Please enter banners and links.


Polícia Civil procura caicoense suspeito de ter participado de homicídio em Neópolis

Caicoense, Thiago Portugal é procurado pela Polícia – (FOTO: Divulgação/Polícia Civil)

A Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) pede ajuda da população para que envie informações anônimas que possam ajudar a localizar o caicoense, Tiago Vinícius Silva, conhecido como “Comendador, Playboy ou Tyago Portugal”. Ele foi indiciado pela DHPP, por ser um dos 13 homens suspeitos de participaram do homicídio de Ranieri Pablo da Silva Azevedo, vulgo “Pequeno”, assassinado no dia 04 de agosto de 2018, no bairro de Neópolis, próximo a dois condomínios da Zona Sul de Natal. O homicídio de Ranieri resultou na deflagração da Operação Clowns, que conseguiu identificar todos os suspeitos pelo crime.

As investigações revelaram que, na ocasião do crime, 13 pessoas “convocaram” a vítima para um “julgamento” feito por eles, que resultou na decisão de matar Ranieri Pablo. A vítima foi executada sumariamente, após ter sido arrastada à força para dentro de um veículo Fox de cor preta, de onde foi jogada e alvejada por disparos de arma de fogo.

Ao todo, 13 pessoas participaram do homicídio, sendo 2 adolescentes e 11 adultos. Dos 13 suspeitos, 7 adultos foram presos e dois adolescentes foram apreendidos, restando apenas 2 foragidos: Tiago Vinícius Silva, “Comendador ou Playboy ou Tyago Portugal” e Jefferson Cleyton Fernandes, “vulgo Bomba ou Raposo”.

Com a identificação e o indiciamento de Tiago Vinícius Silva, todas as 13 pessoas que participaram do homicídio de Ranieri Pablo, que resultou na Operação Clowns, foram identificadas. O nome da operação (“Clowns”, palhaço em inglês) é alusiva a um dos símbolos de uma facção, pois os indiciados também são suspeitos de integrarem uma facção e executaram a vítima seguindo os trâmites do “estatuto” da facção.



Dono de bar é assassinado com tiros na cabeça em Mossoró

*O Câmera

Local do crime aonde foi morto o comerciante (na foto em destaque) com aglomeração de curiosos – (FOTO: O Câmera)

O empresário, Verton Fernandes Maropo, de 39 anos, foi assassinado dentro do bar 3º Turno, de sua propriedade, localizado na Avenida Petrônio Portela, no Bairro Abolição IV, em Mossoró/RN. O crime foi registrado por volta das 09h da noite deste domingo (31).

A vítima que residia no Bairro Santa Delmira, foi alvejado duas vezes com tiros na cabeça e morreu no local.

O suspeito, de acordo com relatos de testemunhas, entrou no estabelecimento, pediu uma cerveja, dois espetinhos, passou 40 minutos no bar antes de atacar a vítima e fugiu de moto.

A polícia investiga se a morte está relacionada com uma briga em que a vítima se envolveu recentemente aonde foi, inclusive, ameaçado de morte.

O crime vai ser investigado pela Delegacia de Homicídio e Proteção a Pessoa – DHPP.



Polícia Civil prende casal suspeito de planejar crime que resultou na morte da policial militar de Santa Catarina

Casal foi preso pela Polícia Civil do Rio Grande do Norte

A Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) divulgou, nesta quinta-feira (28), que prendeu o casal suspeito de planejar o crime que causou o assassinato da soldado da Polícia Militar de Santa Catarina, Caroline Pletsch, 32 anos, morta no dia 26 de março de 2018. Weverton Lendário Gomes da Silva, vulgo Verto, 34 anos e Raíssa Torres Lima de Sousa, 20 anos, conhecida como Xuxinha, fazem parte do grupo de investigados, que organizou e prestou auxílio no dia do crime. O casal foi preso nesta quarta-feira (27).

