberto Freire, no bairro de Ponta Negra, Zona Sul de Natal.

Segundo indícios, há duas hipóteses que ocasionaram a morte da jovem, sendo uma delas tendo como suspeito de autoria um homem, o qual, segundo investigações, teria discutido com a menina momentos antes de seu homicídio, e que poderia tê-la empurrado de um barranco, e a segunda hipótese de que a adolescente escorregou e caiu.

A DHPP solicita apoio da população acerca de maiores informações do suspeito do homicídio contra Camila, que podem ser repassadas anonimamente através do Disque Denúncia, de número 181.

Confira imagens do suspeito com a jovem, momento antes da morte:



Preso suspeito de assassinar homem e disparar contra secretário de Saúde confessa crime à DHPP

Após a prisão em flagrante realizada por policiais militares, no último dia 20 no bairro Cidade da Esperança, de Márcio Galdino Macedo, 33 anos, suspeito pelo homicídio contra Erinaldo Bezerra da Silva, 32 anos, e por ter disparado contra o secretário de Saúde de Paraú (RN), Antônio Rogério Peixoto Neto, 53 anos, o preso confessou, nesta quarta-feira (27) à Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), ter sido o autor do crime.

No dia do ocorrido, Márcio teria discutido com Erinaldo em frente a Rodoviária de Natal, localizada na Zona Oeste da capital, e realizado disparos contra a vítima, atingindo o secretário durante tiroteio, sendo preso por policiais militares, que, após diligências, o prenderam nas imediações do local com uma pistola 380, e 16 cartuchos do mesmo calibre na meia, a qual ele teria tentado se desfazer. Após a prisão, ele foi encaminhado à Central de Flagrantes, onde foi reconhecido por testemunhas, tendo negado o crime.

Investigações da Polícia Civil apontam duas hipóteses de motivação para o cometimento do crime, sendo uma delas a vingança contra Erinaldo, o qual teria afirmado que no dia 28 de janeiro de 2015 Márcio teria sido o autor do assassinato contra o seu primo, Luan Bezerra, morto no bairro Planalto, Zona Oeste de Natal, e a outra hipótese seria uma possível queima de arquivo contra a vítima, por essa ser testemunha de tal crime. Após a confissão de Márcio, a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) solicitará a prisão preventiva do homem à Justiça.



DHPP indicia dupla por receptação de celular de espanhol assassinado no bairro de Ponta Negra

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) indiciou, nesta sexta-feira (08), a dupla João Batista Moura Filho e Marcela Andrade de Oliveira, pelo crime de receptação.

Segundo investigações, o celular do espanhol Francisco Bachiller Rueda, assassinado no dia 02 de abril deste ano na Vila de Ponta Negra, estava em posse de João Batista, o qual afirmou ter adquirido de Marcela pelo valor de R$ 70,00 reais, sem nota fiscal.

Em depoimento, a mulher alegou ter adquirido o aparelho celular de Derick, morador de rua que posteriormente foi assassinado.

A DHPP prossegue nas investigações referentes ao homicídio do espanhol, tendo dois suspeitos, sendo um que já está preso, e o outro um homem conhecido como “Marquinhos”, o qual está sendo procurado.



DHPP já concluiu mais de 200 inquéritos neste ano

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), responsável pela investigação dos homicídios relacionados aos Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLIs) ocorridos na cidade de Natal, vem aumentando, nos últimos três anos, a elucidação deste tipo de crime e remetendo um número maior de inquéritos policiais à Justiça. Entre os meses de janeiro e agosto deste ano, a Divisão concluiu 242 inquéritos policiais, representando 59,84% dos CVLIs ocorridos em Natal.

Este número supera o quantitativo relativo à somatória do mesmo período dos dois últimos anos. Em 2016 foram concluídos e remetidos 141 inquéritos policiais e em 2015, 54 inquéritos, sendo ambos os dados referentes aos meses entre janeiro e agosto. Este quantitativo de 2017, indica que os números de inquéritos concluídos com êxito cresceram aproximadamente 20%, se comparados com o mesmo período dos anos anteriores. Os números positivos do trabalho realizado pela Divisão são advindos de mudanças que foram implantadas pela Polícia Civil. No final de 2015, o delegado Ben-Hur de Medeiros assumiu a Delegacia de Homicídios (Dehom), e logo no começo de 2016 a mesma foi extinta, dando lugar a DHPP, a qual foi implantada com reformulações e aumento de pessoal. Atualmente, a Divisão possui 13 delegados, que trabalham no funcionamento do expediente da DHPP e nas quatro equipes de plantão, responsáveis pelas Zonas Norte, Sul, Leste e Oeste. Cada equipe é formada por três agentes e um escrivão.

