PF prende em Natal suspeito de receber dinheiro falso pelos Correios

Dinheiro falso foi enviado pelos Correios

A Polícia Federal prendeu em flagrante na última segunda-feira, 29/3, em Natal, um auxiliar de serviços gerais, 25 anos, acusado do crime de moeda falsa. Com ele foram encontrados R$ 800,00 em cédulas de R$ 50 e R$ 100.

A ação aconteceu após os policiais se dirigirem até a agência dos Correios, no bairro do Tirol, zona leste da capital, para averiguar a informação de que um homem iria receber correspondência contendo possível material ilícito enviado do estado de Minas Gerais. Minutos depois, o suspeito compareceu ao local e foi abordado quando recebia o envelope.

Inicialmente perguntado sobre o que continha aquilo que lhe foi endereçado, o homem disse não saber, mas ao ser aberto na presença de testemunhas, o dinheiro falsificado foi encontrado.

De imediato, ele recebeu voz de prisão e foi conduzido para autuação na sede da PF em Lagoa Nova.

Durante o seu depoimento, confessou que havia adquirido as cédulas através de uma pessoa desconhecida com quem manteve contato a partir de um grupo formado em um aplicativo de mensagens e que teria sido a primeira vez que se envolveu com esse tipo de transação ilícita.
O crime de moeda falsa prevê, em caso de condenação, reclusão de três a doze anos, além de multa.

O suspeito encontra-se custodiado na Superintendência da Polícia Federal, à disposição da Justiça.


PF prende em Mossoró acusado de receber dinheiro falso através dos Correios

Policiais federais da Delegacia de Mossoró, prenderam na tarde desta quinta-feira (21), naquela cidade, um homem de 23 anos, no momento em que recebia uma encomenda contendo cédulas com indícios de falsificação e que totalizaram a quantia de R$ 1 mil.

A abordagem do suspeito foi realizada no Centro de Distribuição Domiciliar dos Correios e, após o flagrante, o homem foi conduzido para a sede da Polícia Federal, no bairro de Nova Betânia, onde foi lavrado o auto de prisão.

Naquela unidade, ele permanece custodiado, provisoriamente, à disposição da Justiça.