O suspeito de ter efetuado os disparos, João Victor da Silva Pereira, 18 anos, já havia sido preso em abril de 2018. Weverton Lendário e Raíssa Torres eram foragidos da Justiça e estavam sendo procurados. “Nossas investigações revelaram que Weverton era o proprietário do veículo que foi utilizado no dia do crime e que ele também foi responsável por esconder os autores do homicídio. A companheira dele, Xuxinha, também autora intelectual do crime, foi a condutora do veículo, que levou o grupo até o local onde a policial militar foi assassinada”, detalhou o delegado Rysklyft Factore, responsável pelo inquérito que investigou o crime.

O crime – A ação criminosa do latrocínio, ocorreu no dia 26 de março de 2018, em uma pizzaria na Zona Norte de Natal. O marido da policial militar, o sargento Marcos Paulo também acabou sendo atingido, mas sobreviveu.

De acordo com o delegado Rysklyft Factore, João Victor e um adolescente entraram no estabelecimento para roubar e perceberam que o sargento Marcos Paulo estava armado. Primeiro houve uma luta corporal contra o sargento Marcos Paulo e a soldado Caroline ainda chegou a defender o marido usando uma cadeira contra João Victor, momento em que ele conseguiu disparar o tiro fatal nela. Após ter atingido a soldado, João Victor ainda disparou tiros contra o sargento Marcos Paulo. Após os disparos, a dupla conseguiu subtrair o revólver que era do sargento e saíram correndo.



Polícia Civil prende suspeito pelo latrocínio de policial militar


Janderson Ferreira Leones, 24 anos , é suspeito do crime

A Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) prendeu, na manhã desta quinta-feira (28), Janderson Ferreira Leones, 24 anos, suspeito da morte do sargento da Polícia Militar, José Edivaldo do Nascimento, no dia 21 de abril de 2018, no bairro Tirol, em Natal. Janderson foi detido mediante o cumprimento de um mandado de prisão temporária, no Passo da Pátria, Zona Leste de Natal.

Na ocasião, os policiais também cumpriram mandado de busca e apreensão na residência do investigado, quando foi encontrada certa quantidade de “crack”, razão pela qual Janderson Ferreira foi preso em flagrante delito pelo crime de tráfico de drogas. Em interrogatório prestado após a prisão, Janderson Ferreira confessou que atirou na vítima, após ter anunciado o assalto, e que não sabia que se tratava de um policial militar.

Armas foram apreendidas em poder do suspeito

No momento das diligências, no Passo da Pátria, os policiais civis localizaram um imóvel que era utilizado como uma fábrica de armas artesanais. No local, foram apreendidos diversos instrumentos como furadeiras e outros apetrechos usados na montagem. O responsável pelo imóvel não foi encontrado.



Polícia Civil prende suspeito de matar policial militar em bar

Cassiano Nascimento é suspeito do crime

Policiais civis da Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) prenderam, nesta quinta-feira (21), Cassiano Nascimento de Oliveira, de 23 anos.

Cassiano mora no bairro do Planalto e é suspeito de ser o autor dos disparos que mataram o Policial Militar reformado Rafael Andrade da Silva tinha, de 37 anos.

O crime ocorreu após uma discussão em um bar do conjunto San Vale, Zona Sul de Natal, no dia 12 de janeiro deste ano.



Polícia Civil prende suspeito por latrocínio contra dono de padaria em 2015

JEFFERSON GUEDES foi preso pela Polícia

Agentes da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) deram cumprimento, na manhã de sexta-feira (23), a um mandado de prisão preventiva em desfavor de Jefferson Guedes Gomes da Silva, conhecido como “Boy dos Barreiros”, suspeito pelo latrocínio de Israel Severino Ferreira, em frente a padaria de propriedade da vítima, no bairro de Nazaré, em Natal, no dia 14 de Abril de 2015.

Continue lendo



DHPP prende suspeito de homicídio em Ceará-Mirim

Marcelino foi preso sob suspeita de prática de homicídio

Uma equipe da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) realizou a prisão em flagrante, na noite de sábado (30), de Marcelino Cardoso da Silva, 20 anos, suspeito pelo homicídio de Luiz Antônio Basílio da Costa, no distrito de Capela, em Ceará-Mirim.