Segundo o delegado da DHPP, Ben Hur Medeiros, os casos de tentativa de homicídio não são investigados pela Divisão, sendo esses de responsabilidade de cada distrito policial. Ele explica ainda acerca das subnotificações, as quais ocasionam o não conhecimento de alguns homicídios por parte da DHPP. “Nesta nova estrutura, conseguimos muitos avanços, no entanto ainda estamos aquém do ideal, que seria se tivéssemos o dobro de agentes e veículos. Dentro dessa ideia, também seria interessante se houvesse núcleos da Divisão em cada município da região metropolitana, os quais seriam chancelados pela DHPP, tendo estrutura e pessoal necessários para o seu funcionamento. Para todo caso de homicídio que chega ao conhecimento da Divisão é imediatamente instaurado o devido inquérito policial e as investigações ficam mais céleres. Existem casos de subnotificações, quando a vítima é socorrida ao hospital e acaba falecendo dias ou meses depois e a DHPP não é informada, sendo assim, a Divisão acaba não tomando conhecimento desses tipos de homicídios. Durante todo este tempo em que estou a frente da DHPP, houve melhorias significativas no funcionamento e nos resultados positivos da Divisão”, detalha o diretor da DHPP, Ben Hur Medeiros.



Polícia Civil prende homem suspeito pela morte do subtenente Amaurí Soares

Homem preso pela Polícia é suspeito do assassinato do Subtenente da reserva Amaurí Soares

Equipes de policiais civis da Divisão de Homicídios e de Proteção a Pessoa (DHPP) e da 4ª Delegacia de Polícia com apoio da Polícia Militar prenderam, nesta quarta-feira (06), Jeanderson Carlos Freire da Silva, vulgo “Pretinho”, 32 anos, foragido da Penitenciária Estadual de Parnamirim desde dezembro de 2016. Ele foi preso em cumprimento aos mandados de prisão temporária e de busca e apreensão no bairro de Mãe Luíza. Jeanderson é apontado em investigações como principal suspeito do homicídio do Subtenente da reserva Amaurí Soares, ocorrido no dia 10 agosto deste ano.

No crime, quatro pessoas atiraram contra os policiais militares que pescavam no rio Potengi, próximo à comunidade do Paço da Pátria, na Zona Leste de Natal, um desses policiais era o Subtenente Amaurí Soares que após a troca de tiros ficou desaparecido por três dias. Equipes de busca e resgate dos Bombeiros Militares encontraram em uma área de mangue, o corpo do subtenente.

As investigações indicam que Jeanderson seria uma espécie de gerente do tráfico de drogas na comunidade do Paço da Pátria e que seria integrante da facção criminosa Sindicato do RN. Na ocasião do homicídio do Subtenente ele teria ordenado que outros comparsas se aproximassem da canoa onde estava a vítima e atirassem contra os pescadores. Ele achava na ocasião que as pessoas na embarcação eram integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital, após o crime descobriu o engano.

Os outros dois envolvidos no homicídio do Subtenente estão foragidos e a polícia continua tentando capturá-los. Jeanderson é o segundo envolvido neste homicídio a ser capturado, no dia do crime um adolescente foi apreendido e encontra-se internado desde então.

Em coletiva de imprensa realizada no dia de hoje, o Delegado Geral de Polícia Civil Correia Júnior aconselhou que os outros suspeitos foragidos que participaram do crime se apresentem na delegacia para se entregar.

Vídeo com entrevista e imagens do suspeito:



DHPP prende mais um dos suspeitos de matar morador de rua no bairro Potilândia

Walace Maxsuel Nunes da Silva foi preso em São José de Mipibu

Policiais civis da Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) prenderam, nesta segunda-feira (17) em São José do Mipibu, Walace Maxsuel Nunes da Silva, vulgo “Marquinhos”, 28 anos, suspeito pelo homicídio de um morador de rua conhecido como “Cabeça”, no dia 06 de novembro de 2016, no bairro Potilândia, Zona Sul de Natal.

