Diagnóstico da Criança e do Adolescente em Caicó está na fase final

Coleta de dados está na fase final

O município de Caicó está concluído mais uma fase da elaboração do diagnóstico da criança e do adolescente. Esta é a fase final de coleta e organização dos dados. Ao final desta fase, um relatório será apresentado e os dado serão publicados em uma plataforma digital. O diagnóstico tem o objetivo de identificar os principais problemas de criança e adolescente do município.

“Estamos já em uma fase final do diagnóstico. Começamos, agora, a análise dos dados e vamos publicar todos os resultados completos. Esse diagnóstico começou em 2017 quando uma comissão foi formada em Caicó. Foram coletados dados locais como por exemplo, nas delegacias, nas organizações sociais, prefeitura, promotoria, organizações governamentais que atendem crianças e adolescentes”, explicou Veruska Gladini, responsável pela Fluxo Consultoria, empresa responsável pela capacitação e consultoria da equipe.

Para o presidente do Conselho Municipal dos Diretos da Criança e do Adolescente de Caicó, Santiago Júnior, o diagnóstico da criança e do adolescente do município é uma forma do município nortear as ações e os investimentos para as crianças e os adolescentes.

“O diagnóstico é um produto para que possamos planejar ações para crianças e adolescentes do nosso município. É um documento importante e que todos os municípios do Brasil estão se mobilizando para a sua construção e os próprios financiadores de fundos de infância e adolescência mencionam a necessidade terem um diagnóstico para se elaborar um plano de ação”, destacou o presidente.



Diagnóstico da situação da criança e do adolescente em Caicó encontra-se na 3ª etapa

Diagnóstico da situação da criança e do adolescente em Caicó encontra-se na 3ª etapa

O processo do Diagnóstico e Elaboração da Política de Atendimento da Criança e do Adolescente do município de Caicó-RN, encontra-se na fase da 3ª Etapa, que corresponde a formação do quadro orientador do diagnóstico. Nesta fase estão sendo levantadas informações que ofereçam uma visão preliminar sobre o perfil do município, suas diferenças territoriais, quantidade e distribuição dos programas e instituições de proteção especial nele existentes. Além disso, a Comissão Intersetorial, buscará indicadores básicos que apontem a ocorrência de violações dos direitos das crianças e adolescentes e levantará hipóteses sobre a capacidade da rede de atendimento para enfrentar essas violações.

Para isso, estão sendo coletado os dados primários nas Organizações da Sociedade Civil, nos Órgãos governamentais; na Segurança Pública (polícias civil, militar e rodoviária), no Ministério Público; no Poder Judiciário; no Conselho Tutelar e entre outros. É relevante frisar que a busca desses dados primários é de extrema importância, uma vez que, existem dados que não estão publicados e, muitas vezes não são analisados pelos técnicos do município, ainda que sejam coletados e registrados”, disse Santiago Júnior, presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, em Caicó.

Desse modo, os membros da Comissão do Diagnóstico se responsabilizaram por coletar as informações nos lugares pré-definidos, onde dividiu-se os membros para buscarem os representantes de diversas instituições governamentais e não-governamentais (educação, saúde, segurança pública, assistência social, justiça), e estes preencherem as planilhas, que foram desenvolvidas para este trabalho.

E assim o   produto esperado ao final da Etapa 3 é a construção de um quadro de referência com informações sociais básicas do município; informações sobre as diferenças existentes entre os distritos e bairros; identificação das regiões de maior vulnerabilidade social no município; mapeamento preliminar das instituições e programas da rede de proteção especial existentes no município; e apreciação sobre as condições de operação das instituições do Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente vinculadas às áreas da justiça e da segurança”, explicou o presidente.