As primeiras investigações da DHPP, ainda no local do crime, apontaram para Marcelino como autor do crime. Em diligências realizadas pela região, o suspeito foi localizado e preso na casa de seu pai, no mesmo distrito onde realizou a ação criminosa. Após a prisão, Marcelino confessou que efetuou disparos de arma de fogo contra a vítima, e afirmou que a motivação para o assassinato foi uma dívida de R$ 100.00, que Luiz Antônio tinha com ele.

Autuado pelo homicídio, Marcelino Cardoso foi encaminhado ao sistema prisional, onde ficará à disposição da Justiça.

Confira vídeo com a fala de Marcelino:



Polícia Civil cria Comissão para investigar homicídios contra agentes de segurança pública

A Delegacia Geral de Polícia Civil (Degepol) publicou no Diário Oficial desta quinta-feira (17), uma portaria criando uma Comissão formada por três delegados da Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) que investigará os homicídios, tentados e consumados, que foram praticados contra os agentes de segurança pública na região de Natal e da Grande Natal, cometidos desde janeiro de 2017. A Grande Natal compreende os municípios de Ceará Mirim, Extremoz, Macaíba,Parnamirim, São Gonçalo do Amarante e São José de Mipibu.

De acordo com a portaria, consideram-se agentes de segurança pública os servidores dos quadros da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar, Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP), Polícia Civil e Agentes Penitenciários Estaduais.

A Comissão será instalada em uma dependência da DHPP, e além de contar com o trabalho dos policiais civis que fazem que da Especializada terá a participação efetiva das equipes das Delegacias de Polícia dos municípios que fazem parte da Grande Natal.



DHPP prende suspeito de corromper testemunhas de assassinato

Policiais Civis da Divisão Especializada em Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) prenderam, nesta quarta-feira (28), Tarcísio José Ribeiro de Lara Andrade Júnior, em cumprimento a um mandado de prisão preventiva. Segundo investigações da Divisão, Tarcísio junto com seu irmão Antônio Ribeiro de Andrade Neto, teriam corrompido testemunhas que atualmente estão presas no presídio de Alcaçuz, para que elas mentissem no inquérito policial que apura os executores da morte do hoteleiro Ademar Miranda Neto, de 58 anos, em 7 de Junho de 2016. Os irmãos Tarcísio e Antônio foram indiciados por Corrupção de Testemunhas.

Relembre o caso:

Em 7 de Junho de 2016, o hoteleiro Ademar Miranda Neto, de 58 anos, foi morto a tiros na avenida Engenheiro Roberto Freire, no bairro de Ponta Negra, quando dois homens que estavam em uma motocicleta efetuaram disparos de arma de fogo contra ele. Pelo crime, a Polícia indiciou Martha Renatta Borsatto, ex-mulher de Ademar, como mentora intelectual do homicídio, e Antônio Ribeiro Neto, até então namorado de Martha Renatta.



Homem que matou dois irmãos na noite de Natal é preso em Fortaleza

Uma investigação da Delegacia de Homicídios da Zona Norte, integrante da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), resultou no cumprimento de mandado de prisão contra Cleiton de Freitas Medeiros, conhecido como “Ploc”, 29 anos, apontado como o homem que matou dois irmãos e feriu outro, no dia 25 de dezembro de 2015, em um posto de gasolina localizado na praia da Redinha, Zona Norte de Natal.

Cleiton de Freitas foi preso em flagrante por policiais civis da 17a. Delegacia de Polícia de Fortaleza, no dia 22 de janeiro deste ano, quando estava na capital cearense. Ele foi preso com munições, uma identidade falsa e com porções de droga. Durante os procedimentos feitos pela Polícia Civil do Ceará, foi detectado que Cleiton de Freitas tinha mandados de prisão expedidos pela Justiça do RN.