Segundo investigações, o crime ocorreu embaixo de um viaduto nas proximidades do Arena das Dunas, e foi motivado por dívidas de drogas. No crime, “Marquinhos” e seu primo “Galeguinho”, preso na última semana, teriam matado “Cabeça”, e tentado matar Josiane Caetano utilizando uma faca. Walace Maxsuel foi preso em cumprimento a um mandado de prisão preventiva, sendo encaminhado ao sistema prisional, onde ficará à disposição da Justiça.



DHPP indicia 14 detentos da facção Sindicato do RN por morte em presídio

Presos foram indiciados por morto dentro da João Chaves – (Fotos: Divulgação: Assessoria de Comunicação Polícia Civil/RN)

Uma investigação da Delegacia de Homicídio da Zona Norte (DHZN) da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) indiciou 14 detentos da Penitenciária João Chaves por terem matado o preso Luiz Clebson de Araújo, conhecido por “Mossoró”, 26 anos, no dia 26 de setembro de 2016. A investigação descobriu que o grupo, formado por integrantes da facção Sindicato do RN, matou a vítima e simulou que a mesma tivesse cometido um suicídio. Na tarde do dia 26, o corpo de Luiz foi encontrado dependurado na entrada da cela 10, do Pavilhão 2. Ele havia cometido crimes como roubo e tráfico de drogas.

Foram indiciados por homicídio qualificado e associação criminosa: Adriano Machado, vulgo “Goianinha”, 30 anos; David Lopes da Silva, vulgo “Riú”, 30 anos; Wellington Fernandes de Lima, vulgo “Espanta”, 32 anos; Hegleiber Silva dos Santos, vulgo “Ceará”, 34 anos; Israel Nascimento de Oliveira, 27 anos; Moab Cristiano de Araújo Pinheiro, 31 anos; Edson Luiz de Oliveira, vulgo ” Shampoo”, 30 anos; Pedro Caetano da Silva, vulgo “Pedro Boy” ou “Coroa Pedro”, 35 anos; José Ederfran Rodrigues Pessoa, 37 anos; José Wellington Costa de Souza Junior, vulgo “Aranha”, brasileiro, 27 anos; Jubiranilson de Araújo Barbosa, vulgo “Jubi”, 28 anos; Maciel Cavalcanti Odilon, vulgo “Badibi”, 27 anos; Marcelo Moreira de Oliveira, vulgo “Marcelo Boy ou Marcelo de Cleuza”, 42 anos; Marcos dos Santos Aguiar, vulgo “Cara de Pulga Maruim”, 35 anos. A DHPP já representou à Justiça a prisão preventiva dos 13 indiciados.

De acordo com as investigações, a motivação para que Luiz Clebson fosse morto pelos integrantes do Sindicato do RN seria porque o mesmo estava montando uma falsa fuga para os presos do Sindicato do RN que estavam detidos no Pavilhão 2, com o intuito de serem executados logo após a fuga. Luiz Clebson estava arquitetando para que os detentos do Sindicato do RN fossem mortos por integrantes do Primeiro Comando da Capital.

O plano arquitetado por Luiz Clebson estava sendo combinado por celular e um dos presos do Sindicato do RNconseguiu pegar o celular da vítima e descobriu todo o plano. Após a descoberta, os presos do Sindicato do RN decidiram matar Luiz Clebson. Para elucidar o homicídio da vítima, a equipe da DHPP ouviu 46 presos que estavam detidos no Pavilhão 2.



DHPP prende foragido de Minas Gerais no bairro Bom Pastor

Antônio Ferreira Suriano foi no Bairro Bom Pastor em Natal – (Foto: Divulgação Assessoria da Polícia Civil RN)

Policiais civis da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) prenderam, na tarde desta sexta-feira (16) no bairro Bom Pastor, Antônio Ferreira Suriano, vulgo “Ceará”, 36 anos, suspeito de ter cometido um homicídio no ano de 2000 na cidade de Patos de Minas, localizada no estado de Minas Gerais. Anteriormente à sua prisão, ocorrida em cumprimento de mandado de prisão preventiva, Antônio tentou evadir-se para Fortaleza com uma criança.