De acordo com investigações da DHPP, Cleiton de Freitas matou os irmãos Ayrton Almeida Ernandez e Arlex Almeida Ernandez, após uma discussão no trânsito, próximo ao posto de gasolina. Os irmãos, que são filhos de uma colombiana, estavam em uma moto e o suspeito em um carro. Após a discussão, Cleiton de Freitas desceu do carro que conduzia e atirou contra os irmãos. Um homem de nome Gabriel da Cruz Bezerra, que estava no local, foi atingido por uma bala perdida, mas resistiu. Cleiton de Freitas Medeiros confessou que matou os irmãos.



Morte de agente penitenciário teve a participação de 17 pessoas do Sindicato do RN

Da esquerda para direita, delegado, Reginaldo Soares, delegado Geral Correia Junior e diretor da DHPP, delegado Marcos Vinicius

A Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) divulgou, nesta terça-feira (05), o resultado da Operação Ousadia que elucidou o homicídio do agente penitenciário Thiago Jefferson Bezerra de Lima, morto no dia 10 de outubro de 2017, à rua Presidente Castelo Branco, bairro do Bom Pastor, em Natal. Os resultados foram divulgados em coletiva de imprensa que contou com a presença do Delegado-Geral da Polícia Civil, Correia Junior; do diretor da DHPP, delegado Marcos Vinicius e pelo responsável das investigações, o delegado da Zona Oeste da DHPP, Reginaldo Soares.

De acordo com as investigações, a morte do agente foi resultado de uma ação criminosa efetivada por 17 pessoas que fazem parte da facção Sindicato do RN, sendo três adolescentes. Dos 17 envolvidos no crime, oito homens estão presos, quatro estão foragidos, dois homens estão em liberdade, um adolescente está apreendido e dois adolescentes deles estão em liberdade.

Continue lendo



DHPP procura suspeito de empurrar mulher de barranco no bairro de Ponta Negra

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) está a procura de um homem, suspeito pelo homicídio de Camila Benjamin da Silva, 16 anos, ocorrido no dia 17 de setembro deste ano, na lateral do Hotel Terrazzo, localizado na Avenida Engenheiro Roberto Freire, no bairro de Ponta Negra, Zona Sul de Natal.

Segundo indícios, há duas hipóteses que ocasionaram a morte da jovem, sendo uma delas tendo como suspeito de autoria um homem, o qual, segundo investigações, teria discutido com a menina momentos antes de seu homicídio, e que poderia tê-la empurrado de um barranco, e a segunda hipótese de que a adolescente escorregou e caiu.

A DHPP solicita apoio da população acerca de maiores informações do suspeito do homicídio contra Camila, que podem ser repassadas anonimamente através do Disque Denúncia, de número 181.

Confira imagens do suspeito com a jovem, momento antes da morte:



Preso suspeito de assassinar homem e disparar contra secretário de Saúde confessa crime à DHPP

Após a prisão em flagrante realizada por policiais militares, no último dia 20 no bairro Cidade da Esperança, de Márcio Galdino Macedo, 33 anos, suspeito pelo homicídio contra Erinaldo Bezerra da Silva, 32 anos, e por ter disparado contra o secretário de Saúde de Paraú (RN), Antônio Rogério Peixoto Neto, 53 anos, o preso confessou, nesta quarta-feira (27) à Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), ter sido o autor do crime.

No dia do ocorrido, Márcio teria discutido com Erinaldo em frente a Rodoviária de Natal, localizada na Zona Oeste da capital, e realizado disparos contra a vítima, atingindo o secretário durante tiroteio, sendo preso por policiais militares, que, após diligências, o prenderam nas imediações do local com uma pistola 380, e 16 cartuchos do mesmo calibre na meia, a qual ele teria tentado se desfazer. Após a prisão, ele foi encaminhado à Central de Flagrantes, onde foi reconhecido por testemunhas, tendo negado o crime.

Investigações da Polícia Civil apontam duas hipóteses de motivação para o cometimento do crime, sendo uma delas a vingança contra Erinaldo, o qual teria afirmado que no dia 28 de janeiro de 2015 Márcio teria sido o autor do assassinato contra o seu primo, Luan Bezerra, morto no bairro Planalto, Zona Oeste de Natal, e a outra hipótese seria uma possível queima de arquivo contra a vítima, por essa ser testemunha de tal crime. Após a confissão de Márcio, a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) solicitará a prisão preventiva do homem à Justiça.



DHPP indicia dupla por receptação de celular de espanhol assassinado no bairro de Ponta Negra

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) indiciou, nesta sexta-feira (08), a dupla João Batista Moura Filho e Marcela Andrade de Oliveira, pelo crime de receptação.

Segundo investigações, o celular do espanhol Francisco Bachiller Rueda, assassinado no dia 02 de abril deste ano na Vila de Ponta Negra, estava em posse de João Batista, o qual afirmou ter adquirido de Marcela pelo valor de R$ 70,00 reais, sem nota fiscal.

Em depoimento, a mulher alegou ter adquirido o aparelho celular de Derick, morador de rua que posteriormente foi assassinado.

A DHPP prossegue nas investigações referentes ao homicídio do espanhol, tendo dois suspeitos, sendo um que já está preso, e o outro um homem conhecido como “Marquinhos”, o qual está sendo procurado.



DHPP já concluiu mais de 200 inquéritos neste ano

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), responsável pela investigação dos homicídios relacionados aos Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLIs) ocorridos na cidade de Natal, vem aumentando, nos últimos três anos, a elucidação deste tipo de crime e remetendo um número maior de inquéritos policiais à Justiça. Entre os meses de janeiro e agosto deste ano, a Divisão concluiu 242 inquéritos policiais, representando 59,84% dos CVLIs ocorridos em Natal.

Este número supera o quantitativo relativo à somatória do mesmo período dos dois últimos anos. Em 2016 foram concluídos e remetidos 141 inquéritos policiais e em 2015, 54 inquéritos, sendo ambos os dados referentes aos meses entre janeiro e agosto. Este quantitativo de 2017, indica que os números de inquéritos concluídos com êxito cresceram aproximadamente 20%, se comparados com o mesmo período dos anos anteriores. Os números positivos do trabalho realizado pela Divisão são advindos de mudanças que foram implantadas pela Polícia Civil. No final de 2015, o delegado Ben-Hur de Medeiros assumiu a Delegacia de Homicídios (Dehom), e logo no começo de 2016 a mesma foi extinta, dando lugar a DHPP, a qual foi implantada com reformulações e aumento de pessoal. Atualmente, a Divisão possui 13 delegados, que trabalham no funcionamento do expediente da DHPP e nas quatro equipes de plantão, responsáveis pelas Zonas Norte, Sul, Leste e Oeste. Cada equipe é formada por três agentes e um escrivão.

Segundo o delegado da DHPP, Ben Hur Medeiros, os casos de tentativa de homicídio não são investigados pela Divisão, sendo esses de responsabilidade de cada distrito policial. Ele explica ainda acerca das subnotificações, as quais ocasionam o não conhecimento de alguns homicídios por parte da DHPP. “Nesta nova estrutura, conseguimos muitos avanços, no entanto ainda estamos aquém do ideal, que seria se tivéssemos o dobro de agentes e veículos. Dentro dessa ideia, também seria interessante se houvesse núcleos da Divisão em cada município da região metropolitana, os quais seriam chancelados pela DHPP, tendo estrutura e pessoal necessários para o seu funcionamento. Para todo caso de homicídio que chega ao conhecimento da Divisão é imediatamente instaurado o devido inquérito policial e as investigações ficam mais céleres. Existem casos de subnotificações, quando a vítima é socorrida ao hospital e acaba falecendo dias ou meses depois e a DHPP não é informada, sendo assim, a Divisão acaba não tomando conhecimento desses tipos de homicídios. Durante todo este tempo em que estou a frente da DHPP, houve melhorias significativas no funcionamento e nos resultados positivos da Divisão”, detalha o diretor da DHPP, Ben Hur Medeiros.