O homem é suspeito de ter assassinado a facadas Luiz Antônio Xavier da Silva, conhecido como “Lucas”, 45 anos, no dia 14 de setembro de 2014 no bairro Bom Pastor, onde teria discutido com a vítima após uma festa. Na época do crime, Antônio utilizava uma identidade falsa com o nome de Ribamar Rodrigues de Oliveira, o qual tem em seu desfavor um mandado de prisão temporária pelo assassinato de Luiz. Antônio foi preso e encaminhado ao sistema prisional, onde ficará à disposição da Justiça.



DHPP prende suspeito de matar homem a facadas na Zona Norte de Natal

Eduardo Luiz de França Júnior foi preso pela Polícia Civil

Policiais civis da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) prenderam, na tarde desta quarta-feira (14) no bairro de Pajuçara, Eduardo Luiz de França Júnior, 24 anos, suspeito de ter assassinado a facadas Ricardo José Salviano da Silva, e de ter tentado matar a sua esposa, na residência da vítima, localizada no conjunto Parque das Dunas, Zona Norte de Natal.

No crime, Ricardo teria sido esfaqueado pelo suspeito, após ter agredido o mesmo por ter visto ele acariciando a sua esposa. Eduardo confessa o homicídio e afirma que também tentou matar a esposa da vítima. Ele foi preso em cumprimento de mandado de prisão preventiva, sendo encaminhado ao sistema prisional, onde ficará à disposição da Justiça.



DHPP prende suspeito de participar de latrocínio contra sargento da PM

Cláudio Sérgio foi preso como suspeito do crime

Uma equipe de policiais civis da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) prendeu, nesta segunda-feira (05) na Favela do Japão, Claudio Sérgio de Oliveira Silva, 30 anos, suspeito de participar do latrocínio contra o sargento da Polícia Militar Antônio Cândido dos Santos, ocorrido na manhã de hoje no bairro Dix-Sept Rosado, Zona Oeste da capital. No crime, a vítima foi abordada por dois homens que estavam em uma motocicleta Honda CB 300, cor branca, e atingida por um disparo de arma de fogo. Após o latrocínio, a dupla subtraiu a arma do policial militar.

Segundo investigações, a dupla teria ainda cometido um roubo anteriormente ao latrocínio, na Avenida Lima e Silva, e subtraído das vítimas uma bolsa azul, uma carteira, e um celular. Imagens de câmeras de segurança, as quais mostram a dupla empreendendo fuga na motocicleta após o latrocínio, exibem um dos homens utilizando a mesma bolsa azul roubada na Avenida Lima e Silva. Através de diligências, policiais encontraram a motocicleta utilizada pelos homens abandonada no bairro das Quintas, tendo o veículo queixa de roubo. Durante a prisão de Cláudio, foram apreendidos dois aparelhos celulares, uma algema, além de serem encontradas uma calça preta e uma capa de chuva de mesma cor, ambas semelhantes as peças de roupa utilizadas pelos autores do crime.

Continue lendo



DHPP prende homem suspeito por homicídio ocorrido na Avenida Ayrton Senna

Rato foi preso por policiais do DHPP – (Foto: Divulgação Degepol/RN)

Policiais civis da Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) prenderam, neste sábado (03), Pedro Victor Maciel Silva, mais conhecido como “Rato”, 18 anos, suspeito pelo homicídio de José Erimar Santana Filho, 23 anos, e pela tentativa de homicídio de Kleyton Rafael de Lima Weigert, 27 anos, ocorridos em abril deste ano na cidade de Natal.

Segundo investigações, “Rato” disparou contra uma motocicleta, onde estavam os dois homens, na Avenida Ayrton Senna, próximo a uma conveniência, na madrugada do dia 23 de abril. A vítima fatal estava na garupa da moto, enquanto o piloto sobreviveu ao ataque.

Pedro Victor foi preso em cumprimento a um mandado de prisão temporária, quando estava na Rota do Sol, próximo ao estádio Frasqueirão, embarcando em um ônibus que ia para cidade do Recife.